29 jun 2015

O que um recém nascido precisa

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

O que realmente um recém nascido precisa?

recém nascido

Todo mundo tem me perguntado: o quarto já está decorado? O enxoval está pronto? Já tem bolsa de maternidade? Já mandou fazer a lembrancinha? Você já tem tudo o que um bebê precisa? Escuto essas perguntas meio sem saber o que responder para não parecer uma mãe desleixada. Vejo as redes sociais cheias de quartos de bebês, decoração, lembrancinhas, listas de enxoval e do que levar para a maternidade, bolsas… Fico até zonza. Fico a me perguntar: o que realmente um recém nascido precisa?

É claro que quando fiquei grávida do Benjamin me preocupei infinitamente com coisas que hoje percebo serem desnecessárias. Primeiro filho, mãe inexperiente! Nos deixamos levar por todas as pesquisas que fazemos de lista disso e daquilo. E acreditamos que um recém nascido precisa de tanta coisa. Já nessa segunda gravidez eu realmente estou mais desencanada. Não comprei nada, exceto um body e uma meia aqui, um mijão e um macacão ali. Tenho algumas roupinhas que foram do Benjamin, todas as mantas dele e achei suficiente. Berço é o mesmo que foi do Benjamin – que agora está dormindo de forma a La Montessoriano e está adorando. Não vi a necessidade de comprar um novo. Temos uma cômoda que também era do Benjamin e estava inutilizada em casa. É onde estou guardando as coisas do bebê e onde será o trocador, assim como foi com o Ben.

Percebo que nessa gestação tem dois fatores primordiais para esse meu desprendimento. Um: já ter um filho. O me dá a experiência de enxergar como tem coisas que compramos exageradamente e no fim são desnecessárias para um recém nascido; dois: não saber o sexo do bebê. Se eu soubesse o sexo do bebê, se fosse menino, possivelmente também não teria gasto muito, pois já tenho alguns itens do Benjamin. Mas se fosse menina, provavelmente já teria gasto os tubos de dilmas comprando compulsivamente tudo o que visse de recém nascido pela frente. Sabemos que meninas tem muito mais opções de tudo e muitas firulas. Imagino que já teria decorado o outro quarto e desistido da minha ideia de sempre que é, os irmãos, independente dos sexos, compartilharem o mesmo quarto.

Esse assunto me faz pensar o motivo das pessoas quererem saber o sexo desesperadamente ao confirmar a gravidez. Todas as vezes que fui fazer ultrassom, me deparei com a surpresa dos médicos quando me ouviam falar que não queria saber. Todos, sem exceção, comentaram que é muito raro acontecer isso, as pessoas entram e a primeira coisa que querem saber é o sexo. Aquele exame de sexagem confirma isso, antes mesmo de realizarem a primeira ultra, as pessoas realizam o exame de sangue para descobrirem o sexo. Fico a me perguntar: qual o motivo disso? É comum querermos saber o sexo, existe muita ansiedade e expectativa por todos os lados. Mas dá pra esperar até a 13ª semana para descobrir o sexo através de ultrassom, não?! O que é mais importante: a saúde do bebê ou o sexo dele? Pra mim, sem dúvida, é a saúde.

A gravidez, assim como várias outras coisas, tornou-se alvo de consumo. Sabendo o sexo, eu compro, compro e compro. E nem sei se todos se dão conta disso. Eu só percebi isso agora. Antigamente, era usado fralda de pano nas crianças. Viva a vida moderna que facilita – e muito – nosso dia a dia, principalmente de mães, como eu, que trabalham fora. Mas precisamos tomar cuidado para não virarmos escravos consumistas e nem trazer para nossa realidade o que vemos na TV, internet e propagandas. Inclusive, redes sociais e blogs – onde todos só estampam felicidade e não de fato como a realidade é.

Mas respondendo às perguntas: não, o quarto não está decorado, será compartilhado com o irmão, está montado e (quase) arrumadinho; o enxoval está pronto considerando que não comprei quase nada e usarei muita coisa que era do Benjamin, desde roupas e mantas até bebê conforto, banheira, berço, cômoda e várias outras coisas; sobre a bolsa maternidade não comprei uma nova, ainda temos a do Benjamin e várias outras que ganhamos de presente por conta do blog; não mandei fazer lembrancinha, já tinha algo em vista quando amigas queridas me disseram que me darão de presente; agora, se eu tenho tudo o que um bebê precisa, hum….

Temos todos os itens básicos e muuuuuitas fraldas que ganhamos no chá-fraldas. E temos outras coisas que eu defino como itens essenciais para um recém-nascido/criança: lugar seguro e quentinho para dormir, aconchego, atenção, colo, um irmão (para amar e aporrinhar de vez em quando), um animal de estimação, um paizão, uma mãe com dois peitos cheios de leite (se Deus quiser!), carinho, um lar de 80m² em que não cabem muitos móveis, mas cabe o infinito de amor. 😉

compartilhe!

3

comente!

3 respostas para “O que um recém nascido precisa”

  1. Larissa disse:

    Me identifiquei!!👏👏👏

  2. […] Vale lembrar, que cada família tem suas necessidades, sua rotina, sua conta bancária e essas são apenas sugestões a partir do que achei válido na lista da consultora Paula Laffront, considerando a minha experiência. Experiência que tem sido levada em conta nessa minha segunda jornada materna, que me ensinou além de praticidade e economia, que algumas coisas são efêmeras e que um bebê precisa de coisas muito mais sólidas, duradouras, como conforto e todo o amor e carinho qu…. […]

  3. Lele disse:

    Adorei hubzilla!
    Ta lindo o post e bem o que eu acredito em relação ao que o baby precisa meeeeesmo!
    bjao

  4. Lizandra disse:

    Ai Gabi, super me identifiquei com esse texto!!!! Adoreiiiii.
    Aliás, estou adorando essa volta dos posts mais frequentes e os temas. 🙂

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.