22 set 2014

Crianças francesas dia a dia – 100 dicas para educar seus filhos

por
Gabi Miranda

Livros, Puericultura

Crianças francesas dia a dia

Recebi o livro “Crianças francesas dia a dia“, exatamente há seis meses, quando ele foi lançado. Ele estava lá na minha cabeceira somado a outros tantos livros esperando meu ânimo voltar. Quando o peguei, não larguei mais. É daqueles livros fáceis e delícia de ler. Eu já tinha lido “Crianças francesas não fazem manha” (e falei do livro AQUI e AQUI, da mesma autora, a jornalista Pamela Druckerman). Quem conhece, sabe que ela foi morar na França e por lá teve seus filhos, e foi onde aprendeu a educá-los. A educação na França é muito baseada por conceitos da psicanalista francesa Françoise Dolto, profissional admirada e mais famosa em criação de filhos na França. Gostei muito do primeiro livro, embora tivesse coisas que não concordava, com várias outras concordei e aprendi.

Alguns princípios norteadores dos pais franceses são:

  • a crença de que os bebês são racionais e conseguem aprendem coisas se forem ensinados;
  • combinam rigidez com liberdade;
  • devemos ouvir as crianças, mas não fazer e aceitar tudo o que elas querem;
  • acreditam que o tempo ocioso é importante, ou seja, a criança, não precisa ser estimulada 100% do tempo;
  • criança que não sabe lidar com a frustração vai crescer infeliz;
  • é possível ensinar os bebês a dormirem a noite toda;
  • paciência pode ser aprendida, então os pais franceses procuram ensinar paciência aos filhos da mesma forma que vão ensiná-los mais tarde a andar de bicicleta;
  • que provar alimentos faz com que você goste deles;
  • o melhor estilo de educação acontece quando você está calmo;
  • o ideal francês é que nenhuma parte de sua vida, nem ser esposa, nem ser trabalhadora, nem ser mãe, deve eclipsar as outras partes. Mas na França tem um serviço social que torna fácil lidar com isso.

Esse livro Crianças francesas dia a dia é um guia prático com 100 dicas para educar os filhos, onde a autora tenta falar dos princípios que considera mais inteligentes e importantes que aprendeu com os pais e especialistas franceses. É claro que nem todas as dicas funcionam para todo mundo, cada família uma regra, cada criança é diferente, então é preciso se adequar conforme a rotina familiar e se preciso for, quebrar as regras de vez em quando e sempre mudar o que faz, utilizando os mesmos métodos só que de maneira diferente.

A seguir reproduzo 12 dicas tiradas do livro:

  1. Continue sendo sexual

    As revistas de gravidez francesas não apenas mencionam que não há problemas em fazer sexo, como mostram como fazer, incluindo listas de acessórios sexuais seguros para uso na gestação e instruções de como se ajustar a posições no terceiro trimestre. As mulheres francesas sabem que, se você coloca seus podere sedutores no freezer, vai ser difícil fazê-los descongelar depois.

  2. Diga a verdade para o seu bebê

    Françoise Dolto dizia que as crianças não precisam que a vida familiar seja perfeita, mas precisam que seja coerente e não secreta. Quando um avô ou avó morre, os pais devem explicar com delicadeza e levar a criança ao velório por breves momentos.

  3. Faça com que legumes e verduras sejam o primeiro alimento do bebê

    Se o primeiro alimento do seu bebê é cereal de arroz sem graça, ele provavelmente vai gostar. Então, comece com algo mais interessante. Os pais franceses alimentam os bebês com purês cheios de sabor feitos de espinafre, cenoura, abobrinha sem sementes, e outros legumes e verduras. E lembre-se: você escolhe os alimentos, a criança escolhe a quantidade.

  4. Compreenda a ciência do sono

    A chave para dormir por períodos mais longos é que o bebê aprenda a unir os ciclos de sono sozinho. Ele precisa conseguir acordar depois de um ciclo e mergulhar no seguinte sem ninguém ter que sair da cama.

  5. O jantar não deve envolver combate corpo a corpo

    Não deixe que seu filho veja quanto você quer desesperadamente que ele coma os legumes e as verduras. Também não elogie nem comemore demais. Banque o indiferente, permanecendo calmamente positivo com relação à comida. Diga para as crianças que as refeições são momentos de a família ficar junta e apreciar a companhia uns dos outros.

  6. Não ensine seu filho pequeno a ler / não apresse os estágios de desenvolvimento

    É possível ensinar uma criança de 3 anos a reconhecer as palavras, mas para que a pressa? As coisas mais importantes para aprenderem nessa idade é: serem organizadas, articuladas e terem empatia. Os pais devem encorajar com amor e apoiar, não transformar a infância em um campo de treinamento militar.

  7. Deixem que as crianças “despertem” e “descubram”

    Os pais franceses ensinam aos filhos sobre os prazeres sensoriais como experimentar novos alimentos, “descobrir” o corpo por meio de movimento, “despertar” para novas sensações, como espirrar água em uma piscina. O objetivo é ensinar as crianças a apreciarem o mero fato de estarem no mundo.

  8. Afaste-se no parquinho

    Nos parquinhos franceses, você não vê pais narrando cada movimento, descendo no escorrega atrás do filho ou pulando automaticamente para defendê-lo a cada conflito. Eles dão à criança a oportunidade de resolver sozinha.

  9. Trate as crianças como se elas fossem capazes de se controlar

    Valorize a inteligência da criança. As crianças precisam aprender os limites, mas também precisam de amor. “É preciso de amor e frustração para a criança se construir”, explica um especialista. Se você der à criança apenas amor sem limites, ela logo vai se tornar uma pequena tirana.

  10. Lide calmamente com as birras

    Os pais franceses ficam tão constrangidos e perturbados por ataques de birra quanto qualquer um de nós. Mas costumam acha que você não deve ceder uma exigência descabida. Birras não mudam as regras. Às vezes, dar a uma criança chateada mais autonomia pode mudar o humor e acalmá-la.

  11. A culpa é uma armadilha

    As mães francesas tentam afastar a culpa em seu tempo livre. Quando se reúnem, lembram umas as outras que não existe mãe perfeita, mas sim a melhor mãe que seus filhos poderiam ter. Se a vida familiar gira em torno apenas dos filhos, ela não será boa para ninguém, nem para os filhos.

  12. Diga “não” com convicção

    O “não” francês é convincente em parte porque os pais não dizem sempre. Eles acreditam que alguns nãos estrategicamente administrados têm melhor chance de serem absorvidos pelas crianças do que uma montanha deles. Eles usam o “não” de uma forma que a criança percebe quando os pais querem dizer não e não vão mudar de ideia. E quando dizem não, sempre explicam o por quê, o motivo por trás da regra.

No livro Crianças francesas dia a dia ainda tem mais 88 dicas. Claro que nem tudo é aplicável a todas as famílias. Ao final do livro, ainda tem algumas receitas das creches parisienses e uma amostra de cardápio semanal de almoço que eles utilizam.

Leia também: Qual o segredo dos pais franceses?

compartilhe!

1

comente!

Uma resposta para “Crianças francesas dia a dia – 100 dicas para educar seus filhos”

  1. Muito bom, adorei as dicas, voju recomendar esse site, dormir corretamente é sempre um assunto que causa dúvidas.

Comente!