13 set 2017

Sexo no casamento (com filhos)

por
Gabi Miranda

Casamento, Destaque, Maternidade

sexo no casamento

Como vai o sexo no casamento com filhos? É o que faltam perguntar naquela lista infindável de perguntas quando se tem um relacionamento. Sabe aquelas perguntinhas? Quando vocês casam? Quando chega o primeiro filho? E aí, vai ter o segundo? Então… As pessoas também ficam curiosas para saber como anda o sexo no casamento alheio. As que são solteiras, querem saber para se certificar se o sexo muda mesmo após o casamento ou não. As que já são casadas, querem saber se só elas estão fora daquela famosa média brasileira de sexo 3 vezes por semana.

Você não faz sexo 3 vezes por semana? Nem duas? Tem semana que passa em branco?! Deixa eu te contar uma coisa, acontece na maioria dos casamentos com filhos e tá tudo bem. Um estudo feito pela Universidade de Chicago em 2012 revelou que 15% dos casais estão entre dois e seis meses sem sexo. E o cansaço é uma das maiores queixas. Atualmente exige-se demais do casal. Eles tem que ser ótimos pais, esposa(o), profissionais, cuidar da casa, acordar de madrugada para atender a criança que acordou berrando de um pesadelo e ainda fazer sexo diariamente. São tarefas domésticas, maternas, profissionais…  E não basta ser sexo. Tem que ser O SEXO. E como fazer sexo com qualidade estando exausto? Porque nessa área, acredito que a qualidade seja tão mais importante do que a quantidade. Não?!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: ,

17 out 2016

Deixando os filhos com a babá pela primeira vez, e agora?

Pesquisa Bossa Mãe afirma: casais que saem sozinhos deixando os filhos com babá são ótimos pais

baba

Algo corriqueiro entre muitas famílias, por aqui nunca tinha saído deixando os filhos com a babá. Consequentemente eu e marido não saímos muito sozinhos. Antes eu contava com a ajuda da minha mãe. Mas como não tenho mais ela, acabou que não tinha pensado outras soluções. Essa é mais uma dificuldade dos pais de dois ou mais filhos. Um filho você ainda arruma um jeito, é possível encontrar uma pessoa familiar e de confiança para ficar com ele durante algumas horas. Lembro que uma tia minha já ficou com o Benjamin. Já dois filhos é mais difícil porque é necessário que o cuidador, seja ele familiar ou não, tenha disponibilidade e disposição. E quando tem um bebê envolvido, facilita quando ele fica em seu ambiente com tudo o que ele já conhece.

Mas nem sempre é fácil encontrar alguém disponível. Muito menos pra ir até sua casa. Cada individuo possui uma rotina de vida e mesmo que pareça ter tempo livre, precisamos estar preparados para receber não como resposta. Precisamos nos colocar no lugar da pessoa, principalmente quando ela não tem responsabilidades do tamanho de um filho. A princípio chateia um pouco receber negativas, ainda mais quando os nossos pedidos são raros. Sou a favor de usar a empatia, mesmo que não usem pensando o meu lado. É comum uma pessoa que não tem filhos não se colocar no lugar de quem os tem, não imagina a realidade em que vivemos, as necessidades que temos. Entre elas, a de que mães e pais precisam de ajuda.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

04 fev 2015

Como harmonizar maternidade com a vida sexual de forma segura

por
Gabi Miranda

Casamento, Entrevista, Maternidade

vida sexual

Desde que o mundo é mundo (ou é coisa da mulher pós-moderna?!) nós mulheres sabemos que após o pós-parto, entramos numa verdadeira crise sobre nosso papel entre ser mãe e mulher. Com a chegada do bebê, nos vemos diante de uma nova vida e diferentes descobertas. Nosso corpo está modificado, os hormônios à flor da pele. Vivemos concentradas em função do bebê, um ser dependente de nós para tudo – das necessidades mais básicas à alimentação. Vivemos a experiência da amamentação. Ganhamos um aumento da ocitocina, hormônio que produz o vínculo afetivo com o bebê e que inibe o desejo sexual pelo parceiro. A vida sexual fica um gelo. É tudo conflitante, mas não é o fim do mundo, é natural sentirmos tudo isso.

