15 fev 2016

Primeiro filho – Prepare-se financeiramente

por
Gabi Miranda

Destaque, Dinheiro, Gravidez, Maternidade

Preparando-se financeiramente para a chegada do primeiro filho

Por Fabiana Ramos, Coach Financeira e Fundadora do Mulheres com Dinheiro.

Planejamento-primeiro-filho__

 

Que maravilha é a expectativa pela chegada do primeiro filho!! Que delícia receber o exame positivo, observar a sensação de ter um serzinho dentro de você, desfrutar da alegria do primeiro chute,… Que lindo ver a barriga crescendo e o corpo se transformando para acomodar aquele que é o seu maior tesouro.

A gravidez é, a meu ver, a etapa mais linda da vida de uma mulher.

A chegada do primeiro filho traz muitas mudanças à vida da nova mãe e do casal, tanto na questão do próprio relacionamento, quanto no que se refere ao tempo (que antes era somente do casal e agora será dividido por 3) e também em relação às finanças.

Vamos hoje falar sobre as finanças da nova família.

Todos sabemos que um filho traz muitas alegrias, mas também muitos novos gastos.

O ideal mesmo era que o casal tivesse feito uma “poupança-bebê” e tivesse separado uma quantia mensalmente para ir juntando aos pouquinhos… assim, quando a cegonha batesse à porta com o primeiro filho, não haveria motivos de preocupação.

Mas sabendo que uma parcela pequena das pessoas age dessa maneira, é preciso organizar muito bem as despesas já na etapa da gravidez para que as finanças da família não entrem em colapso.

Afinal, de que um filho precisa além de muito amor, atenção, colinho e aconchego?

Precisa de PLA-NE-JA-MEN-TO !! Organizar e planejar o orçamento são palavrinhas-chave por aqui.

Vejamos:

  1. Faça o seu orçamento doméstico: anote suas receitas e despesas e verifique o que entra e o que sai de suas contas. Tenha uma noção bem clara do quanto você dispõe para poder encaixar todos os gastos com o primeiro filho. Às vezes, será necessário fazer alguns ajustes, diminuindo determinadas despesas para poder assumir novos compromissos financeiros. Peça ajuda a amigos com filhos para entender que novos compromissos seriam esses.
  1. Relacione as despesas que você terá durante a gravidez: consultas e exames não cobertos pelo plano de saúde, parto particular (se for o caso), roupas confortáveis para a mamãe, blusas e sutiãs para amamentação, reformas em casa, montagem do quarto, enxoval do bebê*, carrinho, cadeirinha para carro…

*Gostaria de chamar a atenção para o item “enxoval do bebê”. Praticamente todos os itens comprados para um bebê pequeno são usados durante muito pouco tempo. Roupinhas e sapatos, bem como o moisés (para as mamães que gostam) e outros itens, geralmente, permanecem praticamente novos após o uso. Sendo assim, que tal pesquisar alguns brechós infantis ou sites de seminovos para bebês? As redes sociais já têm diversas comunidades onde mães se reúnem e vendem itens dos seus filhotes que já estão fora de uso por um preço bem mais em conta.

Além de podermos comprar itens mais baratos para o enxoval, é preciso ter em mente também que o bebê perde as roupinhas e sapatinhos muito rápido. E por isso, é preciso ficar alerta para não comprar demais… Algumas mães relatam que existem roupinhas que o bebê perdeu antes mesmo de serem usadas….

O ideal é que todas essas despesas já estejam quitadas antes do nascimento do bebê. Procure pagar à vista, ocasião em que você pode negociar descontos, e, principalmente com essa economia decrescente que assola o país, o comércio está ansioso por vender… Então, não economize na negociação!

  1. Chá de fraldas: organize um chá de fraldas mais modesto. Temos visto por aí chás de bebês mais pomposos do que festa de debutante ou de casamento! Ora, mas o objetivo não é reunir amigos e família para ajudar nas fraldas? Então não vale gastar rios de dinheiro numa super festa para ganhar fraldas, não é mesmo? Se não, a festa perde o sentido…. se gastarmos mais com a festa do que com pacotes de fraldas, a comemoração não está cumprindo o seu fim. E sem sombra de dúvida, aqui está o item mais volumoso e dispendioso do enxoval!!!

Uma alternativa mais barata e ecológica seriam as fraldas de pano. Há mamães que são adeptas, há bebês que são alérgicos às fraldas descartáveis… ou seja, veja o que melhor lhe satisfaz.

  1. Gastos do dia-a-dia do bebê: no seu planejamento, inclua os gastos que você terá com o bebê a partir do seu nascimento. Plano de saúde, médicos particulares, exames, vacinas, fraldas, remédios, babá ou creche/escolinha, roupinhas, etc.
  1. Invista no futuro do seu filho: assim como seria bom ter feito a “poupança-bebê” muito antes do casal engravidar, será ótimo também considerar fazer uma poupança para o futuro do filho, seja para pagar os estudos, fazer um intercâmbio ou comprar o primeiro carro.

Mas atenção: o nome “poupança” aqui nada tem a ver com Caderneta de Poupança, que absolutamente não é a melhor forma de ver o seu dinheiro crescer em tempos de taxas elevadíssimas dos juros. Existem outras alternativas bem mais rentáveis (procure se informar).

O primeiro passo para que a poupança para o filho dê certo é ter um objetivo muito claro. Se os pais não tiverem clara a finalidade para a qual estão poupando, a chance de usar esse dinheiro antes do tempo com outros objetivos é grande.

Uma outra dica é fazer o investimento no CPF do filho. “Isso cria uma barreira psicológica que impede o pai de usar a economia da criança para ele”, diz o educador Mauro Calil.

Mas antes de os pais investirem em algo para os filhos é preciso que eles já tenham construído seu próprio patrimônio. Afinal, pais que dependam exclusivamente das finanças dos filhos quando chegam na velhice acabam comprometendo o futuro de todos.

Conclusão

É possível que alguns casais estejam um pouco assustados ao lerem esse artigo. Os gastos são enormes mesmo!! Mas lembre-se de que com organização e planejamento é possível levar uma vida equilibrada e tranquila.

Precisamos apenas não nos deixar levar por esse momento tão especial e consumir de forma consciente. Agindo assim, você já estará pronto para ser um exemplo de educação financeira para o seu baby.

Até a próxima!

Fabiana_Mulheres com Dinheiro

 

compartilhe!

3

comente!

3 respostas para “Primeiro filho – Prepare-se financeiramente”

  1. Lindeza de post! Concordo com as dicas! Eu até acho que o chá de fraldas é dispensável, já que o que se gasta pra montar um, chega a cobrir o gasto com as fraldas… Mas sim, planejamento é tudo né? Eu não fiz nem no primeiro e nem no segundo filho e não nego que nos apertamos pra dar conta…

    Beijocas

  2. Planejamento é a palavra-mantra para quem vive no Brasil e tem ciclos de inflação que corrói nosso poder de compra. Uma dica para a “poupança” é comprar títulos do tesouro direto. Há várias modalidades: títulos para serem resgatados em seis meses, em dez anos, em vinte anos. E podem ser comprados a partir de R$ 30.
    Gasto com filho é para sempre. Isso não quer dizer que a conta tem de estar sempre no vermelho. Muito pelo contrário.
    Adorei o post e as dicas!
    bjs

  3. Lele disse:

    É isso! Planejamento financeiro nunca é demais… e se achamos que nessa fase gastamos muito, com eles maiores os gastos sao maiores tb!
    beijooos
    Lele

Comente!