22 fev 2013

Rotina Compartilhada

por
Gabi Miranda

Comportamento, Maternidade

Aqui em casa não aderimos à cama compartilhada, mas recentemente adotamos a rotina compartilhada.

A rotina compartilhada consiste em dividir as rotinas do Ben entre os dois: pai e mãe.

Devo confessar que eu monopolizei duas das rotinas desde que Benjamin nasceu: banho e hora do sono. Sempre fui eu que dei banho e o fiz dormir. SEMPRE! Claro que algumas vezes deixei o marido fazer, mas era uma vez a cada 30 dias.

No início do ano propus ao marido:

– Vamos compartilhar algumas rotinas?

Ao que ele respondeu de bate–pronto, sem ao menos ouvir a proposta:

– Vamos!!! Você vai acordar mais cedo um dia sim outro não para cuidar dele?

(é SEMPRE o marido quem acorda mais cedo para arrumar o Benjamin antes de sairmos durante a semana)

Respondi: – Calma, não precisa radicalizar…

Bom, o que o marido não sabia era que a intenção da minha proposta era beneficiá-lo. Em segundo plano, juro, estava a minha intenção de ter uns breves momentos livres.

Como disse, percebi que monopolizei essas rotinas e, após esses meses todos, me tornei uma mãe madura, elevada, passei achar importante Benjamin passar esses momentos com o pai também.

Os filhos já têm uma ligação infinitamente forte com a mãe. Considero esses dois momentos (banho e sono) uma ótima ocasião para estreitar ainda mais esse vínculo. E nada mais justo que proporcionar isso ao pai também. Acredito muito que as relações são construídas a partir do vínculo. A relação é alimentada através do que compartilhamos com as pessoas queridas.

Sem contar que Benjamin está crescendo e acho importante pai e filho terem um momento deles. Banho, por exemplo, até por uma questão de reconhecimento. A hora do sono, porque eu passei a achar que o papai estava perdendo umas gracinhas deliciosas que só eu estava curtindo.

Dividir essas duas rotinas com o pai do meu filho era a forma que eu tinha de ajudá-los a criarem seus próprios códigos. E Benjamin por ser um menino, nada mais justo. Meninos têm códigos que só os meninos reconhecem.

É claro que tem dias que Benjamin quer fazer tudo comigo. Marido às vezes reclama “ele só chora no banho comigo”, “eu não consigo fazer ele dormir direto no berço”. Mas acho que é tudo uma questão de jeito, adaptação, tempo.

Dividimos assim: um dia eu dou banho e faço dormir, no outro dia é a vez do marido.

Com isso, eu acabei desafogando as minhas noites também. No dia do marido, tenho algum tempo livre (mesmo que curto) para me dedicar a outra atividade, de preferência algo mais pessoal do que doméstica.

Ainda teria mais rotinas para serem compartilhadas, no sentido mais pejorativo de divisão das tarefas e não de participação. Seria o caso de eu acordar mais cedo algumas vezes durante a semana, mas falta maturidade no meu relógio biológico (eu vivo acreditando que marido compreende isso, até porque ele sempre fala que precisa de poucas horas de sono). Tem também as trocas de fraldas. Marido já trocou 2.185 vezes a fralda do Benzoca, enquanto eu fiz 840 trocas. Acho que está na hora de colocarmos em uso essa roleta de obrigações que adquirimos na loja do Potencial Gestante.

Rotina Compartilhada

Eu adoro dar banho no meu Ben e, principalmente, fazê-lo dormir. Mas acho também que era meu dever como mãe, proporcionar esses momentos entre pai e filho. Nós mães, sem querer, dominamos o espaço, a casa, as relações. Somos o alicerce de tudo. E acho que nos cabe construir essa ponte.

*

Dica

A roleta de obrigações é um produto bacana e uma forma divertida de presentear o marido daquela amiga que não ajuda em nada com as obrigações do bebê. Sabe aquele pai que acha que não precisa acordar de madrugada, dar banho, mamadeira, trocar fraldas, porque ele já fez o que devia ter feito: fecundar a esposa? Então, ótima sugestão de presente.

Aqui em casa eu julgava que não precisávamos dela, pelo menos, não para indireta pro marido. Compramos numa oferta bem legal no Black Friday, junto com a trena amarela – que estamos aguardando a mudança para então colar no quarto do Ben.

Clique AQUI e conheça a loja Potencial Gestante.

compartilhe!

5

comente!

5 respostas para “Rotina Compartilhada”

  1. Adorei a ideia, ja conhecia a roleta, mas não usamos aqui em casa, confesso que tem dia que eu precisava de um só com nome do pai!

  2. Aqui em casa o banho sempre foi responsabilidade do pai. Desde o primeiro banho, o Leandro assumiu com amor a tarefa. E isso foi essencial para construir a nossa rotina compartilhada. A partir dali, ele foi assumindo uma responsabilidade enquanto pai muito importante para desafogar um pouco a mamãe q estava sendo consumida pela amamentação. E é muito importante q a gente incentive isso. Algumas vezes os pais não ajudam pq as mães não deixam. E os maiores beneficiados nessa história toda são os nossos pequenos!
    Adorei o post! Adoro todos!
    bjs!

    • bossamae disse:

      Oi Camilla, meu marido sempre quis dar banho, mas assumo que eu pegava pra mim essa responsabilidade. Ainda bem que eu percebi isso logo. Rs
      Mas não sei, tenho percebido que algumas coisas cada um vai assumindo por afinidade tb. Por exemplo, eu comecei a preparar a lancheira do Ben no início das aulas, agora é Marido que tem feito. E foi algo meio que de repente. Percebi isso agorinha. Arrumei a mochila e perguntei do cardápio do lanche, ele prontamente respondeu: deixa que eu monto. E fiquei refletindo, ele assumiu pra ele essa tarefa mesmo. É ele que todo domingo vai ao mercado e a feira comprar as comidinhas para a semana toda. Acho que entra um pouco o lance da responsabilidade, do envolvimento. Acho muito bacana essa participação “voluntária” da parte dele.
      Adorei seu comentário.
      Volte sempre.
      Super beijo

Comente!