08 mar 2017

A mãe, o menino e a quaresma

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

quaresma

A quaresma lembra o período de 40 dias que Jesus passou no deserto sendo tentado. É conhecido como um período de reflexão, de valorizar o silêncio, avaliar os nossos comportamentos. É um tempo favorável para nossa renovação. Durante 40 dias o exercício é resistir a vontade da carne. É fazer um sacrifício pela vida de Jesus.  Não se faz promessa, não se faz pedido, é um compromisso interno consigo mesmo. Eu nunca fiz quaresma, nem mesmo quando frequentava a igreja na adolescência. Mas resolvi que esse ano faria. Daí surgiu a conversa entre eu e o Benjamin.

-Por que vc não vai mais tomar Coca-Cola, mãe?!

– Porque vou seguir a Quaresma, filho.

– O que é quaresma?!

– Depois te explico melhor, basicamente não pode comer carne, mas estou deixando de tomar Coca-Cola no período de hoje, fim do Carnaval, até a Páscoa.

– Pra quê?

– Pra realizar um pedido.

– Que pedido?

– Que aconteça o que for melhor para todos.

– O que é o melhor?!

– Não sei também, mas o que tiver que acontecer.

– Não entendi…

– Então, filho, eu também não entendo muito, mas minha mãe, sua avó, dizia que não devemos fazer um pedido exato porque nem sempre o que queremos é o melhor para nós. Então, que seja feita a vontade de Deus, que sabe o que é melhor para cada um de nós. E eu também nem sei se a gente faz um pedido na Quaresma. Só sei que vou ficar sem tomar Coca-Cola.

Vem o marido e senta à mesa com um copo de…?!

– Ixi, a mamãe não pode tomar Coca-Cola!!!! Agora ela vai ficar com vontade!

Papo que gerou algumas reflexões. Eu não frequento igreja, mas ao contrário do marido, acredito em Deus. Acredito que algo maior rege o universo, que tudo tem um propósito, que as coisas são como devem ser e sempre da melhor forma. Até as coisas mais negativas e tristes que acontecem em nossas vidas, tem um motivo.

Durante a quaresma é sugerido várias listas de jejuns a se praticar. A ideia é avaliarmos o que tem sido exagero em nossa vida e onde estamos injetando a nossa energia. Além de não tomar coca-cola, algo por qual sou viciada, escolhi para meu sacrifício outras medidas no meu dia-a-dia que envolve o jejum comportamental. Como falar menos, tomar cuidado para não julgar, ser generosa, gritar menos com as crianças, controlar os nervos, ser mais paciente, mandar uma mensagem para alguém que gosto e faz muito tempo que não falo, espalhar mais amor, etc.

Na quaresma não se faz uma promessa esperando algo em troca. Mas estou vivendo um momento profissional de mudanças e tenho pedido sempre que aconteça o que for melhor para todos os envolvidos, inclusive pra mim. Porque minha mãe falava que a palavra tem poder, então precisamos tomar cuidado com o que pedimos, principalmente quando não temos certeza absoluta do que queremos. Deus sabe o que é melhor para cada um de nós. E o que importa é a fé que carregamos no coração.

Outras pessoas, inspiradas pela minha conversa com o Benjamin, começaram a quaresma também. A Aninha, do blog Look Bebê é uma delas e eu também quero saber: Pela quaresma ou por você, qual sacrifício vai fazer?

Leia também: a palavra do Papa Francisco para a quaresma de 2017

 

compartilhe!

5

comente!

5 respostas para “A mãe, o menino e a quaresma”

  1. Gabis, o que importa é o ato de melhorar.. siga no seu propósito! Foco, força e fé que vai conseguir…
    bjs

  2. […] já falaram sobre a Quaresma para os seus pequenos? Lendo esse texto, percebi que ainda não tive essa […]

  3. Eu sou católica era bem ativa até virar mãe. Agora minha fé ficou um pouco mais intimista. Mas Quaresma é uma época super importante! A maioria da minha família fica esse período sem ingerir bebida alcóolica e comer carne nas quartas e sextas. Como álcool não é muito dom eu dia a dia, eu faço apenas o jejum de carne. O jejum é apenas uma forma completa de nos lembrarmos que a Quaresma é um momento de profunda reflexão. Uma preparação para a Páscoa, a maior festa da Igreja Católica.
    Com o teu relato, me surpreendi ao perceber que nunca falei sobre o tema com o filhote! Acho que já está na hora mesmo! Ótima reflexão, amiga 😉

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Tá, eu não tenho religião alguma, mas acredito numa força maior que rege tudo isso. Tenho fé. E tento passar isso pro Ben. Sempre é bom conversarmos com nossos pequenos sobre o assunto. E deixá-los livres para fazerem suas escolhas. 😉
      Super beijo

  4. patricegu disse:

    Gabis, também decidi ficar sem beber nenhum refrigerante até a Páscoa, mas no dia do aniversário do Marcos, no domingo, tomei um copo de Schwepps porque eu simplesmente esqueci Xiiii. E agora? Bom, continuo na minha decisão de ficar sem refrigerante até esquecer de novo. Mas o meu motivo não foi a Quaresma, foi por querer reduzir o consumo de açúcar mesmo.
    Boa sorte pra nós nesses dias todos. Muito mais para não esquecer do que por ficar sem.
    E adorei o diálogo com o Ben.
    bjs

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Você não vai acreditar, mas no segundo dia de Quaresma, fui almoçar e pedi outra bebida. Minha amiga que sentiu a minha frente pediu coca. Enquanto almoçávamos e conversaríamos eu dei um gole na coca dela, qd senti a bebida na boca quase cuspi. Eu me senti mega mal!!!! Mas foi super sem querer. Todo mundo comentou que estava óbvio que foi sem querer e portanto estava perdoado. Acho que o que vale é a intenção. Continue firme e forte!!! 🙂
      Super beijo

Comente!