13 nov 2017

A beleza da vida está na imperfeição

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

A beleza da vida está na imperfeição

Já percebeu como queremos ser perfeitas em tudo? Queremos ser mães perfeitas, profissionais perfeitas, esposas perfeitas, mulheres perfeitas. A perfeição é igual ao medo. Ainda bem que existem. Sim, porque ambos nos lançam um passo à frente. Mas não dá pra viver de medo, assim como não dá para viver uma vida perfeita. A beleza da vida está na imperfeição.

Hoje posso dizer que vivo uma história de amor com a vida. E garanto, não é porque possuo coisas. E sim porque passei a me aceitar do jeito que sou. Porque passei a aceitar minha imperfeição. Nunca me amei completamente, sempre achava algum defeito, mas com a chegada dos filhos passei a me aceitar e consequentemente a me amar mais. Talvez porque no papel de mãe, eu me sinta uma mulher maravilha – mesmo sabendo que não sou e que não dou conta de tudo. Não sei… mas esse corpo que se transformou, foi o que me deu o poder milagroso de colocar meus filhos no mundo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

12

comente!

10 nov 2017

Perennials – Que tipo de mulher você quer ser aos 40 anos?

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Perennials

Perennials! Esse é o tipo de mulher que eu gostaria de ser aos 40. Perennials vem de perene e é o termo criado pela empreendedora de tecnologia Gina Pell, no final de 2016, para definir as pessoas que cultivam um estilo de vida que combina hábitos e gostos de diversas idades. Ou seja, é um movimento que não se embasa no tempo e na sua idade marcada na certidão de nascimento. É algo ligado com sua identidade social. Em como você se sente em relação ao mundo.

Em primeiro lugar nesse topo, estão as mulheres a partir dos 40 anos. Idade em que atingimos certa maturidade e quando deixamos de nos importar tanto com a opinião alheia. Elas se tornam mais leves, mais donas de sua vida e assumem suas escolhas, mesmo que não agrade todo mundo.

Há quem julgue. Acham que nessa fase, as mulheres querem bancar de mocinhas. Mas não tem nada a ver. Muito pelo contrário. A verdade é que sim, muitas delas nem aparentam a idade que tem. Aceitam os anos, mas não se reconhecem na meia-idade. Cuidam da aparência sim, mas também da saúde. Sua forma de consumir já não é mais a mesma e reinventam a vida. Elas não tem medo do que muitas de nós temos. MUDANÇA! Elas não vivem uma vida por convenção. Se não estão felizes no casamento ou no trabalho, elas não tem medo de alterar e transformar tudo. E não importa a idade em que elas estão. Aliás, essa mulher não está nem um pouco interessada em se encaixar às promessas da idade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

06 nov 2017

Como se planejar para viver o sonho de maternar

como se planejar

Até outro dia, estava escrevendo sobre a volta ao trabalho após a licença maternidade. Ou dicas para ser feliz no trabalho. E cá estou agora, exercendo algo que desejei por quase dois anos. A tal liberdade para maternar. O pedido que mais escuto nos últimos dias é para compartilhar ideias de como se planejar para viver o sonho de maternar. Parar de trabalhar fora, curtir mais os filhos e quem sabe até empreender.

Segundo a pesquisa “Licença-maternidade e suas consequências no mercado de trabalho do Brasil“, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 48% das mulheres entre 25 e 35 anos, ficam desempregadas 12 meses após o início da licença maternidade. E isso acontece por dois motivos: ou ela foi demitida ou ela decidiu largar o emprego. Que as empresas não valorizam a mãe no mercado de trabalho, é uma verdade. Mas acontece muito das mulheres ao se tornarem mães, darem uma banana para o mundo corporativo. Porque você percebe que seu filho precisa muito mais de você em casa do que a empresa de você lá para faturar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

7

comente!

10 out 2017

Fui ao meu velório e renasci

velório

Roma, setembro 2017

Há 25 dias fui ao meu velório. Ops, quis dizer, fui desligada da empresa para qual eu trabalhei durante anos. Ao me despedir das pessoas, parecia mesmo que estava no meu velório. Na hora foi uma surpresa ser desligada, porque naquele dia eu estava saindo de férias. Quem pensa que será demitido no dia em que está saindo para o melhor período da vida? No entanto, era algo que eu esperava acontecer durante o ano de 2017.

