20 maio 2015

Plano de saúde: a importância dele ao planejar a gravidez

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Plano de saúde

Quando planejamos engravidar pensamos em milhões de coisas: como preparar o corpo para a gravidez, a alimentação adequada, exercícios mais indicados para gestante, nossas condições financeiras para criar e dar tudo de melhor para nosso filho, educação, com quem a criança ficará enquanto nós pais trabalhamos, e, entre tudo isso e mais um pouco, tem um ponto muito importante, a saúde da grávida e do bebê.

Que gravidez não é doença já estamos cansados de saber, mas é preciso uma série de cuidados e acompanhamentos de profissionais qualificados da área da saúde. Obstetra é um dos profissionais que não poderá faltar. É ele quem acompanhará toda a gestação, o parto e pós-parto. Durante os nove meses realizaremos consultas e uma série de exames a fim de acompanhar o desenvolvimento do bebê. Por isso, o primeiro item do nosso planejamento antes de engravidar, deve ser um plano ou seguro de saúde confiável e de preferência com ampla cobertura.

É essencial fazer a contratação do plano de saúde com antecedência, pois todos os planos possuem carência de 300 dias para o parto, além de 180 dias de carência para consultas, exames e possíveis internações. Obviamente, esperamos sempre o melhor, mas durante a gravidez pode ocorrer algo indesejado como aborto, parto prematuro, hemorragias, pressão alta, diabete gestacional ou até mesmo enjoos e desidratação, que foi o meu caso no início da gravidez e me fez passar boas horas em pronto socorro sendo medicada.

A maioria das pessoas contratam planos de saúde sem ler todas as condições e na hora do aperto descobrem que nem tudo faz parte da cobertura. No caso de uma gravidez, é preciso observar vários elementos antes de contratar esse serviço, a principal é a extensão da cobertura, ou seja, o que está incluso no plano: consultas pré-natal, exames, procedimentos ambulatoriais, internações, parto, tipo de acomodação (enfermaria ou quarto), abrangência geográfica da cobertura (nacional, estadual, municipal), maternidades do plano, acompanhante durante e após o parto, atendimento integral para o recém-nascido (berçário e UTI) e, principalmente, a inclusão dele sem carência no plano.

Guia da Gestante Plano de Saúde – O que saber

Não é brincadeira, é muito sério e fundamental pesquisar, avaliar e estudar o plano ideal e que se enquadre no perfil para a gestante. E foi pensando nisso que Fenasaúde – Federação Nacional de Saúde Suplementar, entidade que representa 16 grupos de operadoras de plano de saúde, desenvolveu o Guia da Gestante Plano de Saúde – O que saber. Nele encontramos 46 respostas sobre as coberturas dos planos e seguros de saúde, esclarecimentos do período da gestação ao nascimento do bebê. Além de responder todas as dúvidas sobre a cobertura dos planos, traz informações sobre os tipos de partos, doulas, exames que precisam ser feitos nas primeiras semanas de vida do bebê, direitos da gestante e do recém-nascido, cobertura obstétrica para homens (muita gente não sabe, mas existe!), entre outros dados. O guia também é voltado às mães que vão adotar seus filhos, pois existem exigências e detalhes específicos.

Se você está pensando em engravidar, vale a pena fazer o download do Guia da Gestante Plano de Saúde – O que saber em www.fenasaude.org.br/fenasaude/publicacoes/ e ler atentamente todos os esclarecimentos antes de fazer a aquisição de um plano. Acompanhe outras dicas no Facebook https://www.facebook.com/planodesaudeoquesaber.

selo-publipost-hubme

compartilhe!

0

comente!

0 resposta para “Plano de saúde: a importância dele ao planejar a gravidez”

  1. […] é de hoje, que várias mamães sabem a importância de ter um plano de saúde para recém-nascidos, então não deixe de saber mais sobre […]

Comente!