25 jul 2016

Férias: 10 filmes infantis para assistir na Netflix

por
Gabi Miranda

Destaque, Entretenimento, Maternidade

Existe certo prazer em ver filmes infantis com os filhos

 

filmes infantis

Pela primeira vez não viajei nas férias, já sabíamos que não íamos viajar, pois as férias foram meio que obrigatórias por conta das férias escolares do Benjamin e não deu para coincidir as férias de toda família junto. A partir de agora parece que a vida dos pais tomam outro rumo; conciliar também com a vida escolar. Mas tudo bem, fiquei empolgada em passar alguns dias sozinha com o Benjamin. Pra quem não viaja, restam boas alternativas: aproveitar a sua cidade e curtir o frio de julho no sofá, assistindo filmes infantis, agarradinho ao filho.

O Benjamin adora ver um filme e mesmo que seja comentando o tempo todo todas as cenas, fazendo perguntas e dizendo 26847 vezes “olha, mãe, ele vai sair correndo” quando a mãe já está olhando, é uma delícia ver um filme infantil na presença dele. Aliás, o Benjamin fez nascer em mim o interesse pelos filmes infantis. Antes dava para contar nos dedos de uma mão só quantos filmes infantis já tinha visto e gostado. Convenhamos, os filmes infantis atuais tem lá seu encanto. Eles cativam crianças e adultos, pois são criativos, tem piadas sutis e sensacionais que as crianças nem entendem, mas nós sim.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

22 jul 2016

Qual a melhor roupa para vestir a criança no aniversário?

por
Gabi Miranda

Destaque, Festas, Filhos

A melhor roupa para vestir a criança no aniversário

roupa de aniversariante

Pinterest

Muita gente tem me perguntado que roupa Stella vestirá em sua primeira festa de aniversário, principalmente se vai ser com vestido da Branca de Neve. Apesar de todo mundo achar que eu brinco de boneca agora que tenho uma menina, sempre priorizo o conforto das crianças, sempre fui assim com Benjamin. Acho muito legal combinar o tema da festa com o look do aniversariante, desde que a roupa seja confortável. Na festa de 4 anos do Benjamin, ano passado, todos nós vestimos uma camiseta com um personagem dos Vingadores, tema da festa. Eu vesti porque não tinha nada apropriado pro meu tamanho na época (grávida de 8 meses da Stella). E os meninos porque tudo é muito mais básico para eles e eu prefiro que o Benjamin use camisetas do que fantasias – o que não era um empecilho caso ele quisesse vestir também.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

21 jul 2016

O primeiro ano de vida

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

O primeiro ano de vida de um filho é um marco na vida da gente

 

o primeiro ano de vida

Stella, 28/07/15, 3,715Kg, 51cm

No próximo dia 28 Stella completará 1 ano. Há dias estou emotiva pensando nesse um ano que passou. O primeiro ano de vida, o primeiro aniversário tem um Q diferente, é especialmente importante, talvez porque seja o principal período para o desenvolvimento do bebê. Lembro-me, o primeiro aniversário do Benjamin foi igualmente emocionante. É como se o primeiro ano de vida fosse uma gestação extrauterina. Passamos os últimos doze meses tomando o máximo de cuidado com o bebê: consultas, atenção no peso, amamentação, vacinas, crescimento, alimentação,  e ao completar o primeiro ano de vida é como se tivéssemos completado a primeira prova mais importante da nossa vida. Ver o bebê se desenvolvendo bem, nutrido, explorando o mundo, tendo noção das suas capacidades é a prova de que tudo vem dando certo, de que damos conta e tudo continuará bem.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

20 jul 2016

A importância dos amigos para seu filho

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Filhos

Todo mundo sabe a importância dos amigos em nossa vida, mas saiba, é fundamental cultivar a amizade dos filhos enquanto eles ainda são pequenos

 

a importância dos amigos

Imagem Google

Em tempo de redes sociais, todo mundo é amigo de todo mundo. A palavra “amigo” se desvirtuou e anda perdendo o sentido, esta aí o facebook, local ótimo para manter relações, mas onde todo mundo se considera amigo. Sabemos que existem diferentes tipos de amigos e em vários níveis. Mas os amigos verdadeiros são aqueles com quem queremos dividir todos os momentos de nossas vidas, com quem temos prazer de estar junto. Amigos podem até ser divididos em grupos: os da escola, os do condomínio, os do trabalho, os da faculdade, os da blogosfera… Mas convenhamos, os 378 amigos do facebook não são todos amigos. Amizade é algo preciso demais para se perder com a modernidade e tecnologia, portanto precisamos ensinar o verdadeiro valor e conceito de amigo para nossos filhos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

19 jul 2016

Vale tudo por um like?!

