11 out 2017

Feliz vida de casal

por
Gabi Miranda

Casamento, Destaque, Maternidade

Parece que foi outro dia que aceitei sair com ele e começamos uma vida de casal. Tudo começou  em meados de 2005. E durante alguns meses levamos aquele relacionamento nada sério, só de paquera, baladas, noites furtivas. Ele dizia que não era para eu me apaixonar por ele. Eu dizia o mesmo e afirmava: é mais fácil você se apaixonar por mim. Gente, isso era óbvio. Uma moça alegre, comunicativa, alto astral, no auge da juventude, sem compromissos, que bebia sem pensar no amanhã, que gostava de dançar… sim, era eu! Continuo sendo. Só parei de beber. Porque não é fácil o dia seguinte de uma pessoa que bebe e tem filhos. Rá!

Nos apaixonamos. Começamos a namorar. E todo mundo dizia que eu completava ele. Juro, não tô tirando isso da música Eduardo e Monica. Namoramos por 3 anos. Numa certa noite, ele chegou com um Kider Ovo, sim o chocolate, insistiu para eu abrir e quando abri tinha um pedido de casamento enrolado numa aliança. Ele sempre foi de fazer surpresas e continua sendo depois de tantos anos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

10 out 2017

Fui ao meu velório e renasci

velório

Roma, setembro 2017

Há 25 dias fui ao meu velório. Ops, quis dizer, fui desligada da empresa para qual eu trabalhei durante anos. Ao me despedir das pessoas, parecia mesmo que estava no meu velório. Na hora foi uma surpresa ser desligada, porque naquele dia eu estava saindo de férias. Quem pensa que será demitido no dia em que está saindo para o melhor período da vida? No entanto, era algo que eu esperava acontecer durante o ano de 2017.

Outra coisa que assustou um pouco ao ser desligada, é o fato do marido estar fora do mercado e  a empresa para qual eu trabalhava saber disso. A vida é mesmo muito louca. Há meses venho falando para o marido que queria sair do trabalho para me dedicar aos meus projetos e ao meu maior projeto de vida: meus filhos. Aconteceu dele ser desligado – algo que nem Freud explica! E eu perdi a coragem que estava criando para sair do meu comodismo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

14

comente!

02 out 2017

Como minimizar o consumo infantil

minimizar o consumo infantil

O dia das crianças está chegando e é inevitável a criança não cobrar um presentinho. Por aqui, estou no meu ritmo e no ritmo dos integrantes da família, tentando mudar nossos hábitos e valores em relação ao consumismo. Isso significa minimizar o consumo. Motivada por desejar o bem do meio ambiente, pelo estresse do emprego, pela busca de uma vida mais espiritualizada, por querer mais tempo de qualidade com meus filhos e, principalmente, por desejar ensiná-los cedo algo que aprendi recentemente, que ter coisas não faz de nós mais felizes ou mais bem sucedidos.

E aí que nessa época do ano, assim como no Natal, há um direcionamento absurdo de publicidade voltado para as crianças. E chove pedidos dos pequenos de brinquedos e objetos que eles não precisam. Basta olhar em volta da nossa casa. A minha tem um monte de brinquedos que meus filhos ficam sem pegar por semanas. Aliás, os brinquedos mais requisitados pelos meus filhos, são os mais simples. Mas ao ir numa loja de brinquedos, me surpreendem pedindo de tudo. E me assusta a velocidade e quantidade de brinquedos que surgem e os valores exorbitantes. Outro dia mesmo, vi uma boneca que custa R$500. Ao lado dela na prateleira imensa, tinha muitos acessórios que podiam acompanha-la: roupas, carro, cavalo, sorveteria, etc. Só um kit de roupa, custava R$150. Gente, nem pra mim eu compro uma roupa no valor de R$150!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

29 set 2017

Para quem tem filhos tímidos

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Filhos

Eu já fui tímida. E não tenho filhos tímidos.  Tem, é claro, aqueles momentos em que eles se demonstram tímidos. Mas logo eles se soltam no ambiente. Recentemente, recebi o artigo abaixo de como lidar com filhos tímidos e achei interessante compartilhar.