Fui a campo para entender melhor todas essas transformações e como harmonizar a vida sexual. Conversei com o Dr. Eliano Pellini, ginecologista, chefe do Setor de Saúde e Medicina Sexual da Faculdade de Medicina do ABC Paulista, que destacou três componentes hormonais que entram em ação no pós-parto e favorecem todas essas alterações físicas e emocionais que nos arrebatam. São eles: 1) a queda do hormônio feminino após a saída da placenta. Isso faz com que a vagina fique ressecada, promovendo a redução da receptividade feminina, ocasionando a diminuição do interesse pelo parceiro – fato comum também na menopausa; 2) o aumento da prolactina, hormônio produtor de leite, altamente inibidor da sexualidade; 3) a queda da serotonina, responsável pelos quadros depressivos pós-parto. Sintoma que nem toda mulher apresenta, mas que existe e é comum.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

20 ago 2014

Quando chega a hora do segundo filho

por
Gabi Miranda

Família, Gravidez, Maternidade

Seu filho já não usa mais fralda, nem lenço umedecido, vai ao banheiro para fazer xixi sozinho, come sozinho, a casa já não tem mais nenhum indício de bebê, a não ser a mamadeira velha do primogênito que insiste em não largar. Você já toma banhos longos, não cheira a leite, tem noites inteiras de sono ininterruptos. Mas quando vê alguém grávida, suspira; quando vê um bebê, quer pegar no colo; sente saudade daquele cheirinho de bebê na casa. E todos a sua volta não param de lhe cobrar questionar: e aí quando vem o segundo filho? Inevitavelmente (ou não), você começa a pensar no segundo filho.

Então surgem várias dúvidas. Será que estão prontos para um segundo filho? Será que darão conta de tanta responsabilidade? O orçamento, vocês conseguirão arcar com todas as despesas e manter o padrão de vida? Quem vai ficar com os dois quando os pais precisarem, por conta do trabalho ou até mesmo para uma fugidinha? Será que o primeiro filho já quer ter um irmão (a), entenderá? Será que o intervalo de idade entre um e outro filho está bom, já está distante ou pode ficar? Vocês estão prontos para administrar o possível ciúmes do irmão (a) mais velho? E para lidar com personalidades e características diferentes entre seus filhos? É um turbilhão de incertezas que junta com outras mais. Será que tem data certa para ter o segundo filho?
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

11 out 2013

Pra sonhar

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Ele me convidou para sair. Era um dia da semana qualquer e de repente começou uma chuva torrencial, mas não inibiu a empolgação dele de atravessar a cidade.

Trocamos telefones e decidimos nos encontrar outras vezes. Saímos durante uns 8 meses entre idas e vindas até que em 01/10/2005 ele me pediu em namoro da forma tradicional: “Quer namorar comigo”.

Dois anos depois, também no dia 01/10 ele chegou em casa e me presenteou com dois chocolates Kinder Ovo (esse mesmo!). Achei meio estranho. Não abri naquela hora e saímos para comemorar o aniversário da mãe dele. Na volta, ele me perguntou se eu não abriria o chocolate. Estava satisfeita de tanto comer, mas para não fazer desfeita, combinei que abriria e montaríamos a surpresa, mas que comeria o chocolate depois.

Abri um e não lembro a surpresa que veio, pois a surpresa do outro foi muito maior: duas alianças enroladas numa fita de cetim e um bilhetinho: “Quer casar comigo?”. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

14 ago 2013

Chegou a hora da vistoria no apartamento

por
Gabi Miranda

Organização, Terapia do lar

Em janeiro desse ano, anunciei aqui a VENDA da casa em que moramos e falei da nossa aquisição: a casa o apartamento próprio.

Pois é, 7 meses se passaram, a casa ainda está a venda e nós ainda moramos nela.

A novidade é que estamos bem próximos de nos mudarmos. Dias atrás numa ligação, isso ficou evidente. Era chegada a hora da vistoria do apartamento.

Pode parecer bobo, mas gente, ninguém tem noção da ansiedade, alegria e emoção que tomou conta de mim. Tudo junto e misturado. Data e horário marcado estávamos os três lá: eu, Marido e Benjamin. Ah, a Ana, arquiteta também.

Quando vi Benjamin andando pela área da piscina, quadra de futebol, quase tive uma parada cardíaca causada por forte emoção. Ok, exageros a parte, fiquei bem emocionada. Uma sensação de tarefa sendo cumprida. Porque agora, depois do meu Ben na minha vida, é diferente o sonho da casa própria. É por ele, é para ele.

Ao entrar no apartamento….sei lá, passou um milhão de coisas na minha cabeça – das quais vou registrando por aqui ao longo das próximas semanas. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

22 fev 2013

Rotina Compartilhada

por
Gabi Miranda

Comportamento, Maternidade

Aqui em casa não aderimos à cama compartilhada, mas recentemente adotamos a rotina compartilhada.

A rotina compartilhada consiste em dividir as rotinas do Ben entre os dois: pai e mãe.

Devo confessar que eu monopolizei duas das rotinas desde que Benjamin nasceu: banho e hora do sono. Sempre fui eu que dei banho e o fiz dormir. SEMPRE! Claro que algumas vezes deixei o marido fazer, mas era uma vez a cada 30 dias.