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Não tem jeito, o uso das redes sociais faz parte da nossas vidas, mas vale tudo por um like?

like

Psicólogos afirmam que as redes sociais são o meio com o qual a maioria das pessoas se defendem das próprias carências e necessidades – das quais, às vezes nem tem consciência, aparentam ter uma vida que não tem. Pensando assim, estaria todo mundo carente, precisando de apoio, like e aceitação? Toda experiência só vale a pena no momento que atingirmos 100 likes? Já faz algum tempo, tem me chamado atenção o comportamento nas redes sociais. Parece que vale tudo para aparecer e ter um like. Em nome de mostrar “a vida real”, as pessoas estão perdendo a noção. E aí fico me perguntando pra quê e para quem estamos querendo nos mostrar (e expor nossos filhos)? De que vida real estamos falando? O uso das redes sociais não deveria ser feito de forma saudável, sem implicar ser aceito e/ou obrigatoriamente ter 100 curtidas numa foto ou mais de 40K seguidores?
Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

18 jul 2016

Como introduzir frutas na alimentação do bebê?

por
Gabi Miranda

Alimentação, Destaque, Filhos

Como introduzir frutas na alimentação do bebê?

Por Maria Beatriz Chiaradia, nutricionista, mãe do príncipe Lorenzo, especialista em nutrição Clínica em Pediatria, pelo Instituto da Criança (HC-FMUSP) e uma das criadoras do Mestre Cook Assessoria

frutas

Baby boy eating apples

Assim que chega a fase de introdução alimentar, aos 6 meses, logo pensamos em FRUTAS! E isto, naturalmente, gera muitas dúvidas entre os papais e as mamães sobre a forma correta de apresentar as frutas ao filho sem que isso prejudique a amamentação em livre demanda. São várias as dúvidas, como: qual fruta dar primeiro? Tem alguma fruta que não posso oferecer? Como preciso preprar a fruta? E por aí vai….

Então o post de hoje é para esclarecer algumas das principais dúvidas que recebemos, para que esta fase se torne menos complicada e mais deliciosa possível.

Existe alguma fruta que não posso oferecer ao bebê?

NÃO! Não há nenhuma contra-indicação de fruta na alimentação complementar aos 6 meses. Mas, sempre que possível, o ideal é que seja respeitado o hábito familiar e regional, que as frutas sejam orgânicas ou que sejam priorizadas as frutas da estação, pois estas – por estarem em safra – contém menos agrotóxicos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

14 jul 2016

Casa organizada combina com consumo sustentável

Quantas coisas você possui e não usa? Ter consciência disso, ajuda no consumo sustentável, numa vida e casa organizada, com foco nas coisas que realmente importam

Fotos: Márcia Alves

Açao Comprando Fora Visa Carol Martins e Gabriela Miranda #comprandofora #visa #artedeorganizar #consumoconsciente Data:07/07/2016 Foto: Márcia Alves

Ação Comprando Fora Visa
Carol Martins e Gabriela Miranda
Foto: Márcia Alves

Fui convidada para participar de uma ação do site Comprando Fora, com o apoio da Visa. O objetivo da ação é promover o consumo sustentável e teve ajuda e consultoria da personal organizer Carol Martins, que esteve aqui em casa e, além de organizar o guarda roupa do Benjamin, tivemos um bate papo sobre como a organização ajuda a nossa visa e como manter a casa organizada.

Estava numa semana conturbada quando a Carol apareceu aqui em casa e deixou tudo mais leve, me trazendo também algumas reflexões. Muita gente acha que organização tem a ver só com arrumação. Eu, por exemplo, sou viciada em arrumar, não gosto de deixar nada fora do lugar (apesar de ter recebido a Carol no maior caos), tenho uma caixa de brinquedos na sala para ficar mais fácil de juntar tudo lá, e um quarto inteirinho dedicado à bagunça onde vou jogando tudo até não ter mais espaço e ter que arrumar ele também. Mas deixar a casa arrumada não significa que a casa está organizada como deveria, de forma que as coisas fiquem funcionais.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

10

comente!

12 jul 2016

A maternidade é um mito, mas…

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

A maternidade é um mito, mas a vida é mehor com filhos

Imagem por Danielle Guenther

Imagem por Danielle Guenther

Sinto que faço certa apologia à vida materna. Eu já falei que filho traz felicidade sim e sempre falo para as amigas que filho é a melhor coisa do mundo (pra mim é realmente!). Tenho uma amiga que não tem filho (ainda) e eu vivia lhe perguntando: quando você vai ter um bebê? Coisa mais chata essa, né?! A sociedade sempre verbalizando e achando que é um dever a mulher procriar. E se ter filhos não é desejo da minha amiga? Talvez isso nem esteja em seus planos, talvez ela nem me fale nada justamente porque vivo cultuando a (minha) maternidade.

