17 maio 2017

Dica: como tirar o hábito da chupeta

por
Gabi Miranda

Bebê, Comportamento, Filhos

como tirar o hábito da chupeta

Chupeta é daqueles acessórios que tentamos evitar, mas ao primeiro choro desesperador do bebê, é o primeiro item que nos vem à cabeça. A gente até tenta fugir, mas acabamos usando para acalmar o bebê. Às vezes o bebê não aceita e a gente insiste. Foi o que aconteceu aqui em casa. Stella recusava e eu empurrava o treco até que um dia ela pegou. Não sou contra chupeta, acho que ajuda em muitas ocasiões. Todo bebê tem necessidade de sucção, recurso que o acalma, gera um sentimento de prazer e segurança. A chupeta é uma forma de estimulação oral e de relaxamento.

Leia também: chupeta, use com moderação

.
Defendo o uso moderado da chupeta e de qualquer outro acessório que possa tornar o bebê dependente, pois, quando retirado, pode causar alguma sensação de angústia ao bebê. Além disso, chega um determinado período em que a chupeta se torna prejudicial à formação bucal da criança. Segundo a odonto da nossa família, o uso da chupeta começa a ser prejudicial para a arca dentária a partir dos dois anos de idade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: , ,

07 fev 2017

A bebê está virando menina

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque, Filhos

Stella, Stellinda, Amora. Minha bebê está virando menina! Ela completou 1 ano e 6 meses! Isso significa 18 meses, 547 dias, 13.128 horas, 787.680 minutos, 47.260.800 segundos. Nesse período todo, são muitas mudanças, aprendizados, medos, ansiedade, maturidade.

Ontem fui visitar uma grande amiga na maternidade. Ah! É a madrinha da própria personagem desse post. Ao contemplar um bebê no berçário e a nova condição da minha amiga, mãe de RN, é claro que me bateu a nostalgia. Já me parece tão distante o dia em que a Stella era um RN e quando paro pra pensar, lembro exatamente do dia em que me dei conta que precisava aproveitar ao máximo aquele bebezinho que adorava dormir no colo 24h ao invés de ficar em seu berço. Quando redescobri a maternidade.

Olhando a pitica, percebo o quanto ela desenvolveu nesse tempo, já está virando menina. Comecei despretensiosamente a listar na nota de blocos do celular, tudo o que ela anda fazendo. Porque muitas coisas ela já faz há meses e já não lembro quando começou. E nesse momento eu queria mesmo é ter uma memória de elefante para não esquecer cada detalhe do seu desenvolvimento e guardar para sempre todas as sensações que me causam ao vê-la fazendo algo novo, cada sorriso, o som da sua gargalhada. Porque parar o tempo, é impossível e nem teria graça né?! Pararia-se o tempo e também o andar dos acontecimentos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 jan 2017

Fralda MamyPoko me surpreende na qualidade e lança promoção imperdível

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Produtos

A escolha de qual fralda usar no bebê é sem dúvida um dos itens na lista de preocupação das mães. A melhor fralda descartável é aquela que não vaza, não assa o bebê e o deixa confortável. Se tiver preço bom então, deixa confortável o bolso da família e fica tudo perfeito.

Conheci as fraldas MamyPoko quando a Stella nasceu e fui surpreendida pela qualidade do produto. Foi a única fralda que não assou a baby bossinha enquanto RN. Agora, um ano depois, estamos experimentando a MamyPoko Fralda-Calça. Stella está naquela fase que não para mais quieta e esse modelo de fraldas é super adequado para bebês da idade dela, pela facilidade na troca.

mamypoko

MamyPoko é uma fralda com tecnologia japonesa e agora dispõe de uma exclusiva superfície ondulada que forma caminhos de ar, melhorando a ventilação, mantendo a pele do bebê sequinha por até 12 horas. Fizemos o teste antes de usar na Stella, e resultou na absorção de 5 copos de água sem vazar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

25

comente!

21 nov 2016

5 dicas para melhorar o sono do bebê

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Sono

Uma das queixas mais comuns nos consultórios pediátricos é a falta de sono dos bebês. Pais e mães querem melhorar o sono do bebê, mas não sabem como. Alguns pediatras indicam deixar o bebê chorando. Deixar o bebê chorar é desvalorizar a sensibilidade e as necessidades dele.

sono do bebê

Melhorar o sono do bebê é sem dúvida um dos maiores desafios da maternidade. Assim como a alimentação é importante para o bebê, o sono também é e tem papel fundamental em seu desenvolvimento. Enquanto o bebê dorme, seu cérebro fica ocupado com a produção de novas células necessárias para o desenvolvimento mental, físico e emocional. É durante o sono que renovam suas energias e produzem hormônios importantes para seu desenvolvimento. Por exemplo, na infância, cerca de 90% do hormônio do crescimento (GH) é liberado durante o sono. Crianças com dificuldades para dormir, tem mais chance de apresentar falta de atenção, irritabilidade, desânimo, falta de memória, baixo rendimento motor, entre outros comportamentos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

