18 ago 2017

As emoções da gestação

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

As emoções da gestação

Nascimento da Stella, julho de 2015

Há algumas semanas foi aniversário de dois anos da Stella. Fiquei muito nostálgica lembrando as emoções da gestação dela. Cada gravidez tem sua particularidade. O primeiro filho é emoção que não cabe no peito. O segundo, como já temos conhecimento da experiência da gravidez, conhecemos também as emoções, estamos um pouco mais preparadas. No caso da gravidez da Stella, tivemos algo inusitado. Não soubemos o sexo dela na gestação, o que aumentou a emoção nesse período, e, principalmente no dia do seu nascimento.

Sendo o primeiro, segundo ou terceiro filho, a partir do momento que nos descobrimos grávidas, vamos passar por várias emoções. É só o começo de uma transformação que vai fazer a nossa vida ainda mais incrível. Cheio de momentos cansativos sim, mas cheios de alegrias incalculáveis. Foi relembrando esses dois momentos da minha vida, que listei algumas das emoções da gestação.

As emoções da gestação
.

Quando descobrimos que estamos grávidas

Não há emoção maior! E mesmo sendo uma gravidez planejada, uma enxurrada de dúvidas e medo passa por nossa cabeça.

Quando é confirmada através de exames

Primeiro vêm as emoções com o exame de farmácia. Depois as emoções se multiplicam com a confirmação do exame de sangue. Dali em diante a vida começa a mudar para sempre. E não fazemos ideia o tanto de mudança que está por vir.

As alterações hormonais

Os hormônios começam a se alterar. Com essas alterações, eu passei muito mal nas minhas duas gestações. Meu humor também sofreu alterações. E tudo isso somou-se aos meus sentimentos de medo, ansiedade, insegurança, mal-estar. Minha cabeça ficava pilhada pensando se o bebê seria saudável, se eu saberia cuidar de um bebê, se teria renda suficiente, como seria o parto…? Tudo normal passar por isso e depois vemos que dá tudo certo.

A primeira ultrassom

Não tem como descrever a emoção de ouvir pela primeira vez o coraçãozinho do seu bebê. É um milagre aquele ser menor que um grão de feijão ter o coração que bate mais rápido e mais forte que o seu. É nesse momento que você vê e ouve o seu bebê que ainda nem parece com uma pessoinha, se torna absolutamente real. Nas próximas ultrassonografias, quando você já vê um bebê formado, seu corpo e cada parte que o forma, você tem certeza: é um milagre divino poder gerar uma vida. É perfeito demais.

O bebê então começa a mexer

Sentir o bebê mexer é uma experiência ímpar. Eu ficaria grávida 10 vezes só para repetir a dose desse sentimento. É incrível a interação que você passa a criar com o bebê ainda dentro da sua barriga. Com o tempo você pode até perceber partes do corpo do bebê ali dentro da sua barriga, como ele reage quando você conversa ou faz um carinho. A relação começa a se construir desde esse momento. E é só emoção.

O trabalho

A gravidez é também o início de um período onde começamos a redefinir nossas prioridades. Pra mim, por exemplo, desde a gravidez, começou um período de muita reflexão em relação a trabalhar fora, a minha vida social, a dedicação à família. São muitas dúvidas e incertezas quanto a escolha a fazer.

O nascimento

O dia em que seu filho nasce, é indescritível o turbilhão de emoções. Lembro até hoje quando perguntei para minha melhor amiga, na época a primeira a ter um filho, como era a sensação de ter um bebê, se era a mesma de quando ganhávamos um presente na infância. rs Agora, passando pela experiência duas vezes, ainda não sei descrever a emoção. Mas é infinitamente grande. Uma felicidade que não cabe no peito. Tenho lembranças lindas de quando o Benjamin e Stella nasceram. As duas vezes particularmente ímpares.

Como os nossos pais

Quando temos filhos, nossos valores também são questionados. Começamos a pensar na educação que queremos dar a eles, como torná-los felizes e seguros. Refletimos muito sobre a relação que tivemos com nossos pais, educação que nossos pais nos deram e sobre os pais que queremos ser. 😉

 

compartilhe!

2

comente!

2 respostas para “As emoções da gestação”

  1. Karla disse:

    Seu Blog é fantástico! Fez recordar quando foi mãe pela 1 vez. Muito Obrigado por este texto seu. Vou acompanhar.

Comente!