10 dez 2015

Chupeta: use com moderação

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Não sou contra chupeta, mas também não sou a favor. Com os meus dois filhos tive medo de usar. Benjamin praticamente não usava muito e largou quando tinha poucos meses de vida. Com a Stella resisti à tentação de apresentar, mas num dia de choros enlouquecedores, cedi. Ela não pegou de jeito nenhum por semanas. Até que decidimos comprar outro modelo e após algumas tentativas ela aceitou. Stella não curte muito, quase não usamos durante o dia. O uso se restringe para a hora de dormir. Acredito sim que a chupeta pode ser uma grande aliada, mas pode ser usada com controle. Chupeta: use com moderação.

chupeta

Todo bebê tem necessidade de sucção, recurso que o acalma, gera um sentimento de prazer e segurança. A chupeta é uma forma de estimulação oral e de relaxamento. Também contribui para que a mãe não se torne uma chupeta-humana, afinal quem não coloca o bebê aos prantos no peito pensando que ele está com fome e depois de alguns minutos percebe que ele está apenas chupetando o seio?!

Defendo o uso moderado da chupeta e de qualquer outro acessório que possa tornar o bebê dependente, pois, quando retirado, pode causar alguma sensação de angústia ao bebê. Além disso, chega um determinado período em que a chupeta se torna prejudicial à formação bucal da criança. E confesso, não acho nada bonito uma criança a partir de 2 anos com esse negócio pendurado na boca. Vale salientar que acessório é diferente de um objeto transitório, como um paninho ou bicho de pelúcia que o bebê adota por volta dos 8 meses. Antes disso, os bebês não se apegam a nenhum costume, são os pais e cuidadores que geralmente implantam costumes.

Sou a favor da chupeta desde que o uso seja limitado desde que ela não se torne um desses acessórios. Para isso não acontecer, existe até maneira correta de usa-la. Ela pode ser oferecida para acalmar ou fazer o bebê dormir, mas perceba que após pegá-la, geralmente o bebê faz isso com grande força e desejo, ele largará após alguns minutos. Isso acontece principalmente quando o bebê pega no sono, ele começa a relaxar e de repente a cospe. Isso acontece porque o bebê já eliminou seu desejo de sucção e vai relaxando e entrando no sono profundo.

Acontece que sempre tem um adulto bem intencionado por perto, acha que o bebê cuspiu a chupeta sem querer e vai lá e enfia a bendita novamente na boca do pequeno. Isso não é necessário. E se for, vamos perceber com a reação do bebê que demonstrará se tem necessidade através de ruídos. Quando o bebê fica dependente da chupeta, a ausência dela pode perturbar o sono do bebê. Ou seja, ele pode começar acordar em intervalos curtos para que a recoloquem na sua boca, até que ele próprio comece a fazer isso sozinho.

Resumindo: não faça como eu – que me torturei aos montes antes de decidir dar a chupeta para a Stella. Sugar é um reflexo natural dos bebês, gostando ou não da ideia, a chupeta pode ajudar. Não se torture, dê a chupeta, mas tente não permitir que ela se torne um acessório indispensável, use-a com moderação, resolva um problema de cada vez e seja feliz. 😉

Leia também: Tchau Chupeta

compartilhe!

2

comente!

tags: , ,

2 respostas para “Chupeta: use com moderação”

  1. […] Leia também: chupeta, use com moderação […]

  2. Eugenia disse:

    Que beleza, esse é o argumento perfeito, moderação e inteligencia! Vou usa-los para convencer minha filha que está na fase da tortura..! Obrigada

Comente!