20 ago 2014

Quando chega a hora do segundo filho

por
Gabi Miranda

Família, Gravidez, Maternidade

Seu filho já não usa mais fralda, nem lenço umedecido, vai ao banheiro para fazer xixi sozinho, come sozinho, a casa já não tem mais nenhum indício de bebê, a não ser a mamadeira velha do primogênito que insiste em não largar. Você já toma banhos longos, não cheira a leite, tem noites inteiras de sono ininterruptos. Mas quando vê alguém grávida, suspira; quando vê um bebê, quer pegar no colo; sente saudade daquele cheirinho de bebê na casa. E todos a sua volta não param de lhe cobrar questionar: e aí quando vem o segundo filho? Inevitavelmente (ou não), você começa a pensar no segundo filho.

Então surgem várias dúvidas. Será que estão prontos para um segundo filho? Será que darão conta de tanta responsabilidade? O orçamento, vocês conseguirão arcar com todas as despesas e manter o padrão de vida? Quem vai ficar com os dois quando os pais precisarem, por conta do trabalho ou até mesmo para uma fugidinha? Será que o primeiro filho já quer ter um irmão (a), entenderá? Será que o intervalo de idade entre um e outro filho está bom, já está distante ou pode ficar? Vocês estão prontos para administrar o possível ciúmes do irmão (a) mais velho? E para lidar com personalidades e características diferentes entre seus filhos? É um turbilhão de incertezas que junta com outras mais. Será que tem data certa para ter o segundo filho?

Sinceramente, acho até que tem data certa para ter o primeiro filho. Não digo data como algo cronológico, mas de preparação. Acho sim que filho deve ser algo planejado. Pai e mãe devem ser maduros para quererem cuidar de uma criança. A chegada do segundo, creio que exige um planejamento, principalmente porque os pais devem estar preparados para enfrentar todos os aspectos das dúvidas acima. Mas acho que se pensarmos muito, colocar na ponta do lápis os prós e contras, o comodismo acaba deixando o desejo de lado e, quanto mais distante, menos disposição e mais preguiça para encarar novamente a maratona temos. Quem já passou por isso, sabe o quanto um bebê exige atenção e cuidados. Com o segundo, não podemos esquecer do primeiro – que pode não exigir mais os mesmos cuidados, mas exigirá também atenção, carinho e compreensão em dobro.

Ou seja, se pensarmos e planejarmos muito, desistimos. Não que não seja importante planejar. É sim! Mas dois fatores, em minha opinião, são mais importantes a serem levados em consideração no planejamento: uma boa escola e plano de saúde. Coisas como espaço na casa é, pra mim, o de menos. Nada que uma beliche para dar mais espaço num quarto não resolva. Talvez o planejamento seja necessário para estabelecer as prioridades da família, estudar o momento que vivem e o estado emocional de todos.

O segundo filho vem para dar ainda mais alegria à casa. Criança renova as esperanças. Lidar com o ciúmes entre irmãos será necessário, mas ter irmãos é uma das melhores coisas da vida. E uma oportunidade para o primeiro ser mais afetivo, aprender a dividir sem competição e rivalidade. Com pouca diferença de idade, os irmãos crescem, brincam, passeiam juntos, e os pais lidam e administram as mesmas situações.

Tem data certa para o segundo filho?

A data certa para ter o segundo filho talvez seja quando bate aquela vontade intensa, aquele desejo que se instala dentro da gente, fazendo nosso coração sua moradia e não vai embora até que ele se concretize. É bom sim fazer um planejamento, pensar no orçamento, mas para tudo dá-se um jeito. Até porque filho impulsiona a gente, faz pularmos várias casas rumo aos nossos objetivos e conquistas. 🙂

compartilhe!

2

comente!

2 respostas para “Quando chega a hora do segundo filho”

  1. […] de primeira viagem acompanhada de seus pequenos, e uma mãe já de dois. O assunto debatido foi: quando chega a hora do segundo filho? Mas onde há mães, há assunto que não acaba […]

  2. Lele disse:

    Ownnnn cheirinho de POSITIVO no ar!!!
    Na torcida pelo irmãozinho do Ben chegar logo! heheh
    bjs
    Lele

  3. Isis Coelho disse:

    Ah Ga. Se a gentr ficar pensando muito, não tem filho. Aqui em casa a vontade de termos a família maior que nos motivou a tentar um novo rebento. Mesmo assim, levamos em consideração tudo isso qie vc escreveu. Fizemos planilhas, orçamentos e zaz. E, como a vida é uma caixinha de surpresas, fomos abençoados com 2 bebês. Nosso planejamento foi por água abaixo! Hahahahah
    Por isso, acho que o chamado do coração é o mais importante nessa hora. ♡♥♡♥
    Um grande beijo da gorda

Comente!