Untitled

Vamos fazer o bebê dormir?

 

É possível! Não existem bebês difíceis, existem formas melhores para garantir o sono do bebê (e da família toda)

 

Clique e Saiba mais sobre a Consultoria do Sono Bossa Mãe!

 


20 nov 2017

O milagre da manhã

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros

Acabei de ler o livro “O milagre da manhã” e estou inspirada. É claro que nem sempre a gente concorda com todo o conteúdo de uma obra e tudo bem. No começo da leitura quase desisti porque me senti lendo uma pregação de como o Milagre da manhã mudou a vida das pessoas, muitos relatos… um pouco insistente demais e chato. Mas insisti porque eu tinha lido algumas referências sobre o livro. Não era possível não tirar algo de bom dele. Li até o final. Quando chega mais na parte de conceito e dicas, fica melhor e foi possível tirar algumas inspirações.

o milagre da manhã

O milagre da manhã – o segredo para transformar sua vida (antes das 8 horas)

.

Existem apenas duas maneiras de viver sua vida. Uma é como se nada fosse um milagre. A outra é como se tudo fosse um milagre. (Albert Einstein)

O milagre da manhã parte de um princípio que acredito muito: todo dia em que acordamos é uma oportunidade para fazer algo diferente, principalmente tornar seu dia com sentido. Se você acorda reclamando por ter acordado e por todas as coisas que tem a fazer, tem grande chance do seu dia ser uma merda. Mas se você acorda desejando que seu dia seja bom e incrível, ele será. Pois é a forma como você encara o dia que está começando que define como será o seu humor, a sua energia, o seu astral. Então, o autor Hal Elrod, apresenta algumas dicas para mudar a maneira como você desperta de manhã, transformando o seu dia e qualquer área da sua vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 nov 2017

Certificado de bom comportamento

Chegou a época do ano em que mais falamos (e ouvíamos): “se não se comportar direito, o Papai Noel não vai trazer presente de Natal”. Rá! Quem nunca? Atire a primeira mamadeira! E para incentivar as boas condutas das crianças, resolvi fazer um certificado de bom comportamento. Mas o que é ter bom comportamento?

A gente vive falando para nossos filhos “seja um menino (a) bonzinho (a)”. E você já parou para pensar no que isso  significa? Existe uma linha tênue entre se comportar bem e ser bonzinho. O conceito de bom comportamento está relacionado a forma como reagimos diante do meio em que vivemos. Ou seja, a nossa interação com o ambiente implica num comportamento e espera-se que esse comportamento seja dentro de ações aceitáveis. Exemplos: ser educado, dizer as palavras mágicas “obrigado”, “de nada”, “por favor”, bagunçar e arrumar, respeitar as pessoas, os animais, etc.

Já “ser bonzinho”, em minha humilde opinião, está relacionado com aceitar as coisas do jeito que são impostas, ser explorado pelas pessoas, não saber dizer “não” mesmo a quem te magoa. E pra mim isso é um problema. Eu quero muito que meus filhos comportem-se bem, mas não quero que sejam bonzinhos. Quero que eles sejam bondosos e generosos, qualidades despretensiosas e que não farão mal a eles.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

13 nov 2017

A beleza da vida está na imperfeição

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

A beleza da vida está na imperfeição

Já percebeu como queremos ser perfeitas em tudo? Queremos ser mães perfeitas, profissionais perfeitas, esposas perfeitas, mulheres perfeitas. A perfeição é igual ao medo. Ainda bem que existem. Sim, porque ambos nos lançam um passo à frente. Mas não dá pra viver de medo, assim como não dá para viver uma vida perfeita. A beleza da vida está na imperfeição.

Hoje posso dizer que vivo uma história de amor com a vida. E garanto, não é porque possuo coisas. E sim porque passei a me aceitar do jeito que sou. Porque passei a aceitar minha imperfeição. Nunca me amei completamente, sempre achava algum defeito, mas com a chegada dos filhos passei a me aceitar e consequentemente a me amar mais. Talvez porque no papel de mãe, eu me sinta uma mulher maravilha – mesmo sabendo que não sou e que não dou conta de tudo. Não sei… mas esse corpo que se transformou, foi o que me deu o poder milagroso de colocar meus filhos no mundo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

12

comente!

