11 dez 2012

Cheia de Bossa

por
Gabi Miranda

Na Mídia

Eu contei aqui que participei do brunch da campanha “Culpa, não”, promovida pela revista Pais & Filhos. O que não contei é que fui escolhida pela revista para dar uma entrevista para a seção “Família é tudo”. Exerci aí uma das coisas que aprendi durante a gestão: paciência – neste caso, paciência para esperar chegar a revista e compartilhar com os amigos e familiares. Por isso não contei nada antes.

Meu exemplar chegou sexta-feira (07/12) e foi uma grande surpresa! A gente sempre acha que vão publicar justamente a foto que não gostamos, um comentário que fizemos e depois achamos que não devíamos ter feito, ou seja, criamos uma expectativa enorme e depois ficamos um pouco frustrados.

Mas a expectativa superou. Amei a foto que ocupa metade da página. Amei todas as fotos que registram alguns detalhes da nossa casa. Amei demais o título: Cheia de Bossa. Nós amamos! Benjamin já entendeu que tem uma foto dele na revista, não sabe como, mas sabe que tem e aí quando vê a capa do mês quer a todo custo pegar a revista e fica olhando como se tivesse lendo. Maridão comprou alguns exemplares e já combinamos: vai ser mais uma lembrança… Avós, tias e tias-avós também já compraram. Quer dizer, o negócio já se estendeu para a família toda. 

Marcada a entrevista, eu fiquei um pouco ansiosa, preocupada com a bagunça de casa (a sorte é que na semana anterior, eu tinha organizado o quarto da bagunça. E juro, nem sonhava com essa possibilidade) e se eu teria bagagem para compor uma matéria. Acompanho a seção “Família é tudo” e sempre percebi que são famílias com histórias bacanas para contar. Eu não me achava com uma história interessante. O que eu ia contar? Que passei mal os 4 primeiros meses? Que fiquei com muito medo de perder o bebê? Que eu senti culpa ao deixá-lo no berçário, mas que essa culpa foi embora? E o que na minha casa tinha de interessante sobre nossa história…??? Eu só estava segura  e tinha certeza de uma coisa: a família inteira tinha que estar presente, afinal o nome da seção dizia (e pedia) isso.

Logo essas preocupações bobas passaram. A visita da editora Larissa e equipe Pais & Filhos foi muito agradável. Eu, que não gosto de vídeo, esqueci que estavam filmando. Conversamos durante três horas que nem vimos o tempo passar. Benjamin ficou lá de boa, exceto alguns momentos quando queria a atenção para ele – bem lembrado na matéria. Conforme a entrevista foi rolando, passeamos por cada cômodo, dei conta de quanta história nossa família tinha e, principalmente, o quanto dessa narrativa tinha em cada cantinho da nossa casa.

Fiquei muito feliz com o resultado da publicação. Fiquei emocionada ao ver a revista. Só uma jornalista, mãe e com a sensibilidade que possui a Larissa conseguiria fazer o que ela fez. Embora, a matéria seja pequena, Larissa conseguiu solidificar códigos de nossa família, captados naquelas três horas que passamos juntos. Emoção pela dimensão do significado de família – que pra mim sempre é TUDO. Quando vi a revista tive certeza: estamos indo bem na construção da nossa.

Depois de descobrir que a minha casa é cheia de história, minha família é cheia de Bossa, é claro que essa será mais uma lembrança que vai compor as paredes lá de casa. Aguardem.

Um grande abraço à equipe Pais & Filhos. 🙂

Familia é tudo 1

Família pe tudo 2

compartilhe!

0

comente!

0 resposta para “Cheia de Bossa”

  1. […] eu nunca senti essa casa como se fosse minha, nunca me senti a vontade nela, nunca achei – até a visita da revista Pais & Filhos – que essa casa transmitia a minha história. A história da minha família. E de fato ela tem […]

  2. […] Foi difícil porque embora não pareça, eu demoro para tomar decisões (até eu me surpreendo às vezes). Pensei em fazer um desenho, mas todos os blogs maternos que entro (e que gosto, não é nada contra) são com desenhos e não acho que tinha a ver comigo. Sem contar que o nome do blog não me ajudava a fazer as ligações. As pessoas até devem se perguntar porque o nome “Bossa Mãe”. É claro que chegar nesse nome não foi fácil, percorri muitos caminhos até me deparar com a palavra bossa que está presente em minha vida de várias formas. Minha mãe sempre foi festeira, meu pai um boêmio, ele inclusive, vive dizendo que sou o Carnaval dele… aí olhei no dicionário e como contei no parto do Bossa Mãe, um dos significados para Bossa no Houaiss é: aptidão, disposição, propensão – tenho tudo isso de sobra para a maternidade e, disposição, por exemplo, tenho para tudo que me proponho a fazer na vida. Ah! e tem o meu Ben, eita molequinho cheio de bossa! O menino adora música, tem em casa todos os instrumentos que ilustram a nova cara do blog (menos o violino, mas que Benzonca improvisa). Enfim, acho mesmo que formamos uma família Cheia de Bossa. […]

  3. […] 6) Almas perfumadas 8) Num coração cabe tanto amor 9) Das coisas que são inexplicáveis 10) Cheia de Bossa 11) Mães precisam de amigas mães 12) Lista de promessas (domésticas?!) […]

Comente!