08 fev 2017

Toda criança merece ter um cofrinho

por
Gabi Miranda

Destaque, Dinheiro, Maternidade

Quem nunca teve um porquinho em casa levanta a mão! Não precisa ser um porquinho, mas um cofrinho. Pode ser em formato de sapinho, vaquinha, cachorrinho, ou como Benjamin que tem um cofrinho Kombi. Até eu que não tive muitas lições sobre finanças quando era criança, tive um cofrinho. E posso falar? Tenho até hoje! Meu porquinho rosa. Depois que casei, eu e marido começamos a juntar nossas moedas juntos e era uma festa quando abríamos o cofrinho, dividíamos a grana e o uso era sempre para algo individual que quispessemos. Agora meu porquinho vive vazio porque o Benjamin não pode ver as moedas.

cofrinho

Meu cofrinho de porquinho 🙂

Acho que toda criança merece ter um cofrinho. É uma oportunidade rica para ensinar a criança o hábito de poupar, a valorizar o dinheiro guardado, ajuda no desenvolvimento da paciência, afinal precisa esperar o cofrinho encher para então abri-lo, e se expectativa é bom sentir, esse é um momento válido. Porque é a hora de ver quanto o cofrinho faturou e comprar aquele brinquedo que a criança tanto deseja. Às vezes não dá para ser o brinquedo de desejo. Entra aí uma oportunidade também de aprender a negociar. Com o vendedor da loja. Ou com os pais.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

8

comente!

07 fev 2017

A bebê está virando menina

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque, Filhos

Stella, Stellinda, Amora. Minha bebê está virando menina! Ela completou 1 ano e 6 meses! Isso significa 18 meses, 547 dias, 13.128 horas, 787.680 minutos, 47.260.800 segundos. Nesse período todo, são muitas mudanças, aprendizados, medos, ansiedade, maturidade.

Ontem fui visitar uma grande amiga na maternidade. Ah! É a madrinha da própria personagem desse post. Ao contemplar um bebê no berçário e a nova condição da minha amiga, mãe de RN, é claro que me bateu a nostalgia. Já me parece tão distante o dia em que a Stella era um RN e quando paro pra pensar, lembro exatamente do dia em que me dei conta que precisava aproveitar ao máximo aquele bebezinho que adorava dormir no colo 24h ao invés de ficar em seu berço. Quando redescobri a maternidade.

Olhando a pitica, percebo o quanto ela desenvolveu nesse tempo, já está virando menina. Comecei despretensiosamente a listar na nota de blocos do celular, tudo o que ela anda fazendo. Porque muitas coisas ela já faz há meses e já não lembro quando começou. E nesse momento eu queria mesmo é ter uma memória de elefante para não esquecer cada detalhe do seu desenvolvimento e guardar para sempre todas as sensações que me causam ao vê-la fazendo algo novo, cada sorriso, o som da sua gargalhada. Porque parar o tempo, é impossível e nem teria graça né?! Pararia-se o tempo e também o andar dos acontecimentos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

01 fev 2017

Como tirar o passaporte da família

por
Gabi Miranda

Destaque, Viagem

Tirar o passaporte é mais fácil do que parece

como tirar o passaporte

Há pouco menos de três meses, renovamos nossos passaportes e fizemos os passaportes do Benjamin e Stella. Não conseguimos agendar para tirar o passaporte da família toda e então demorou um pouco mais, pois tivemos que ir direto na Polícia Federal para agendar um dia e depois voltar para finalizar. Nesse processo, a gente encontra informação errada na internet e até por telefone. Como não estava conseguindo agendar para todos da família através do site na internet, liguei e fui orientada a ir em qualquer posto da Polícia Federal para agendar a emissão do documento. Fui, perdi uma manhã de trabalho para chegar no local e me informarem que só podia agendar presencialmente no posto do DPF (Departamento da Polícia Federal), na Lapa.

