19 ago 2013

Desfralde – Orientações da escolinha

por
Gabi Miranda

Comportamento, Filhos

O desfralde começou e o processo está sendo em parceria com a escola. Como disse AQUI, gostei muito do comunicado da escola e quero compartilhar resumidamente – porque é grande e bem detalhado, com vocês.

Acredito, inclusive, que isso pode ajudar alguém na mesma fase que não tenha tido orientações e dicas da escola.

  • Uma vez retirada a fralda, independente do local onde a criança vá, o uso da fralda fica proibido, pois isso pode confundir a criança;
  • Cuidado para não obrigar a criança ficar muito tempo no penico;
  • Não brigar com a criança, nem expô-la ao ridículo por não ter conseguido se controlar. Nessa fase é comum escapar muitos xixis e cocô. Nada de broncas;
  • Incompreensões e intolerância por parte do adulto, pode causar sérias consequências psicológicas na criança;
  • Nessa fase de adaptação ao penico, é bom que os pais deixem a criança a vontade para, até mesmo, utilizar o vaso sanitário, se assim desejar. Nesse caso, improvise um degrau e um redutor de assento. Fique sempre perto da criança;
  • Procure ficar atento aos horários que a criança costuma fazer suas necessidades, fica fácil para deixá-la mais a vontade para usar o penico;
  • Esteja sempre por perto, converse, demonstre tranquilidade;
  • Deixe a criança apertar a descarga, isso será parte do aprendizado;
  • Estimule, encoraje a criança a usar o penico, mostre que esse é um passo importante para ela, uma nova fase;

Segundo a escola do meu Ben, o importante é que os pais não faça desse processo uma imposição e que transforme essa nova fase em um momento de descoberta para a criança.

Só senti falta de uma orientação com relação a quantidade de roupas a serem enviadas para a escola. Ainda sou mãe de primeira viagem e essa fase pra mim também é novidade. Montei a mala para o primeiro dia de desfralde assim:

– 4 calças (+ a do corpo)
– 4 cuecas
– 3 camisetas (+ a do corpo)
– 3 pares de meia (+ a do corpo)
– 1 blusa de moletom (+a do corpo)
– 1 casaco
– 1 toalha (caso ele faça um cocô daqueles que escorre pelas pernas. Benjamin já foi mestre nessa arte).

Nossa, mas precisa mesmo enviar meias e camisetas também??? Pensei o seguinte, se ele vai estar sem fralda, o xixi vai escorrer pelas pernas e, consequentemente, vai molhar as meias. Se ele estiver sentado ou deitado, pode sim molhar a camiseta e/ou blusa.

Não enviei fraldas. Foi um erro. É necessário enviar pelo menos duas fraldas. Como estamos no início de um processo que ele ainda não tem controle, é necessário usar fralda na hora da soneca – período mais difícil para segurar.

No primeiro dia de desfralde liguei na escolinha pra saber como Benjamin estava se sentindo. Imagina o sentimento de falha que me abateu quando soube que era necessário enviar uma ou duas fraldas para o soninho. Fiquei mal, gente. Uma sensação de “falhei com meu filho”. Mas aprendi a lição.

Hoje completa uma semana que iniciamos esse processo. Depois vou contar em espécie de diário como foi essa primeira semana, mas humildemente, falo que achei que seria muito mais difícil. A imprensão que fiquei, é que as pessoas fazem de certas coisas um bicho papão. Ficou claro pra mim que precisamos de paciência, mas também de muita tranquilidade e esclarecimento para que tudo ocorra bem. Além, é claro, da criança estar preparada. Isso sim, é o mais importante: respeitar o tempo da criança.

Leia também: desfralde, o controle natural esfíncteres e o autoritarismo dos adultos

compartilhe!

0

comente!

0 resposta para “Desfralde – Orientações da escolinha”

  1. […] Não tenho dúvidas, aqui em casa o que funcionou foi a parceria com a escola – que nos orientou desde o início, além de percebermos que Benjamin já estava […]

Comente!