Outra coisa que assustou um pouco ao ser desligada, é o fato do marido estar fora do mercado e  a empresa para qual eu trabalhava saber disso. A vida é mesmo muito louca. Há meses venho falando para o marido que queria sair do trabalho para me dedicar aos meus projetos e ao meu maior projeto de vida: meus filhos. Aconteceu dele ser desligado – algo que nem Freud explica! E eu perdi a coragem que estava criando para sair do meu comodismo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

16

comente!

25 set 2017

Como otimizar o tempo das mães que trabalham fora

otimizar o tempo das mães que trabalham fora

Muitas pessoas me perguntam como dou conta de tudo. Afinal, são dois filhos, marido, casa, cachorra, trabalho fora, blog, programa de TV, curso, hobby, etc. Pra começar eu não dou conta de tudo. Ser mãe de dois e trabalhar fora é um desafio e tanto na minha vida (e de tantas outras mães). Abro mão de fazer muitas coisas. Tenho hobbys que amo, como o scrapbook que acabo sempre deixando de lado. São muitas atividades diárias e aprendi que tenho que priorizar o que é importante. Três itens são essenciais na minha vida: minha família, meu trabalho e o blog. Então meu dia é meio que dividido entre eles. Adoraria ter horas a mais no dia. Como não tem, o jeito é tentar potencializar o tempo que tenho. Mas como otimizar o tempo das mães que trabalham fora?

Tem dias que eu só quero um tempo para sentar no chão e brincar com as crianças. Nessas horas, abro mão de tudo o que tiver pra fazer. Deixo o cesto de roupa suja cheio mesmo. Durante a semana, não dá tempo de fazer muita coisa, pois chego em casa por volta das 20:30. Se as crianças estão acordadas, dedico um tempo a elas. Se não estão, é o momento de fazer algo pra mim. E isso inclui até ficar sem fazer nada, assistindo TV – o que é raro, confesso, pois assistir TV sem um propósito me faz ter a sensação de desperdiçar meu tempo. Aos finais de semana, acordamos cedo e tenho o costume de praticar pela manhã todas as atividades domésticas para que eu possa ficar com o dia livre depois.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

18 set 2017

Desempregada nas férias – o jeito é vadiar

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

férias

Amo tirar férias. Ainda mais quando parece que vou surtar e as férias se tornam necessidade absoluta. E vou contar um segredo: volto uma casa quando penso em empreender e lembro que as chances de ter férias diminuem. É muito prazerosa a ideia de ganhar dinheiro durante um mês que você não vai trabalhar. Férias é momento de curtição remunerada. Mas… fiquei desempregada no último dia antes de sair de férias. Rá! O jeito agora é desencanar e vadiar nos próximos 30 dias que seriam minhas férias.

Vou viagem e tirar alguns dias de descanso. A viagem em si já é algo libertador pra mim. E fico contando as horas para chegar. Estou aqui pensando como foi difícil decidir o destino e como demorou pra chegar esse momento. Fechamos com muita antecedência e isso me faz lembrar o Leo Jaime outro dia dizendo que escolher o destino com antecedência é como saber se vamos querer transar todo dia às 11 da noite. Pois por mais que a ideia agrade, a gente nem sempre sabe se vai estar no clima. Faz sentido já que não sabemos como estará nosso humor no dia, na hora na semana (e se ficaremos desempregados). A dois dias para nossa viagem, estou bem animada. Afinal, o que não tem remédio, remediado está.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

11 set 2017

Todas as minhas amigas estão fazendo dieta

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

dieta

Dieta, todas as minhas amigas estão fazendo uma. Juro. As amigas do trabalho. As amigas fora dele. Eu não saberia o que é isso se não fossem elas. Eu nunca fiz, a genética me favorece (beijinho no ombro). Mas sei que existe um milhão de opções. Dieta Dukan. Dieta seca barriga. Dieta macrobiótica. Dieta do ovo. Dieta Mediterrânea. Dos pontos. Dos 3 dias. Do carboidrato. Da proteína. Do Dr. Atkins (?!). Japonesa. Do limão. Líquida. Da lua. Dieta, dieta, dieta… e elas começam na segunda-feira.

