17 fev 2016

Política também faz parte do maternar

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Política também envolve nossos dilemas maternos

politica-bossa mae

Já faz um tempo, revelei para o meu pai que não gostava de política. A verdade é que não estudo a respeito e não me sinto à vontade para entrar numa discussão sobre o assunto. As informações que tenho são baseadas em conversas com ele, outras que leio ou vejo na TV. Além de não ter tanto embasamento, não entro em rodas de conversas com esse tema porque não curto o tom e o lado para o qual as pessoas levam o assunto. Política gera mal entendidos, desrespeito (afinal, poucos respeitam e ouvem de coração aberto a opinião do outro), leva até a fim de relacionamentos. Refletindo esses dias sobre a maternidade e tudo o que ela acarreta, descobri que, de certa forma, gosto de política, afinal maternar também é fazer política.

Toda mulher exerce e acumula várias funções quando vive o papel de mãe, consequentemente também pratica política. Estamos a todo tempo fazendo escolhas: o que comprar para dentro de casa, como alimentar a criança, para qual escola ela vai (e como irá), se vai assistir TV, quanto tempo e que cultura vai consumir. A mãe é a grande responsável e idealizadora das mudanças na organização da vida familiar. Estamos preocupadas com a igualdade de gêneros, com o mercado de trabalho, o juros alto, com a educação, religião, com a segurança mundial, com a lancheira e obesidade infantil, com o Zika Virús, com consumismo consciente, com a separação do lixo, com o meio ambiente, com as relações, em como lidar com as frustrações de nossos filhos, em ajudar o próximo, em melhorar o mundo. Estamos preocupadas em participar de debates que contribuem para uma sociedade melhor e de passar mais tempo com os nossos filhos.

As mães se tornam engajadas, criam blogs, discursam, viram empreendedoras, geram trabalho, tomam decisões, organizam ambientes na casa para que se torne apropriado para seus filhos e até dos outros.  Por sua vez, o mercado, os meios de comunicação, o sistema, o Estado segmentam os direitos das mães, os conteúdos direcionados a elas, como se não estivéssemos ligadas em todos os debates que repercutem a maternidade: fertilidade, tratamentos de fertilização, a revolução com a pílula, mercado de trabalho, a proibição do aborto, o número infinito de cesarianas no Brasil, a amamentação e seus desafios, a licença maternidade em países subdesenvolvidos, o controle de natalidade na China, a adoção por casais héteros e homossexuais e assim por diante. Ou seja, fazemos política diariamente a partir da nossa vivência materna. Não somos apenas mulheres, um corpo com a função única e exclusiva de parir. Somos mulheres, mães, profissionais, cabeças pensantes, preocupadas e cheias de ideais políticas.

compartilhe!

11

comente!

11 respostas para “Política também faz parte do maternar”

  1. Lele disse:

    Gabis,
    eu tb acho que não entendo nada mas, conversando com algumas pessoas, descobri que sei mais do que a média e que podemos (e devemos) ampliar nossa consciência e explicar nosso entendimento.
    A consciência política é fundamental para melhorar o país.
    Todos devem ter, exercitar, ampliar.
    bjs
    Lele

  2. Gabis, o maternar me tornou muito mais consciente e ativa. Eu também não gosto muito de debater política justamente por não me sentir conhecedora já que nao estudo o assunto e a informação que tenho vem muito da impressa que não confio tanto. Mas, como você disse, nem por isso não pratico política em alguma esfera.
    Adorei o seu texto.
    beijos
    Chris

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Chris, acho que a maternidade nos transforma demais em todos os sentidos. E acabamos ficando mais conscientes, ativas e preocupadas com o que acontece no mundo.
      Obrigada pela visita. Fico feliz que tenha gostado do post.
      beijo

  3. Genis Borges disse:

    É verdade querida, a política está nos nossos afazeres e tomadas de decisões do dia a dia.
    Eu sempre estou “metida” em política, ainda mais na sala de aula.
    Abraços. Genis

  4. Flor, sua sinceridade já é política! Na verdade, temos aquele estigma de que política é assunto chato, relacionado à governo economia e etc, mas vai bem além disso. Não sou das maiores ou melhores entendedoras, mas o pouco que estudei na faculdade me fez enxergar a Política como relacionamento humano. E aí vai da gente escolher como fazer esse relacionamento… Sem duvida, a maternidade nos dá várias chances de nos engajar politicamente falando! Beijos

  5. Mi Gobbato disse:

    Adorei o post, a coisa mais difícil é eu falar sobre política pois tenho a mesma opinião que vc isso gera muito conflito e adorei o ponto de vista pois não tinha parado para pensar dessa forma

    Bjs Mi Gobbato – Espaço das Mamães

  6. Bárbara disse:

    O problema é que a política do nosso país está cada vez mais suja. Mas a melhora depende de nós. Ótimo post!

  7. melissa disse:

    Eu gostava muito de política, já fui bem engajada, participava de reuniões políticas, mas hoje em dia tenho nojo desse mundo!
    Temos que ser politicas sim, não deixar de participar da sociedade!!
    Bjs

  8. Não curto politica também, mas após ler o seu texto, percebo que em certos pontos temos que ficar bem “ligadas” e conhecer melhor certos aspectos!

Comente!