22 dez 2016

Meus livros em 2016

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros

Uma das minhas metas de 2016 era ler pelo menos 10 livros. Acabei superando a meta e li 15. Pode parecer pouco, mas só quem é mãe entende. Antes da maternidade eu lia dois, três livros ao mesmo tempo. Quando o Benjamin nasceu, o ritmo caiu bastante e um ano depois consegui voltar a ler um pouco mais. Quando a Stella nasceu vi que ter dois filhos era vida louca. Foi quando me coloquei essa meta. Muita gente pergunta: como você consegue ler com dois filhos, trabalhando fora, mantendo o blog?

Eu consigo ler porque desde que voltei a trabalhar da licença maternidade da Stella, passei a andar de condução. Pensei que isso seria um sofrimento pra mim, mas de início comecei a pensar o lado positivo e de cara veio a leitura. Meu momento de leitura é no metrô. Quando esqueço meus livros, confesso é meio chato. Mas quando tenho um livro na bolsa, a viagem se torna agradável. Algumas vezes li antes de dormir – o que eu fazia muito antes da maternidade. Mas agora, eu deito e durmo mesmo, raramente leio. Então a resposta para a pergunta acima é: leio meus livros só andando de metrô!

Cada término de livro, eu indicava no face, no instagram e no snap. Muitas pessoas começaram a me retornar dizendo que adoravam quando eu comentava sobre meus livros lidos. Por isso, surgiu a ideia de compilar num post só todas os meus livros de 2016. Aqui estão todos os meus livros e na ordem que foram lidos.

meus livros

Faltam aqui dois livros que estão emprestados

          1. Grande Magia – Vida Criativa sem medo

Um livro que fala sobre a importância de sabermos identificar os nossos medos para nos conhecermos melhor e ter uma               vida mais criativa. Eu achei bem interessante porque tem algumas lições que podem ser trazidas para a maternidade.

            Leia o que achei sobre o livro em: Grande Magia

  1. 2. Contágio – Por que as coisas pegam?

    Ótima leitura para quem trabalha com MKT, vendas, blog, mídias sociais. Além de muitas histórias, o autor apresenta técnicas para ajudar dissiminar informações e tornar marcas, produtos e ideias mais populares. Livro daqueles que você faz várias anotações e tira vários aprendizados.

    3. A lista de Brett

    Comprei esse livro há dois anos, mas quando comecei a ler tinha acabado de perder minha mãe e o livro começa justamente com o velório da mãe da personagem principal. Não consegui seguir a leitura. Aí um dia fiz uma limpeza na minha estante de livros e ele ficou me chamando. Li numa tacada só.

    Um breve resumo dele: Brett trabalha com publicidade, tem 34 anos quando sua mãe morre e em seu testamento deiza o seguinte desafio para a filha. Realizar uma lista de desejos de quando Brett era adolescente. Ela tem um ano para realizar seus sonhos e então receber sua herança milionária. Só que nesse caminho ela descobre que outras coisas são mais importante que o dinheiro e status.

    É um romance cheio de sensibilidade que fala sobre a busca de realizações, determinação, de um olhar diferente para o outro, abdicação e, ao contrário do que pensei da primeira vez que o peguei para ler, é muito leve, emocionante e cativante.

    Todos os dias, faça algo de que você tenha medo. Continue se obrigando a fazer coisas que lhe dão medo, querida. Assuma os riscos e veja aonde você aterriza, pois são eles que fazem a jornada valer a pena.

    4. Bonsai

    Livro do chieleno Alejandro Zambra, conta a história de Julio e Emília. Eles se conhecem, se envolvem e um dia o desejo morre. É o fim para os dois. Restam as lembranças. Cada um vai viver sua vida. E fim para Emília – fim que o autor não faz questão de esconder e revela no início de tudo. É uma história triste, mas também encantadora.

    Bonsai é a prova de que um romance pode ser curto e ter uma história de amor intrigante, envolvente e entrelaçada com outros elementos e personagens.

    Qual o sentido de ficar com alguém se essa pessoa não muda a sua vida? Disse isso, e Julio, estava presente quando disse: que a vida só tinha sentido se a gente encontrasse alguém que mudasse, que destruísse dua vida.

    5. Quarto

    Esse livro é o que inspirou o filme indicado ao Oscar 2016 “O quarto de Jack”. A história é baseada em fatos reais e muito incrível. Sobre uma mulher e seu filho, fruto de um sequestro. Ela vive há 7 anos trancada num quarto e seu filho há 5 anos. É a história de uma mãe, um filho e um mundo. muito comovente ver como a inocência de uma criança pode transformar com delicadezas as voisas horríveis que acontecem por aí. Ao terminar o livro, você passa a ver as coisas diferentes. Um novo mundo. Algo novo dentro de você.

    6. Para Francisco

    Esse foi uma releitura. Foi a terceira vez que li esse livro. Contém histórias dos pais para um filho. A ideia da autora, Cris Guerra, é contar um pouco sobre o pai do filho dela que morre no meio da sua gestação. Eu gosto muito da Cris. Alguém com uma vida marcada de perdas, mas que não deixa de carregar leveza. E uma das coisas que aprendi com ela é que a gente precisa se distanciar das nossas dores justamente para não sofrer.

    7. O Poder do Discurso Materno

    Esse livro é da Laura Gutman e me causou impressões diversas. Tem um post que falo um pouco sobre: AQUI.

    8 e 9. Como eu era antes de você e Depois de você

    Jojo Moyes arrasou com seus livros em 2016. Eu li apenas esses dois e curti. Gostei mais do 2º (Depois de Você). Também tem história de amor e uma pegada com senso de humor. Ambos os livros tem leitura cativante, aquelas que a gente não quer parar de ler.

