10 out 2017

Fui ao meu velório e renasci

velório

Roma, setembro 2017

Há 25 dias fui ao meu velório. Ops, quis dizer, fui desligada da empresa para qual eu trabalhei durante anos. Ao me despedir das pessoas, parecia mesmo que estava no meu velório. Na hora foi uma surpresa ser desligada, porque naquele dia eu estava saindo de férias. Quem pensa que será demitido no dia em que está saindo para o melhor período da vida? No entanto, era algo que eu esperava acontecer durante o ano de 2017.

Outra coisa que assustou um pouco ao ser desligada, é o fato do marido estar fora do mercado e  a empresa para qual eu trabalhava saber disso. A vida é mesmo muito louca. Há meses venho falando para o marido que queria sair do trabalho para me dedicar aos meus projetos e ao meu maior projeto de vida: meus filhos. Aconteceu dele ser desligado – algo que nem Freud explica! E eu perdi a coragem que estava criando para sair do meu comodismo.

Acontece que quando você não age, o Universo age por você. Quando você pede muito por algo, acontece. Deus ouve suas preces. Mesmo que elas não sejam direcionadas a Ele. (Por isso é importante tomar cuidado com os pedidos que fazemos). E como dizem, Deus fecha uma porta e abre janelas. E aí que está o lance…

No dia em que fui desligada, chorei, claro, eu pensava no convênio saúde das crianças, pensava nas amizades que fiz e nos longos anos em que me dediquei à referida empresa. E quando fui me despedir das pessoas, chorei. Chorei pela saudade que futuramente virá. Chorei porque toda despedida dói. Chorei também porque poucas pessoas e me lembro exatamente quais, tiveram a capacidade de me fazer enxergar a oportunidade que eu tinha nas mãos. Muitas outras (de dentro e de fora) me fizeram sentir no meu velório. Juro. Caras de lamentos, de pena, de “ah coitada”… mas eu compreendo.

Muitas dessas pessoas não me conheciam profundamente, não tinham detalhes da minha vida. Até as que tinham, ficaram preocupadas e por dias seguiram assim, me mandavam mensagens, me ligavam… até que eu precisei lembrá-las. Há algum tempo, eu não estava feliz no meu trabalho. E por muito tempo foi difícil admitir isso pra mim mesma. Eu tinha outros planos, mas não sei por cargas d’água, não tinha coragem de pedir as contas. Durante dois anos eu vinha pensando nisso e esse ano ficou muito forte. E durante esse período de dois anos eu vinha me preparando financeiramente também.

Estamos eu e marido em casa. Essa situação, enxergo como uma oportunidade. De fazer algo novo, de ir atrás dos nossos sonhos, de nos reinventar. Todos nós temos o direito da escolha. De escolhas pequenas até aquelas que podem mudar completamente a nossa vida. Muitas vezes até repelimos oportunidades que podem ser boas. E outras vezes nos sabotamos. A vida não é um parque de diversão, embora tentamos nos divertir. A vida é coisa louca. E ela sempre vai nos exigir e nos cobrar atitudes, ações e reações. A vida quer coragem sim, mas quer também que a gente se vire. E toda hora precisamos tomar decisões.

No dia seguinte ao meu desligamento, a minha decisão foi enxergar isso tudo como uma oportunidade. Eu poderia escolher o papel de vítima, mas definitivamente não combina comigo. Não sei o que está por vir e isso tudo dá um medo do c… (piiiiii). Nem todos os acontecimentos da nossa vida dependem da nossa vontade. Não faço ideia porque eu e marido estamos passando por esse momento juntos, porque tudo isso calhou de acontecer no mesmo período. Mas tenho certeza que temos algo para aprender disso tudo. Alguma lição vamos tirar. E daqui algum tempo, depois dessa maré toda passar, vamos olhar para trás e tirar muitas coisas boas dela.

Enquanto isso, tem muitas pessoas preocupadas em me arrumar um emprego. Eu acho super fofo, bonitinho ver como as pessoas se preocupam. Mas eu prefiro o emprego para o marido. Rá! Minha intenção não é parar de trabalhar, nunca foi! Mas eu quero tirar um período para trabalhar em modo home office, quero também me dedicar ao blog – que é um trabalho e por muito tempo demorei para encarar dessa forma, quero estudar (e quero ver se agora termino meu curso de MKT Digital), e, principalmente, me dedicar aos meus filhos. Trabalho não vai faltar.

A vida não pode ser feita 100% do tempo de coisas incríveis. Sei que terão dias de altos e baixos. Mas podemos tomar decisões. Eu decido enxergar a metade do copo cheio. E viver esse momento com consciência, lembrando que cada escolha tem uma renúncia, que tudo tem o lado positivo e negativo. As coisas podem melhorar sempre e o poder de fazer isso está dentro de nós. Só acaba quando morremos. Eu quero aproveitar essa oportunidade enquanto estou viva.

Um brinde às oportunidades. Um brinde à vida! 🙂

velório

 

 

 

 

compartilhe!

16

comente!

16 respostas para “Fui ao meu velório e renasci”

  1. Mariana disse:

    Oi Gabi eu adorei o seu texto e sua divulgação sinceridade.
    Isso é a oportunidade que você está tendo no momento de se reinventar como você disse.
    Te desejo toda a sorte do mundo .
    Bjs
    Mari
    Blog Vamos Mamães

  2. Uau! Me lembrou muito a minha trajetória (que envolve mts periodos de distancia do meu marido) até sair de Vitoria pra morar em Saquarema, enfim juntar a minha familia e de quebra me redescobrir na Fotografia Profissional! É incrivle como o universo conspira a nossa favor, resta a gente fazer bom uso do que desejamos! Boa sorte na sua nova vida!!! beijos

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Obrigada, Thaissa!!!
      Que bom saber um pouco da sua trajetória e que pelo visto deu tudo certo. Isso me incentiva e estimula ainda mais. 🙂
      Um super beijo

  3. Mariana disse:

    Falou tudo, as vezes a vida nos prega melhores acontecimentos para futuras oportunidades, fiquei assim há 4 anos, mas naquele mesmo ano descobri uma diabete super alta e pude ver que aquela demissão foi a melhor coisa que me aconteceu.

    bjs

  4. MARIA GABRIELA CARAM disse:

    Que linda !!!
    Isso ai, Deus sabe de TODAS as coisas,

    A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se veem.
    Eu não vejo mais eu espero porque a fé inteligente abre meus olhos e me faz enxergar resultados…

    Torcendo muito por vocês e com a convicção que você vivera o melhor.
    Beijos

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Sua linda!
      Eu precisa trabalhar muito a minha fé. Eu tenho, mas não essa fé que não preciso ver. Confesso.
      Mas quero ter essa fé cega, posso chamar assim? To esperançosa e acho que isso já e um caminho, certo?
      Você é uma das pessoas que aprendi a gostar tanto, mas tanto. E admiro muito seu amadurecimento.
      Um super beijo.

  5. Paula disse:

    Gabi, tenho certeza que tudo dará certo nesta sua nova fase. To sempre te acompanhando e torcendo por vc!!

  6. Sua linda! Já deu tudo certo! <3
    O Universo conspira ….
    Beijos

  7. Rejane disse:

    Gabis, Olha a “intimidade” rs.. Acompanho sua trajetória pelo face / blog, amo seus textos e a forma como você encara a vida. Exemplos como o seu, nos emocionam e nos dão “aquela energia” !! Siga seu lindo caminho, estarei aqui na torcida. Beijo Grande ( :

  8. Lu Martiniano disse:

    Vai, poderosa!!

Comente!