25 abr 2017

Canal no Youtube e mais coisas sobre mim

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Maternidade

Eis que a pessoa tomou coragem e lançou o canal no Youtube. Mas posso falar? Tá horrível! Não consigo me soltar, tô travada e pra ajudar o negócio tá bem caseiro. Por que estou lançando hoje? Porque é meu aniversário e achei que o tema Tag 36 coisas sobre mim cairia como uma luva já que estou completando 36 aninhos. Mas acontece que eu não treinei antes, respondi as perguntas tudo na hora e com medo do vídeo ficar longo, fui respondendo com a primeira coisa que me vinha à cabeça. O vídeo ficou longo do mesmo jeito, Rá! Poxa, mas aqui é vida real! Acho que vale uma passada lá pra confirmar o que digo e só pra dar um apoio moral para essa humilde blogueira. E como sou definitivamente péssima em frente às câmeras, resolvi fazer o que acredito fazer melhor: escrever. Ao invés de 36 coisas, pro texto também não ficar longo, vou dizer 10 coisas sobre mim que não foram ditas no vídeo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

10

comente!

19 jul 2016

Vale tudo por um like?!

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Não tem jeito, o uso das redes sociais faz parte da nossas vidas, mas vale tudo por um like?

like

Psicólogos afirmam que as redes sociais são o meio com o qual a maioria das pessoas se defendem das próprias carências e necessidades – das quais, às vezes nem tem consciência, aparentam ter uma vida que não tem. Pensando assim, estaria todo mundo carente, precisando de apoio, like e aceitação? Toda experiência só vale a pena no momento que atingirmos 100 likes? Já faz algum tempo, tem me chamado atenção o comportamento nas redes sociais. Parece que vale tudo para aparecer e ter um like. Em nome de mostrar “a vida real”, as pessoas estão perdendo a noção. E aí fico me perguntando pra quê e para quem estamos querendo nos mostrar (e expor nossos filhos)? De que vida real estamos falando? O uso das redes sociais não deveria ser feito de forma saudável, sem implicar ser aceito e/ou obrigatoriamente ter 100 curtidas numa foto ou mais de 40K seguidores?
Clique e continue lendo!

compartilhe!

7

comente!

21 mar 2016

Brincar e uma experiência inexplicável

Brincar é uma oportunidade da criança se descobrir em vários sentidos.
Brincar é um grande convite para o mundo.

Brincar junto

Imagem do Google

Ontem participei de um bate papo, realizado pela Kinder Ovo, com a psicóloga infantil Daniella Freixo. Eu nunca tinha assistido nada presencialmente dela, mas seguia seu perfil @conversacomcrianca no Instagram. Daniella é simplesmente incrível! Não tem outra palavra para descrevê-la. O assunto principal da conversa foi a importância do brincar e começou com o seguinte questionamento da psicóloga:

Vocês sabem o que acontece quando a criança está brincando?

A criança tem a oportunidade de se descobrir em vários sentidos. Brincar cria condições físicas para o corpo, coordenação motora, desenvolve o emocional, amplifica os horizontes, traz regras de convivência. Brincar é um grande convite para o mundo. Desde bebê, quando começa a se arrastar, a se levantar, levar a mão à boca, são movimentações que se tornam parte do brincar.

A criança quando brinca descobre sobre si, sobre os objetos a sua volta, sobre o outro. O primeiro outro na vida das crianças é a mãe e o pai. E brincar junto tem um papel fundamental nesse processo de desenvolvimento das crianças. Portanto, é preciso sentar junto, se desligar de celular e do mundo exterior e se entregar para a criança de corpo e alma. Olhar olho no olho, brincar, imaginar, criar intimidade para que possamos conhecer nossos filhos e para que eles nos conheçam.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

07 out 2015

Tag 7 coisas

por
Gabi Miranda

Comportamento, Maternidade

tag7coisas01

A Pati do blog Comida Boa Muda Tudo fez um post sobre “tag 7 coisas” e desafiou azamigas tudo a fazerem também. A brincadeira consiste em responder 7 coisas a seu respeito sobre determinados assuntos. O da Pati está super bacana, ela segmentou respondendo os itens apenas sobre cozinha. Quando vi, pensei: ah, fácil, vou seguir o padrão e fazer de coisas em geral da minha vida. Meoooooo, fiquei madrugadas a fio esquentando a cabeça enquanto amamentava. Voticontá, coisa mais difícil responder essa tag 7 coisas, coisa mais difícil fazer autoanálise, refletir sobre si mesmo. Mas taí, feito, porque eu não gosto de deixar nada por fazer. Risos.

7 coisas para comer antes de morrer
1. Brigadeiro (eu diria que tem que ser o da minha mãe, mas sacanagem, ela já foi para o céu. O brigadeiro dela era o melhor do mundo)
2. Panqueca de doce de leite da livraria Ateneo, em Buenos Aires (já sabe, está de bobeira na cidade, corre até essa livraria)
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

28 ago 2013

Mãe da Cabeça aos Pés

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Quando conheci o blog da Beatriz Zogaib me identifiquei de cara. Talvez tenha sido um conjunto de semelhanças: sua escrita, a profissão (jornalista), nós duas mães de menino. Mas o que me chamou mesmo a atenção foi o nome do blog: Mãe da Cabeça aos Pés. O que me define muito bem. É assim que me sinto, sou mãe por inteiro, cada partícula do meu corpo, da cabeça aos pés.