14 out 2016

Banho do bebê: dicas para essa hora ficar mais deliciosa

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Uma das minhas horas preferidas é a hora do banho do bebê

banho do bebê

Lembro até hoje do medo que eu tinha de dar banho no Benjamin. Embora tenha assistido (e gravado) com muita atenção ao primeiro banho dele na maternidade, em casa, surgiram várias dúvidas sobre como segurar, como proteger o ouvido para não cair água, como limpar o umbigo e todos esses primeiros cuidados. Tive tanto medo de dar o primeiro banho do bebê Benjamin, que foi meu pai quem deu, assim como foi ele que também deu na Stella. Lembrando agora, como meu pai foi intrometido (!), mas achei lindo ele querer participar desse momento e fazê-lo com tanto amor e segurança. Com o tempo passei a exercer com maestria essa atividade. Pegava o bebê “jogando” de um lado pro outro, toda prosa e orgulhosa de cuidar sozinha da própria cria. E também passei a não querer dividir essa atividade com ninguém. Confesso. Talvez um pouco por ciúmes, porque aquele era um momento íntimo nosso. Também porque eu achava que ninguém faria direito como eu (quem nunca?!). E por insegurança (vai que deixam o bebê cair, se afogar, sei lá). Com um pouco mais de tempo eu me dei conta que era importante marido participar desse momento também e comecei a abrir espaço para ele.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

03 out 2016

Mapa astral da maternidade

Mapa astral da matenridade
Texto de Denise Fraga, extraído do livro Travessuras de Mãe

mapa-astral

Mapa Astral da princesa Charlotte, por Glamurama

 

“Não aredita em Deus? Tenha filhos.” Era o que costumava dizer o ver o milagre cotidiano daqueles serzinhos crescendo ao meu lado.

Também voltei a rezar e a me comunicar com muito maior frequência com o pessoal lá de cima, porque, mesmo que você não tenha o hábito, quando vira mãe, acaba rezando. Tenho uma amiga às voltas com a escola do filho. Olho-a com compaixão, pois já passei pela angústia. Já depositei as minhas esperanças no “pedagogês” das coordenadoras, na doce ilusão de que teria uma trilha a seguir, um método novo de formação de um ser melhor para este mundo de meu Deus. Meus filhos estão agora co, doze e dez anos e, cada vez mais, acho que a melhor receita é mesmo rezar. É claro que a oração pode e deve estar acompanhada de todo o arsenal investigativo de mãe, incluindo até os cursos de shantala, as iogas para bebês e os livros de autajuda. Tenho quase um metro deles na minha prateleira, pois confesso que não resistia aos títulos cheios de promessa de que seria a melhor mãe do mundo se os lesse. Mas o tal manual, a receita, o caminho a seguir, acho que todas as escolas, os livros e até as religiões do mundo ficarão nos devendo. Ainda mais quando a matéria é a enigmática formação do caráter do cidadãozinho.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

28 set 2016

Travessuras da Baby Stella

Hoje ela completa um ano e dois meses de muitas alegrias, travessuras e sapequices

travessuras-baby-bossinha-1

São inúmeras as conquistas dessa pequena que nem dá para fazer post listando as novidades. Sim, porque para isso eu precisaria passar os dias anotando cada coisinha nova que ela anda fazendo. Ela já se comunica muito bem – não, não forma frases, nem palavras concretas, mas se comunica com gestos e olhares, assim eu e ela já nos entendemos muito bem. Seu vocabulário ainda é pequeno, fala apenas: mama (mamãe), B (Ben), papa (pai), naná (seu paninho com a chupeta amarrada), bá (aguá), um (um aninho) e várias outras palavras que eu ainda não aprendi o dialeto, além de responder quando lhe perguntamos algo. Ela já da tchau, manda beijo, canta, dança, joga bola (com a mão e com o pé), usa copo, toma no canudinho, faz travessuras, sapequices, anda e corre (deixando disparado o coração dessa mãe).

Passamos uma semana inteirinha juntas, só eu e ela, da hora de acordar até a hora de dormir. E acreditem, todos os dias ela faz uma coisa nova. Fiquei impressionada ao reconhecer nela uma bebê totalmente comunicativa, simpática e palhacita. Eu conhecia o lado desconfiado da Stella – herança da mãe – mas me surpreendeu a desenvoltura dela para chamar a atenção de desconhecidos na rua, no metrô, em todos os lugares públicos. Conversar, brincar, mexer com a pessoa ao lado são atividades que completam as travessuras da Pitica. É incrível o poder de aprender dos bebês e a possibilidade de acompanhar esse desenvolvimento assim tão de pertinho. Eles fazem nosso coração derreter ao mesmo tempo em que nos mantem alertas.

Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

06 set 2016

Os primeiros passos da Stella

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque, Filhos

Stella começou a andar firme e segura de si, no seu tempo como deve ser
Deu os primeiros passos e agora ninguém segura esse bebê

 

os primeiros passos-bossa-mae

Existe uma expectativa entre os pais quando o bebê começa a dar sinais dos primeiros passos. É também um estágio de desafio para o bebê e marca uma grade fase do desenvolvimento dele. Stella estava há mais de semanas andando segurando pelos móveis. Ou pegava uma cadeira e saía empurrando de modo a andar pela casa. Ela demonstrava certa insegurança para se soltar. Deu os primeiros passos livres dia 29 de julho de 2016, um dia após ter completado um ano de idade e um dia antes de sua festa de aniversário. Depois disso deu outros passos e parou, ficou só ensaiando. Voltou a andar cheia de segurança depois de 15 dias dos seus primeiros passos.

É preciso ter paciência, incentivar, mas sem fazer comparações. Cada individuo ao seu tempo. O Benjamin andou com um ano e um mês todo seguro e quando começou também não parou mais. Assim como no dia que aconteceu com ele, foi muito emocionante ver Stella dar seus primeiros passos em minha direção enquanto eu chegava da rua. É uma alegria vê-la indo e vindo pela casa, percorrendo todos os cômodos. Ao mesmo tempo que eu não quero deixar de ter um bebê em casa, tenho um sentimento de felicidade genuíno e gratificante ao vê-la adquirir equilíbrio, independência e liberdade – algo que para conquistar, começamos batalhar desde cedo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

15 ago 2016

Por que o bebê chora quando você sai do quarto?

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Livros, Puericultura

Porque o bebê chora quando você sai do quarto?

 

por que o bebê chora

Imagem do Google

Do livro Bésame Mucho – Como criar seus filhos com amor
Dr. Carlos González

O imediatismo é uma das características do choro infantil que assombra e irrita algumas pessoas. “É deixá-lo no berço e ele começa a chorar como se o estivessem matando”. Para alguns especialistas em educação, essa é uma desagradável faceta da personalidade infantil, e o objetivo deve ser vencer o seu “egoísmo” e a sua “obstinação”, ensiná-los a atrasar a satisfação dos seus desejos. Por que não pode ter um pouco mais de paciência, por que não pode esperar um pouco mais?

Nossos filhos pequenos começam a chorar com todas as suas forças quando se separam da mãe. Choram ainda mais forte em cinco minutos e somente param de chorar por esgotamento. Não parece lógico! Mas, sim, é lógico. Começar a chorar de maneira imediata é o comportamento “lógico”, o comportamento adaptativo, o comportamento que a seleção natural favoreceu durante milhões de anos, porque facilita a sobrevivência do indivíduo. Naquela tribo de 100.ooo anos atrás, se um bebê separado de uma mãe chorasse de forma imediata e com toda a potência do seu pulmão, sua mãe provavelmente voltaria imediatamente para pegá-lo. Porque essa mãe não tinha cultura, nem religião, nem conhecia os conceitos de “bem, “caridade”, “dever” ou “justiça”. Não cuidava de seu filho porque pensava que era sua obrigação, nem porque tinha medo da prisão ou do inferno. O choro do bebê simplesmente desencadeava nela um impulso forte, irresistível, de acudi-lo e acalmá-lo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

01 ago 2016

Furei a orelha do bebê com um mês de vida

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Sem seguir a recomendação da pediatra, furei a orelha do bebê com um  mês de vida

 

furei a orelha do bebê

Stella com 1 mês e brincos

Stella tem as orelhas furadas desde um mês de vida e confesso, se ainda furassem na maternidade como era na época em que eu nasci, assim como eu, ela teria saído de lá com as orelhas furadas. Todo mundo me pergunta quando furei a orelha dela, até que dia desses vi o post da Mari, do blog PetitNinos e me dei conta que nunca contei aqui sobre a minha decisão de furar a orelha do bebê com um mês.

A pediatra da Stella é homeopata e recomendou furar a orelha do bebê a partir do 6º mês. Como lidar com isso? Sempre quis ter uma menina e ia esperar mais 6 meses para emperiquitar a menina?! Pensando assim, fui um pouco egoísta, eu sei, pois atualmente fala-se muito sobre violência contra bebês através de procedimentos logo após o parto. Na época, não pesquisei nada sobre o assunto e sei que teria mudado de ideia se encontrasse informações preciosas como as que encontrei no post Porque NÃO furamos a orelha do bebê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

Página 1 de 41234