10 nov 2017

Perennials – Que tipo de mulher você quer ser aos 40 anos?

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Perennials

Perennials! Esse é o tipo de mulher que eu gostaria de ser aos 40. Perennials vem de perene e é o termo criado pela empreendedora de tecnologia Gina Pell, no final de 2016, para definir as pessoas que cultivam um estilo de vida que combina hábitos e gostos de diversas idades. Ou seja, é um movimento que não se embasa no tempo e na sua idade marcada na certidão de nascimento. É algo ligado com sua identidade social. Em como você se sente em relação ao mundo.

Em primeiro lugar nesse topo, estão as mulheres a partir dos 40 anos. Idade em que atingimos certa maturidade e quando deixamos de nos importar tanto com a opinião alheia. Elas se tornam mais leves, mais donas de sua vida e assumem suas escolhas, mesmo que não agrade todo mundo.

Há quem julgue. Acham que nessa fase, as mulheres querem bancar de mocinhas. Mas não tem nada a ver. Muito pelo contrário. A verdade é que sim, muitas delas nem aparentam a idade que tem. Aceitam os anos, mas não se reconhecem na meia-idade. Cuidam da aparência sim, mas também da saúde. Sua forma de consumir já não é mais a mesma e reinventam a vida. Elas não tem medo do que muitas de nós temos. MUDANÇA! Elas não vivem uma vida por convenção. Se não estão felizes no casamento ou no trabalho, elas não tem medo de alterar e transformar tudo. E não importa a idade em que elas estão. Aliás, essa mulher não está nem um pouco interessada em se encaixar às promessas da idade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

08 nov 2017

Pontos turísticos de Roma

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Viagem

São vários os pontos turísticos de Roma. E não conseguimos visitar todos. Pouco antes da viagem, comecei a achar que quatro dias em Roma seria pouco. Na verdade não é. Mas quando se está com crianças é pouco sim. Porque temos que fazer os passeios no ritmo dos pequenos, respeitando os limites deles. E nos surpreendemos com o pique do Benjamin, por exemplo. A Stella tinha o carrinho para os momentos de descanso, tirava várias sonecas. O Benjamin aproveitou o carrinho até o segundo dia, quando uma das rodinhas quebrou. Depois disso o carrinho passou a aguentar só a Stellinda. E o Ben encarou muitas caminhas longas que fizemos entre os pontos turísticos.

Em nossa estada, visitamos vários lugares, e tem três pontos turísticos entre os mais famosos de Roma que valem destaque. São eles: Piazza di Spagna, Piazza Navona e Trastevere. Concluí que fomos bem guerreiros, considerando que estávamos com duas crianças. Em Roma os pontos turísticos não são tão distantes uns dos outros, se tiver disposição, dá para conhecer, por exemplo, várias praças num único dia, caminhando e cantando pelas ruas – essa foi a nossa escolha. Se um lugar for longe do outro, dá para pegar um ônibus ou metrô. Crianças até 10 anos não pagam transporte público. Mas o gostoso mesmo, em viagem, é caminhar. E o legal nem é a quantidade de lugares a conhecer e sim parar e apreciar a visita no local.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

06 nov 2017

Como se planejar para viver o sonho de maternar

como se planejar

Até outro dia, estava escrevendo sobre a volta ao trabalho após a licença maternidade. Ou dicas para ser feliz no trabalho. E cá estou agora, exercendo algo que desejei por quase dois anos. A tal liberdade para maternar. O pedido que mais escuto nos últimos dias é para compartilhar ideias de como se planejar para viver o sonho de maternar. Parar de trabalhar fora, curtir mais os filhos e quem sabe até empreender.

Segundo a pesquisa “Licença-maternidade e suas consequências no mercado de trabalho do Brasil“, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 48% das mulheres entre 25 e 35 anos, ficam desempregadas 12 meses após o início da licença maternidade. E isso acontece por dois motivos: ou ela foi demitida ou ela decidiu largar o emprego. Que as empresas não valorizam a mãe no mercado de trabalho, é uma verdade. Mas acontece muito das mulheres ao se tornarem mães, darem uma banana para o mundo corporativo. Porque você percebe que seu filho precisa muito mais de você em casa do que a empresa de você lá para faturar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

7

comente!

Página 1 de 163123456...Última