Se tem uma experiência legal que os eventos de mamães blogueiras nos proporcionam, é essa de “desvirtualizarmos”. Um belo dia nos conhecemos em um desses eventos e pude falar pra ela pessoalmente o quanto gostava do seu blog e me indentificava.

O Mãe da Cabeça aos Pés passou por uma transformação e ficou ainda mais lindo! A Bia, carinhosamente me convidou para participar da re-estreia de sua coluna Cabeça de Mãe – o que pra mim foi uma honra.

Hoje estou lá falando sobre maternidade, suas preocupações e medos. Clique na imagem abaixo e vai lá dar uma espiada. Estamos esperando. 😉 Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

21 jun 2013

De verde e amarelo, és mãe gentil #protestomaterno

por
Gabi Miranda

Uncategorized

protesto materno

O povo foi para as ruas. Alguns manifestar, outros para quebrar.

Sinceramente, não sou das que acham que é preciso quebrar para reconstruir. Não, não estou com dó do Itaú com seus vidros quebrados. Mas já vejo o Brasil como um país maltratado demais. Vandalismo nessas horas só piora a situação. Torna-se uma festa pobre e para essa prefiro não ser convidada e desejo que meu filho nunca faça parte.

Sou a favor da manifestação pacífica. Onde adultos, crianças, famílias inteiras podem sair às ruas tranquilos para reivindicar seus direitos. Como foi na última segunda-feira, 17/06.

O Brasil virou capa em diversos lugares do mundo.

As exigências são diversas, de PEC 37 a Estatuto do Nascituro.

Todos querem coisas em comum: transporte público de qualidade, trabalho, educação, saúde, segurança, direitos humanos, o uso correto dos nossos impostos, as pracinhas em boas condições (leite e fraldas num preço mais baixo é bem-vindo também)!

Acho bonito ver as pessoas lutando por seus direitos num país onde a corrupção e o juros altos reinam. Onde a desigualdade social é discrepante. Toda essa droga que já vem malhada antes de eu nascerClique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 maio 2013

Vamos brincar! – Semana Mundial do Brincar (blogagem coletiva)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Eu tinha pensado em levar o Benjamin em um lugar diferente, que ele não tivesse ido ainda, como era a proposta da Aliança pela Infância para a Semana Mundial do Brincar. Mas não consegui cumprir. O máximo que consegui fazer foi levar Benjamin ao Shopping Garden – uma loja de paisagismo e jardinagem onde tem flores, plantas e acessórios. Parece estranho, eu nunca imaginei, mas é engraçado como um lugar como esse pode ser atraente para as crianças na idade dele. Benjamin adorou! Correu, viu diversas plantas, brincou dentro de um vaso gigante!


Aqui em casa valorizamos momentos de prazer com o Benjamin. Não gostamos muito de ficar trancados em casa, então sempre que podemos levamos Benzoca para passear, brincar fora, ter contato com o mundo.

O que percebo é que cada vez mais as crianças (e nós adultos) são bombardeadas com tecnologia. Isso desde muito novinhos. Percebam os brinquedos, cada vez mais barulhentos e cheios de botões. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

21 jan 2013

Mãe na direção

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Com o objetivo de ajudar de forma integrada e participativa as mães e filhos que passam bastante tempo a bordo, a Renault do Brasil desenvolveu um projeto chamado Mãe na Direção para as mães compartilharem ideias e soluções para os diferentes problemas enfrentados enquanto dirigem na companhia de seus filhos. Para essa ação foi criada uma página no Facebook onde a personagem Wanessa (verdadeira) divide os dilemas que ela enfrenta ao volante com sua filha, Bia. Foi criada também uma websérie que permitia acompanhar e participar através de sugestões. A comunidade tornou-se um espaço de interação entre mães de todas as regiões desse mundão de meu Deus. E eu estava lá no meio, trocando experiência, interagindo e ajudando a construir soluções para os problemas que a Wanessa encontrava.

Eu me tornei mãe na direção logo depois que Benjamin nasceu. Na verdade eu tinha carta, tinha aprendido a dirigir, mas não tinha prática, até que bati o carro, fiquei com medo, parei. Quando engravidei foi uma das coisas que coloquei como objetivo: pegar prática no volante. No primeiro dia de adaptação no berçário, era o primeiro dia que pegaria também a marginal sozinha ao volante e com o meu Ben. Foi tudo tranquilo até eu chegar em casa e bater o carro na lixeira (SIM!!! Só comigo acontece essas coisas) do vizinho e arregaçar o vidro de trás do carro (ninguém se machucou). Como se não bastasse ser o primeiro dia da minha separação com meu Ben, bati o carro da maneira mais babaca. Chorei, me descabelei, disse que não pegaria mais o carro. No dia seguinte, eu estava levando o carro pra arrumar e a vida seguiu. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

31 dez 2012

Retrospectiva 2012 Bossa Mãe

por
Gabi Miranda

Uncategorized

compartilhe!

0

comente!

30 nov 2012

Pornô para mães?!

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Hoje estou lá na praça do Minha Mãe que Disse contado o que achei dos 50 tons de cinza.

Cinza, definitivamente, não é uma cor que me agrada. Prefiro cores que causem efeito mais provocante.

Quer ler?! Clique aqui.

compartilhe!

2

comente!

tags:

Página 1 de 3123