    Foi quando trouxemos Will de volta para casa, depois que o anexo foi adaptado e arrumado, que encontrei algum sentido em tornar o jardim bonito outra vez. Precisava dar ao meu filho um lugar para onde olhar. Precisava dizer a ele, silenciosamente, que as coisas poderiam mudar, crescer e fenecer, mas que a vida continuaria. Que todos nós éramos parte de um grande ciclo, algum tipo de arranjo cuja finalidade só Deus poderia entender. Eu não podia dizer isto a ele, é claro – Wil e eu nunca fomos bons de conversar -, mas eu queria mostrar. Uma promessa tácita, se preferir, de que existe algo maior, um futuro melhor. Do livro: Como eu era antes de você

    Aprendemos a conviver com a perda, com as pessoas que nos deixam. Porque elas permanecem conosco, mesmo não estando vivas, mesmo não respirando mais. Não é a mesma dor avassaladora que sentimos no começo, aquela que nos invade e dá vontade de chorar nos lugares errados, que nos deixa irracionalmente irritados com todos os idiotas que ainda continuam vivos, enquanto quem amamos está morto. Mas aprendemos a nos adaptar. É como se acostumar com um buraco dentro de nós… A vida é assim. Não sabemos o que vai acontecer. Por isso temos que aproveitar as oportunidades enquanto podemos. Do livro: Depois de você.

    10. Doce Perdão

    Esse livro também me tocou a alma. Mudou algo dentro de mim. É desses livros que faz o leitor pensar e repensar sobre o poder da confissão, do perdão e do amor. É um livro que super indico a leitura. Gostei demais dele.

    Um breve resumo: Hannah Farr, personagem principal, é uma apresentadora de TV adorada por milhares de fãs e namora o prefeito da cidade. Sua vida parece perfeita até ser abalada por duas pedras. As pedras do perdão que viraram mania no país todo. O conceito é simples: enviar duas pedras para alguém que voce magoou, ofendeu ou maltratou. Se a pessoa lhe devolver uma delas, significa que você foi perdoado.

    11. Meu Romeu

    Peguei o livro sem esperar muita coisa da leitura, mas fui surpreendida. É um romancinho até com bastante açúcar entre dois jovens atores que começam um relacionamento que não acaba muito bem e eles se reencontram 3 anos depois para trabalharem juntos numa peça. Descrevendo assim parece não ter graça, então eu fiquei pensando numa palavra para definir o livro e só penso em uma: excitante. Além de ser uma leitura gostosa, leve e divertida. Trata-se da primeira obra da escritora australiana Leisa Rayven e conquistou mais de dois milhões de leitores.

    12. Minha Julieta

    Continuação de “Meu Romeu”, quando termeinei de ler me deu muita saudades dos personagens Ethan e Cassie. Esses livros despertaram minha imaginação. Faz sonhar, ter paixão, amor… Assistiria fácil o filme dessa história caso vá para as telas.

    13. Produtividade para quem quer tempo

    A gente sempre acha que não tem tempo até que viramos mãe e… Passamos a achar que temos menos tempo ainda. Nesse livro encontrei algumas dicas práticas para programar melhor o dia a dia. Entre as verdades sobre produtividade, precisamos aceitar uma que pode mudar tudo: as tarefas nunca vão terminar.

    Tem um post com um resumo bem bacana dele em: produtividade para quem quer tempo.

    14 e 15. O papai é Pop e O papai é Pop 2

    Piangers é um cara sensível e nesses dois livros conta sua aventura na paternidade. Vou deixar um trecho aqui do primeiro livro

 

Livro que comecei em 2016 e ainda não terminei

Estou lendo “A amiga genial”, primeiro livro da trilogia de Helena Ferrante. Ele é narrado pela Elena Greco, que fala da sua infância até os seus 16 anos. E conta a história do bairro, dos moradores, de um tempo marcado pela violência e da amizade dela e sua amiga Lila. Tão diferentes uma da outra, Elena tem uma fixação inexplicável pela amiga.

Livro que comecei a ler e desisti

“O amante japonês”, de Isabel Allende. Um caso de amor de uma menina chamada Alma com o filho do jardineiro da casa dos tios que ela mora. Ocorre um ataque (a história acontece em 1939, ano da ocupação da Polônia pelos nazistas) e os dois são cruelmente separados. Décadas depois, Alma está no fim da vida, sendo cuidada por uma enfermeira que junto com o neto de Alma descobrem diversos presentes e cartas enviados para Alma. Eu suponho que sejam do amor do passado, mas a leitura não estava fluindo e por enquanto decidi pausar.

E aí, gostaram? Espero que sim!E se tiverem dicas de leituras, manda pra mim. 😉

compartilhe!

6

comente!

6 respostas para “Meus livros em 2016”

  1. […] livros Coloquei meta esse ano para ler 10 livros. Li mais. Ler é a melhor coisa desse mundo. Relaxa e te faz […]

  2. Karina Alves disse:

    Amei as dicas… que delícia de livros, estou louca para ler Meu Romeu e Minha Julieta, deve ser bem do estilo que amo a leitura.
    Mas você esqueceu de um pequeno detalhe, sua leitura do metro, não é a mesma com a minha presença especial… kkkk

  3. Rafaela Louredo disse:

    Oiii! Adorei as dicas!!
    Feliz 2017!
    Bjoss!

  4. Iorhana disse:

    Indico: O Sol e para Todos – Harper Lee ♥
    Ainda leio muito pouco – fora os livros da faculdade -, mas vou caminhando …
    Inspirador o post ! Bjs

Comente!