Enfim, decidi fazer esse post para ajudar quem está nesse processo de tirar o passaporte da família. Essas orientações são para quem quer emitir o passaporte na cidade de São Paulo. O processo todo é mais simples do que parece, mas precisa de muita atenção em relação à lista de documentos solicitados.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: ,

30 jan 2017

Lista de desejos 2017

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade

Janeiro tem um clima de renovação, consequentemente traz uma vontade de realização. É o mês em que mais fazemos metas e temos desejos para o ano novo. Minha mãe dizia que precisávamos escrever no papel tudo o que desejávamos, pois assim nossos sonhos ficavam mais fáceis de se concretizar. Por isso, ela anotava sua lista de desejos em uma cartolina e colava no espelho – local que obrigatoriamente nós vamos todos os dia.

lista de desejos 2017

Quando a gente coloca os desejos em lista, conseguimos também nos organizar melhor para alcançar o que almejamos. É impagável a sensação de ticar os itens já realizados. É nesse clima que finalizo os posts de janeiro. Eu não podia deixar de registrar aqui uma das minhas listas de desejos. Essa é bem particular. De coisas que desejo ouvir em 2017.

Minha lista de desejos: o que eu gostaria de ouvir em 2017

Pode viajar com o Piffer por 4 dias, ficarei com as crianças nesse período. Divirtam-se!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

27 jan 2017

Motivos para viajar com filhos

por
Gabi Miranda

Destaque, Maternidade, Viagem

motivos para viajar

Estou aqui num exercício para sair da preguiça que me agarrou desde que me tornei mãe de dois. Sempre fui preguiçosa por natureza, mas não para os prazeres da vida. Jamais para viajar. Uma das coisas que sempre gostei de fazer é viajar. Mas desde que Stella nasceu, quando penso em toda logística de uma viagem…. desisto e prefiro nosso lar. Sei que existem vários motivos para viajar com filhos, mas a preguiça estava me dominando.

Acho que tem também um pouco de trauma de quando viajei sozinha com os dois. Foi algo rápido nas mini férias que tiramos juntos em 2016. Por um compromisso de trabalho, marido teve que alterar seu voo e nos encontrou lá no destino. Eu fui antes sozinha com as crias e olha, vouticontá. Cada vez mais admiro as mães solteiras.

Nessa época de férias, fico vendo as famílias todas viajando e percebo o quanto isso é bom e importante para os pequenos. Não é só pelo fato de conhecer um lugar novo, mas viajar traz também conhecimento, desenvolvimento intelectual para as crianças e lembranças inesquecíveis. Segundo a a escritora paulista, Fernanda Braz, viajar é uma forma natural e divertida para as crianças aprenderem, criarem resiliência, flexibilidade e um exercício para desenvolverem a capacidade de adaptação. Pra mim isso faz todo sentido quando penso que viajei pouco na infância e acho que tenho até hoje problemas para me adaptar a dormir fora, por exemplo. Sem contar que viajar é somar histórias para nossa vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

tags: ,

24 jan 2017

Fralda MamyPoko me surpreende na qualidade e lança promoção imperdível

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Produtos

A escolha de qual fralda usar no bebê é sem dúvida um dos itens na lista de preocupação das mães. A melhor fralda descartável é aquela que não vaza, não assa o bebê e o deixa confortável. Se tiver preço bom então, deixa confortável o bolso da família e fica tudo perfeito.

Conheci as fraldas MamyPoko quando a Stella nasceu e fui surpreendida pela qualidade do produto. Foi a única fralda que não assou a baby bossinha enquanto RN. Agora, um ano depois, estamos experimentando a MamyPoko Fralda-Calça. Stella está naquela fase que não para mais quieta e esse modelo de fraldas é super adequado para bebês da idade dela, pela facilidade na troca.

mamypoko

MamyPoko é uma fralda com tecnologia japonesa e agora dispõe de uma exclusiva superfície ondulada que forma caminhos de ar, melhorando a ventilação, mantendo a pele do bebê sequinha por até 12 horas. Fizemos o teste antes de usar na Stella, e resultou na absorção de 5 copos de água sem vazar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

25

comente!

23 jan 2017

Por que a gente quer ter filho?