O texto é da Fabiany Lima, mãe de gêmeas, escritora de livros infantis e criadora do aplicativo Timokids, que oferece livros e jogos socioeducativos para os pequenos, estimulando a interação de toda família.

Filhos tímidos: como lidar com eles?
*por Fabiany Lima

Seu filho não para nem um minuto dentro de casa: brinca, fala, dá risada e se diverte quase o tempo todo. Mas quando você o leva a um ambiente com pessoas pouco conhecidas, ocorre uma transformação. Ele se fecha, não fala, não responde perguntas e fica claramente desconfortável. Se essa situação é comum para você, então provavelmente você é mãe de filhos tímidos.

Nesse caso, seu primeiro passo é entender que, na maioria das vezes, isso não é nenhum problema. A timidez não é um defeito, é apenas uma característica que pode ser encontrada em pessoas de todas as idades. Aposto que você conhece adultos tímidos que são felizes e bem-sucedidos, não é? Da mesma forma, seu filho também pode conviver com isso e ter uma ótima vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

11 set 2017

Todas as minhas amigas estão fazendo dieta

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

dieta

Dieta, todas as minhas amigas estão fazendo uma. Juro. As amigas do trabalho. As amigas fora dele. Eu não saberia o que é isso se não fossem elas. Eu nunca fiz, a genética me favorece (beijinho no ombro). Mas sei que existe um milhão de opções. Dieta Dukan. Dieta seca barriga. Dieta macrobiótica. Dieta do ovo. Dieta Mediterrânea. Dos pontos. Dos 3 dias. Do carboidrato. Da proteína. Do Dr. Atkins (?!). Japonesa. Do limão. Líquida. Da lua. Dieta, dieta, dieta… e elas começam na segunda-feira.

Nada contra a quem faz. Mas quando as amigas entram em regime, eu sofro também. Além de ficarem chatas porque começam a se privar de comer o que gostam, falta caloria, elas deixam de comer tudo e negar convites para certas orgias alimentares. E gente, amo comer! E gosto de comer em boa companhia. Minha alimentação está longe de ser saudável. Mas eu como o que tenho vontade, sem medo de ser feliz (e de engordar, rá!). Há quem diga que sou magra de ruim. Meu manequim oscila entre 36 e 38.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

5

comente!

04 set 2017

Autonomia no chuveiro: quando a criança pode tomar banho sozinha

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Destaque, Filhos

tomar banho sozinha

Até outro dia era um bebê e nos sentíamos inseguros para dar banho. Quem não tem medo de segurar um recém-nascido na hora do banho? Mas o tempo passa, e passa bem rápido, e quando nos damos conta, estamos brigando para a criança ir pro banho. Afinal, com 6 anos, acreditamos que a criança pode tomar banho sozinha. Não demora muito para nos pegarmos falando como nossos pais “você já tem 6 anos, precisa aprender a tomar banho sozinho, como vai ser quando for dormir na casa de um amiguinho?”.

A verdade é uma só, nossos filhos vão crescendo e se tornam independentes para algumas tarefas, mas só passam a se virar sozinhos em algumas situações quando de fato são incentivados e se sentem preparados. A gente passou semanas tentando fazer o Benjamin tomar banho sozinho, até pensar em pagá-lo para realizar tal tarefa, eu já estava pensando. Aí ele chega um belo dia e disse que queria tomar banho sozinho. Assim, sem crise. No dia seguinte, não acreditei ao chegar em casa e vê-lo indo pro banho sozinho. O menino ainda afirmou: mãe, quando tomo banho sozinho sou mais rápido e economizo água.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

01 set 2017

Setembro, chegou! Hora de renovar as energias

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

setembro

Amo setembro, mês que anuncia a primavera, consequentemente promessa de muitos dias de sol. Muitas pessoas recalculam suas metas em julho ou agosto. Pra mim, é em setembro que recalculo como tem sido o ano. E que ano tem sido 2017 aqui pra gente! E pro Brasil todo. Aqui em casa fomos pegos de surpresa com uma situação que acabou mudando as nossas vidas. Não sei que lição é para tirarmos disso, mas ainda enxergo como uma grande oportunidade de fazer algo diferente.