Sim, eu cultuo a minha maternidade. E a maternidade é um mito!

O mito da maternidade começa desde a gravidez. A mulher não pode nem reclamar da gestação. Tenho uma prima que não achou divertido estar grávida, mas ama ser mãe e já que ter mais filhos. Eu posso dividir minhas duas gestações em duas fases: o início que não foi nada divertido e que eu vomitava a cada 7 minutos. O meio da gestação em diante, quando enfim adorei estar grávida e vi um pouco de graça (fala que não é bom usar as filas e assentos preferenciais, ter todo mundo te paparicando?!). Pós-parto, pergunto-me se preciso mesmo listar os mitos?! Mas não resisto, vou citar o que não é mito: 25h cheirando a leite, cabelo despenteado, noites mal dormidas, aquela bendita cinta apertando nossos órgãos corpo, restrições alimentares, peso acima do normal, corpo bagunçado, seca sexual, etc, etc, etc….
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

11 jul 2016

Se os dias são comuns, é porque temos tranquilidade

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Já parou para pensar que se os dias são comuns, é porque temos tranquilidade?!

dias são comuns

Imagem do Freepik escolhida pelo Benjamin

Semana passada tivemos dias conturbados por aqui (tanto que o blog ficou abandonado). Stella foi tacada novamente por uma conjuntivite, juntou com um resfriado e dentes nascendo. Foi tudo junto e misturado. Por conta dos dentes, tivemos noites mal dormidas e muito chororô. Por conta de tudo misturado, principalmente pela conjuntivite, Stella foi afastada do berçário a semana toda, consequentemente a mãe também foi do trabalho. Eu estava na semana antes das minhas mini férias, algumas coisas ainda por resolver e, para ajudar (sqn), estouraram vários problemas no trabalho e fiquei tentando driblar os cuidados com a pequena, a resolução dos problemas na empresa, a falta de tato das pessoas. Foi uma semana daquelas.

É em período assim que penso em largar tudo e me dedicar aos meus filhos. Sinto certa satisfação pessoal em trabalhar fora, mas me decepciona depositar esforço em algo no qual sinto não ser valorizada. Falta empatia no mercado de trabalho. A sensação que tenho, é quanto mais você faz nunca está bom e os resultados positivos é como se você não fizesse mais do que a sua obrigação. Enquanto que em casa, sinto que sou insubstituível, indispensável, necessária. Não é qualquer pessoa que pode desempenhar o meu trabalho. E sim, cuidar dos meus filhos é minha obrigação. Obrigação pela qual ganho muito mais. Tem sim os dias de confusão mental, stress, vontade de ficar em silêncio, dias em que não damos conta de nada. Contudo, os filhos estão sempre demonstrando de alguma forma, o quanto somos importantes, o quanto o papel que desempenhamos é fundamental na vida deles.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

30 jun 2016

Porque você e seu filho precisam assistir Procurando Dory

por
Gabi Miranda

Destaque, Entretenimento, Maternidade

O filme não é uma continuação de Procurando Nemo, mas é tão fofo, lindo e cheio de mensagens quanto ele

Procurando Dory

Imagem Google

A história acontece 1 ano depois que Dory e Marlin encontram Nemo. Começa com uma cena do passado da cativante e inesquecível Dory ainda bebê com seus pais. Ela simplesmente tem um insight e começa a ter lembranças desse passado. Então, ela decide ir em busca da sua família mesmo tendo problema de perda de memória. Marlin e Nemo vão com Dory nessa jornada e então começa uma história emocionante de perigos, aventuras e encontros e desencontros.

Adultos e crianças precisam assistir por essas 14 razões para não perder Procurando Dory e um pouco mais.

Conferimos a pré estreia de Procurando Dory, a nova animação da Disney e afirmo, o filme é desses que faz até adultos se emocionarem, produzido com o coração, cheio de personagens amáveis – mesmo que sejam mal humorados, como o caso de um amigo polvo que Dory faz. Tem uma boa dose de humor, sem ser exagerado. Achei o filme perfeito e amei do começo ao fim. Mas alguns aspectos me chamaram a atenção e por isso afirmo, você e seu filho precisam assistir Procurando Dory:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

Página 1 de 81123456...Última