08 maio 2015

Perdi minha mãe e aprendi a sentir gratidão

por
Gabi Miranda

Comportamento, Desabafo, Maternidade

perdi-minha-mae

Minha mãe seguia a filosofia da Sei-cho-no-ie. Uma das máximas dessa religião é agradecer e ser grato, principalmente aos antepassados. Então, além da fé que ela possuía, minha mãe sentia muita gratidão pela vida e pelas pessoas. Vivia dizendo que tínhamos que ser gratos pelos pais que tínhamos. Hoje eu entendo mais o que ela queria dizer com isso.

Uma vez li um texto de Eugênio Mussak, na revista Vida Simples, no qual ele explicava que existe uma diferença entre agradecimento e gratidão. Agradecer tem a ver com ato e educação, claro é nobre e fortalece as relações. Mas gratidão “é um sentimento, algo que se carrega no peito, que pertence à pessoa como um valor, uma filosofia de vida”.

Quando perdi minha mãe, aprendi algumas coisas. Após um ano da morte dela, sinto-me feliz e com o peito cheio de gratidão. É claro que morro de saudades e tem dias que sinto vontade de chorar de tanta falta que ela me faz. Já fiquei deprimida me achando uma bosta de filha por estar me sentindo feliz em tão pouco tempo após sua morte. Mas imagino que minha mãe queira me ver bem. A minha felicidade no momento, vem de encontro com o meu sentimento de gratidão. Ando feliz com a vida, essa que foi me dada pela minha mãe. Feliz com a pessoa que me tornei, com a família que construí e tudo isso tem o dedo dela.

Prdei minha mãe e aprendi a sentir gratidão pela vida com todas as possibilidades boas ou ruins que ela traz. É nas dificuldades e limitações que aprendemos sobre o valor da vida, das possibilidades que existem ao nosso redor. Isso não quer dizer, que nunca mais vou me revoltar com a vida, muito pelo contrário. Ainda terão outros terremotos, mas tenho certa fé de que sairei deles melhor do que entrei. Eu me tornei melhor com a maternidade, me tornei um pouco melhor com a morte da minha mãe e assim acho que será em outras oportunidades positivas ou não.

Eu queria agradecer à minha mãe esse sentimento de gratidão. De alguma forma foi ela quem fez nascer isso no meu peito. Mas ainda não sei bem como fazer isso. Não vou à igreja. Por falta de coragem, nunca mais voltei ao cemitério em que ele está. Ainda não consigo conversar com ela como se ela estivesse aqui – coisa que ela fazia muito bem com os seus pais. E nem sei se um dia vou ultrapassar essas barreiras. Torço para que ela saiba de alguma forma o quanto me sinto grata por tudo que ela fez por mim e pela vida que tenho. E como dizíamos: feliz todos os dias da mãe!

Leia como perdi minha mãe

 

compartilhe!

1

comente!

Uma resposta para “Perdi minha mãe e aprendi a sentir gratidão”

  1. Lizandra disse:

    Lindo texto, adorei.
    Feliz dia das mães e parabéns pela mãe que você é!
    Beijo

Comente!