No início do ano propus ao marido:

– Vamos compartilhar algumas rotinas?

Ao que ele respondeu de bate–pronto, sem ao menos ouvir a proposta:

– Vamos!!! Você vai acordar mais cedo um dia sim outro não para cuidar dele?

(é SEMPRE o marido quem acorda mais cedo para arrumar o Benjamin antes de sairmos durante a semana)

Respondi: – Calma, não precisa radicalizar…

Bom, o que o marido não sabia era que a intenção da minha proposta era beneficiá-lo. Em segundo plano, juro, estava a minha intenção de ter uns breves momentos livres.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

24 jan 2013

Vende-se essa casa

por
Gabi Miranda

Terapia do lar

(Esse post vai ser grande, pode ser lido em doses homeopáticas)

Era uma vez…

Sempre morei de aluguel, não por essa ser a minha maior aspiração. Em minha existência de 30 anos, morei em 5 casas. Foram períodos bem longos em duas delas, sendo que nas três primeiras foi com minha mãe e minha irmã. Uma das maiores lembranças da minha vida é o dia em que chegamos (eu e minha mãe) na primeira casa. Antes, pelo que entendo das lembranças, morávamos de favor na casa de parentes de 2º grau da minha mãe. Minha irmã, bem pequena, ficou nessa casa enquanto eu e minha mãe passamos a primeira noite na casa nova, só nossa, da minha mãe.

Era a maior conquista dela…

Conseguir alugar uma casa para morar com suas filhas, construir sua vida. A casa até era espaçosa: dois quartos, sala, cozinha, banheiro (que ficava na parte externa) e um quintal. Não tínhamos nada, nenhum móvel, eletrodoméstico, utensílio, NA-DA! Acompanhou-nos apenas um colchão de casal – onde dormimos a primeira noite e o eco das nossas vozes e dos nossos passos. Compreendi o motivo da Luana, minha irmã, tão pequena, não estar ali com a gente.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

9

comente!

07 jan 2013

Uma mãe (e um pai) na balada

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Quinta-feira passada não precisou minha irmã Sofia insistir muito:

– Vamos para uma balada sertaneja?
– Se o papai ficar com o Benjamin, vamos.

O vovô é um preguiçoso e logo fugiu dessa responsabilidade. Quem se prontificou foi a tia avó Rosana que contou com a colaboração da tia Lilian (esposa do meu pai).

E lá fomos nós: eu, marido, Sofia e nossa prima Olivia.

Tinha me esquecido, para aguentar certas baladas, é preciso se embebedar. Assistimos um show sertanejo, que a certa altura eu já estava achando o melhor show da minha vida. Dancei, dei boas gargalhadas, namorei e bebi escandalosamente. Saímos do local às seis da manhã, paramos para comer e chegamos em casa às sete.

Sabe quanto tempo não chegava em casa esse horário?! Fazia muito tempo…

O mais estranho disso tudo, é você beber todas e não se esquecer um segundo sequer da sua responsabilidade de mãe. O combinado era voltar em duas horas e voltamos depois de seis horas!!! Eu olhava o celular a cada meia hora (ou menos, se duvidar) para conferir se a tia Rosana havia ligado. Os outros me tranquilizavam: se ela não ligou está tudo bem, a essa hora Benjamin já deve estar dormindo. Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

tags: , ,

11 dez 2012

Cheia de Bossa

por
Gabi Miranda

Na Mídia

Eu contei aqui que participei do brunch da campanha “Culpa, não”, promovida pela revista Pais & Filhos. O que não contei é que fui escolhida pela revista para dar uma entrevista para a seção “Família é tudo”. Exerci aí uma das coisas que aprendi durante a gestão: paciência – neste caso, paciência para esperar chegar a revista e compartilhar com os amigos e familiares. Por isso não contei nada antes.

Meu exemplar chegou sexta-feira (07/12) e foi uma grande surpresa! A gente sempre acha que vão publicar justamente a foto que não gostamos, um comentário que fizemos e depois achamos que não devíamos ter feito, ou seja, criamos uma expectativa enorme e depois ficamos um pouco frustrados.

Mas a expectativa superou. Amei a foto que ocupa metade da página. Amei todas as fotos que registram alguns detalhes da nossa casa. Amei demais o título: Cheia de Bossa. Nós amamos! Benjamin já entendeu que tem uma foto dele na revista, não sabe como, mas sabe que tem e aí quando vê a capa do mês quer a todo custo pegar a revista e fica olhando como se tivesse lendo. Maridão comprou alguns exemplares e já combinamos: vai ser mais uma lembrança… Avós, tias e tias-avós também já compraram. Quer dizer, o negócio já se estendeu para a família toda.  Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 1 de 212