Nada contra a quem faz. Mas quando as amigas entram em regime, eu sofro também. Além de ficarem chatas porque começam a se privar de comer o que gostam, falta caloria, elas deixam de comer tudo e negar convites para certas orgias alimentares. E gente, amo comer! E gosto de comer em boa companhia. Minha alimentação está longe de ser saudável. Mas eu como o que tenho vontade, sem medo de ser feliz (e de engordar, rá!). Há quem diga que sou magra de ruim. Meu manequim oscila entre 36 e 38.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

01 set 2017

Setembro, chegou! Hora de renovar as energias

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

setembro

Amo setembro, mês que anuncia a primavera, consequentemente promessa de muitos dias de sol. Muitas pessoas recalculam suas metas em julho ou agosto. Pra mim, é em setembro que recalculo como tem sido o ano. E que ano tem sido 2017 aqui pra gente! E pro Brasil todo. Aqui em casa fomos pegos de surpresa com uma situação que acabou mudando as nossas vidas. Não sei que lição é para tirarmos disso, mas ainda enxergo como uma grande oportunidade de fazer algo diferente.

Logo, esse setembro está com gostinho de agarrar com mãos, braços (e pernas) todas as responsabilidades que envolvem essa ocasião. Aliás, para qualquer projeto de vida, independente do que fazemos, da idade em que estamos, se não nos colocarmos no caminho do que desejamos, ninguém vai pegar nossa mão e nos colocar lá. Né?! Estou entrando em setembro com vontade de fazer crescer e florescer meus sonhos. E tenho pensado muito que enquanto nós não levamos a sério nossas metas, elas continuarão estacionadas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

31 jul 2017

Como é difícil ser mãe de dois

Ser mãe de dois é mais difícil do que se pensa

mãe de dois

A gente acha que vai ser fácil porque já temos a experiência em como lidar com algumas situações. Mas é muito difícil ser mãe de dois. Nesse fase da vida, sinto que estou sempre em débito com um dos meus filhos. E porque trabalho fora, sinto que minha dívida está ficando enorme, pois não consigo equilibrar meu tempo, afazeres e atenções. Percebi há algum tempo, num simples comportamento do filho mais velho.

Olhando aí pelas nossas fotos no instagram, ninguém percebe. Meu primogênito comporta-se como uma criança da sua idade. Não está mais na fase dos Terrible Twos, mas tem dias bons e ruins. Claro que eu adoraria que permanecesse só os dias bons, os quais ele é um menino incrível que parece a frente do seu tempo e idade. Mas os dias ruins servem para me lembrar o quanto ele precisa de mim, impondo limites e oferecendo todo o amor que eu puder. Serve também para me advertir da responsabilidade que tenho, do equilíbrio, resiliência e paciência que preciso exercitar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 jul 2017

Meu processo de coaching

Desde quando perdi minha mãe, me dei conta que meu mundo se dissolveu. Logo em seguida a Stella nasceu e percebi que a ordem e as prioridades da minha vida já não eram mais as mesmas. Antigos sonhos se diluíram para dar espaços a novos. Há dois anos exatos a Stella nasceu e com ela nasceu também a urgência de transformação e mudança. Pessoal e profissional. Sempre fui uma pessoa decidida e batalhadora, mas acho que nunca precisei da audácia necessária de agora. Por isso comecei meu processo de coaching. Tornei-me coachee.

Passada a fase de achar que precisava de uma consultora de estilo, ou de ir mais à igreja, descobri que é tempo de ter mais clareza das escolhas a serem feitas, de ter mais confiança, desenvolver as ideias e comportamento, de obter mais desafios, de maximizar meu potencial, de autodescobertas, de ser ao invés de ter!

Descobri que ser feliz é mais importante do que ter algumas coisas. Resolvi assumir que preciso fazer algumas mudanças. Sei que me dedicando 100% do tempo para meus filhos e casa não me faria feliz completamente. Mas meus filhos estão crescendo e sinto que estou perdendo a melhor fase da vida deles. E me dói perceber isso. Ainda mais quando penso que talvez nem tenha mais outro filho para que eu possa fazer algo diferente. E também não tenho outra vida. Está valendo essa aqui e agora que estou vivendo. Eu queria muito poder conciliar as duas coisas: trabalho e filhos. Mas como? Foi então que decidi fazer coaching.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

Página 1 de 11123456...Última