Quanto mais penso nos problemas, mais problemas acho. Poderia listar uma infinidade de coisas que poderiam me fazer achar a maternidade um eterno cansaço. Nós (digo nós, eu e marido), por exemplo, não temos ajuda de ninguém com as crianças e com a casa. Corrigindo, com a casa temos uma ajudante a cada 15 dias. Claro que não ter ajuda dificulta um pouco mais a nossa vida de pais, mas também já me acostumei com a emoção. Adoraria ter ajuda com as crianças, mas não temos porque falta avó-tia-vizinho-pessoas-de-fé-e-camaradas-pau-pra-toda-obra porque cada um tem a sua vida, porque moramos distantes, porque eu também não sei pedir e aceitar ajuda. Enfim, por n motivos e eu poderia falar um post inteiro sobre isso

Já ouvi que não tenho ajuda em casa porque não quero. Carinha pensativa… Sim, poderia ter uma ajudante diariamente ou três vezes por semana. Seria até um sonho. É uma mão-de-obra cara, um investimento que eu e marido após alguns estudos e análises decidimos não bancar. É uma escolha como tantas outras. Assim como tem gente que tem ajudante diariamente mesmo passando aperto. Enfim, cada um com suas escolhas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

20 jan 2017

Perfeita é a mãe!

Se você ainda não assistiu, precisa assistir o filme Perfeita é a mãe! Uma mistura de comédia e dramas maternos que garante muita risada

perfeita é a mãe

Perfeita é a mãe mostra a vida de três mães comuns como qualquer uma de nós. Muitas se identificarão. Uma que trabalha fora, em casa, está sempre atrasada e se esforça para fazer tudo da melhor forma para sua família e acaba sendo traída pelo marido. Outra, dona de casa, mãe de 4 filhos, mega submissa ao marido (por sinal, machista). E ainda uma outra, solteira e mais tranquilona, que só quer saber de curtir a vida. Elas se tornam grandes amigas. E como em todas as rodas maternas, no filme tem também o grupinho de mães que se acham perfeitas, que acreditam fazer tudo certinho e se acham melhores mães do que aquelas que fazem diferente delas. E como parece ter tempo de sobra, usam esse tempo para julgar. A partir daí a trama se desenrola.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

18 jan 2017

A mágica da arrumação, por Marie Kondo

Marie Kondo, autora do livro A mágica da arrumação – A arte Japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida é obcecada por organização desde os 5 anos de idade. Nesse livro, ela conta como a organização entrou na vida dela e explica até os motivos que levaram-na a ser obstinada por arrumar coisas. Eu pensava que desapegava das coisas, até que uma amiga indicou a leitura desse livro e depois ele começou a surgir pra mim como sinal. Numa revista que eu estava lendo ele surgia na matéria. Numa pesquisa rápida na internet sobre organização, ele aparecia no topo da lista. Até que fui comprar um presente na Livraria Cultura e lá estava ele me chamando por apenas R$15,00.

Comprei. O livro A mágica da arrumação é perturbador! Ou eu sou perturbada mesmo. Rá!

A cada capítulo que terminava, eu começava a arrumar algum determinado ambiente da minha casa. Eu sentia uma necessidade de arrumar como se não houvesse amanhã. Iniciei pelas roupas, como Marie Kondo mesma indica no livro. Fui para meu home office onde tem também as prateleiras com meus livros. Depois para o armário do corredor aonde guardava várias tranqueiras. Eu sentia um desejo de arrumar tudo no mesmo dia, como também indica a autora, mas isso é impossível pra mim. Só o closet, demorei um dia inteiro. Comecei de manhã e acabei no final da tarde. Fui realizando a organização aos poucos. E eu terminava completamente esgotada e sem energia. O negócio realmente mexe com a gente.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

16 jan 2017

O ano novo começa agora

O ano novo começa agora para nós, cheio de novidades escolares

ano novo

Benjamin e Stella entrando juntos na escola

Fim de uma fase. Chega um momento em que precisamos fazer escolhas, precisamos enxergar que o tempo para determinadas coisas finda. E eu percebi que não tinha mais para onde fugir, nem fingir. Fim de ano. Essa época mágica que faz com que a gente reveja vários aspectos e setores da vida. Bom período para novos ajustes. Decidi que estava na hora de mudar Stella de escola. Ela estava num lugar menor, sempre foi muito bem cuidada, mas outros aspectos me incomodavam desde a época do Benjamin. Hora de mudança.

Toda mudança na vida dos filhos, exige pais otimistas. Toda mudança dói, nos tira de um porto seguro rumo ao desconhecido. Stella estava saindo do berçário para esses maternais da vida. Fico bem desconfortável com esses arranjos de maternal, jardins, etc. Acho mesmo que nessa idade, bebês devem ficar livres para explorar o mundo, o que não significa ficar em sala de aula. Mas achei ótima oportunidade para fazer outra composição escolar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

Página 5 de 25Primeira...345678...Última