Logo, esse setembro está com gostinho de agarrar com mãos, braços (e pernas) todas as responsabilidades que envolvem essa ocasião. Aliás, para qualquer projeto de vida, independente do que fazemos, da idade em que estamos, se não nos colocarmos no caminho do que desejamos, ninguém vai pegar nossa mão e nos colocar lá. Né?! Estou entrando em setembro com vontade de fazer crescer e florescer meus sonhos. E tenho pensado muito que enquanto nós não levamos a sério nossas metas, elas continuarão estacionadas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 ago 2017

Como ser feliz no casamento com filhos

por
Gabi Miranda

Casamento, Destaque, Maternidade

Tenho pensado muito na relação do casal após os filhos. Como ser feliz no casamento quando se tem filhos. Penso, penso, penso e tento tomar cuidado para não cair na expressão que a maioria das pessoas afirmam: filhos estragam o casamento. A vida do casal muda completamente com a chegada dos filhos, mas dizer que filhos estragam o casamento é um tanto injusto. Com eles. A verdade é que quando temos filhos, a atenção acaba voltada para os filhos. Um perigo. O casal deixa de ser homem e mulher, para serem pai e mãe das crianças. Esquecemos de desempenhar junto os dois papeis: o de esposa (o) e pais.

Leia também: Como harmonizar maternidade com a vida sexual

Muitas pessoas comentam que acham incrível a minha relação com o marido. Nas redes sociais é tudo lindo! Eu não contei a vez que surtei esse ano e pela primeira vez saí de casa com mala e cuia. Era um domingo, estava fazendo almoço, Stella pendurada no meu pé chorando e pedindo colo. Até aquele dia, era sempre assim quando eu ia pra cozinha. Eu ficava brava porque acho a cozinha perigosa quando se tem fogão ligado, porque achava que não podia contar com a colaboração do marido. E ele pronunciou que eu sempre estragava o final de semana. Estourou uma linha tênue no meu cérebro e no coração. Já que eu sempre estragava o final de semana deles, não fazia sentido eu estar ali. Foi esse o raciocínio que me fez tomar a decisão de sair de casa.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

14 ago 2017

Big Little Lies – o que é melhor, o livro ou série?

Big Little Lies

Li recentemente o livro Pequenas Grandes Mentiras que originou a série da HBO mais falada do ano, Big Little Lies. O livro é tão bom, mas tão bom, que ao terminar de ler, fui ver a série. Ambos tem diferenças. A série muda partes das histórias e deixa de revelar algumas situações importantes, detalhes que podem até ser irrelevantes para alguns, mas que me incomodaram bastante e por isso me fez achar o livro bem melhor. No entanto, a série não deixa de ser boa tanto quanto o livro, tem características diferentes que não comprometem sua qualidade.

Big Little Lies conta a história de mulheres mães e os relacionamentos em torno de suas vidas. Mas não é só isso. É uma história sobre relacionamentos abusivos, bulling, formatos familiares, culpa, crises maternais e intrigas. Todas parecem ter vidas perfeitas, mas conforme a trama vai se desenrolando, percebemos que são tão comuns e reais ao ponto de nos identificarmos em vários aspectos ou de sentir muita empatia pelas personagens.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

31 jul 2017

Como é difícil ser mãe de dois

Ser mãe de dois é mais difícil do que se pensa

mãe de dois

A gente acha que vai ser fácil porque já temos a experiência em como lidar com algumas situações. Mas é muito difícil ser mãe de dois. Nesse fase da vida, sinto que estou sempre em débito com um dos meus filhos. E porque trabalho fora, sinto que minha dívida está ficando enorme, pois não consigo equilibrar meu tempo, afazeres e atenções. Percebi há algum tempo, num simples comportamento do filho mais velho.

Olhando aí pelas nossas fotos no instagram, ninguém percebe. Meu primogênito comporta-se como uma criança da sua idade. Não está mais na fase dos Terrible Twos, mas tem dias bons e ruins. Claro que eu adoraria que permanecesse só os dias bons, os quais ele é um menino incrível que parece a frente do seu tempo e idade. Mas os dias ruins servem para me lembrar o quanto ele precisa de mim, impondo limites e oferecendo todo o amor que eu puder. Serve também para me advertir da responsabilidade que tenho, do equilíbrio, resiliência e paciência que preciso exercitar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 1 de 17123456...Última