19 abr 2016

10 Coisas que não se deve dizer à mãe que trabalha fora

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

Existem muitas coisas que não se deve dizer a uma mãe que trabalha fora e ao pensar em dizer, acho que vale o ditado: em boca fechada não entra mosca

mãe que trabalha fora

É comum muitas mulheres pararem de trabalhar após a maternidade e não sei se por isso, está ficando cada vez mais comum as pessoas estranharem quando encontram uma mãe que trabalha fora. Sim, ainda existem milhares de mães que não largam o emprego. Os motivos são diversos, entre eles a necessidade financeira ou realização pessoal. Afirmo, os dois fatores são meus motivos. Mas o segundo pesa mais. Eu amo meus filhos mais do que qualquer coisa nessa vida, no entanto não me vejo sem trabalhar. Eu preciso disso.

Nessa, vivo e sofro um conflito imenso na vida, pois assim como gosto de ser uma mãe que trabalha fora, gostaria de ter mais tempo com os meus filhos, óbvio. E como gostaria! Por isso, não descarto a ideia de um dia vir trabalhar meio período em casa. Mas essa ainda não é minha realidade. E fico triste porque as pessoas, em geral, não valorizam o esforço que muitas mães fazem ao optar por essa escolha. Somos julgadas por isso. Esse julgamento vem por diversas vezes explícito num comentário ou simplesmente estampado na cara de quem não vive a mesma realidade da mãe que trabalha fora.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

13

comente!

12 abr 2016

Grande Magia: vida criativa sem medo

Saber identificar os nossos medos é importante para nos conhecermos melhor e ter uma vida mais criativa, mesmo que isso dê medo. A grande magia está em aprender com os nossos medos e ensinar nossos filhos aprenderem com os deles.

Grande Magia

Em seu novo livro “Grande Magia: vida criativa sem medo”, Elizabeth Gilbert, compartilha histórias pessoais e de pessoas que enfrentaram seus monstros internos para ter uma vida mais produtiva e faz uma reflexão interessante sobre o que significa uma vida criativa. Para a autora, ser criativo é levar uma vida pela curiosidade, e, mesmo sentindo medos, ter coragem. Não dá para comparar os livros, pois são bem diferentes, mas não gostei tanto desse quanto gostei do Best Seller “Comer, Rezar e Amar”. No entanto, deu para tirar uma lição proveitosa: eu preciso ensinar meus filhos a lidarem com seus medos.

Quando falo  de “viver criativamente”, estou falando de maneira mais ampla. Estou falando de viver uma vida mais motivada pela curiosidade do que pelo medo. Elizabeth Gilbert

Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

06 abr 2016

Conversar com o bebê ajuda no desenvolvimento

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque, Filhos

Estudo revela que conversar com o bebê é uma das atividades mais praticadas pelas mães, além de ser um dos fatores que ajudam no desenvolvimento infantil

Imagem Google

Imagem Google

Pouca gente sabe que conversar com o bebê ajuda no desenvolvimento infantil. A boa notícia é que conversar com o bebê é uma das atividades mais praticadas pelas mães brasileiras. Em outubro/2015, a Fisher-Price, divulgou no evento “O fator felicidade”, resultados do estudo “Esperanças e desejos das mães”, no qual foi pesquisado os principais desejos das mães e como elas lidam com o desenvolvimento da primeira infância. Foram entrevistadas 3.500 novas e futuras mamães, no Brasil, China, México, Rússia, França, Reino Unido e Estados Unidos. As entrevistas, revelaram que apesar das diferentes culturas, as mães têm muito mais desejos em comum do que se imaginava.

A pesquisa apresentou que, no Brasil, são 10 atividades mais praticadas pelas mães, a principal é conversar com o bebê. Confira:

1. Conversar com meu bebê (89%)
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

05 abr 2016

A Mãe e o tempo: ensaio da maternidade transitória

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros, Puericultura

A Mãe e o tempo: ensaio da maternidade transitória, mostra como a sociedade não acolhe a mãe

Li o livro “A Mãe e o tempo: ensaio da maternidade transitória” grávida da Stella. Ao ler achei um pouco pesado para o momento, mas na época fiz anotações no próprio. Dia desses estava refletindo sobre como a maternagem nos transforma e nos faz questionar, no quanto a prática de maternar é diferente da teoria. Isso tudo porque eu pensava no esquema de vida que tenho com as duas crianças e traçava com os conselhos alheios. Porque sempre tem alguém, na tentativa de querer ajudar, pronto para “aconselhar” o que é melhor para você e sua família – e acredito mesmo que não seja por mal. Mas a realidade é sempre bem diferente da teoria. Foi quando procurando um livro, me deparei com esse novamente e peguei para folhear. Lá estavam todas as questões grifadas por mim, todas que nessa licença maternidade me assombraram ainda mais do que em qualquer momento desde que me tornei mãe.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

15 fev 2016

Primeiro filho – Prepare-se financeiramente

Preparando-se financeiramente para a chegada do primeiro filho

Por Fabiana Ramos, Coach Financeira e Fundadora do Mulheres com Dinheiro.

Planejamento-primeiro-filho__

 

Que maravilha é a expectativa pela chegada do primeiro filho!! Que delícia receber o exame positivo, observar a sensação de ter um serzinho dentro de você, desfrutar da alegria do primeiro chute,… Que lindo ver a barriga crescendo e o corpo se transformando para acomodar aquele que é o seu maior tesouro.

A gravidez é, a meu ver, a etapa mais linda da vida de uma mulher.

A chegada do primeiro filho traz muitas mudanças à vida da nova mãe e do casal, tanto na questão do próprio relacionamento, quanto no que se refere ao tempo (que antes era somente do casal e agora será dividido por 3) e também em relação às finanças.

Vamos hoje falar sobre as finanças da nova família.

Todos sabemos que um filho traz muitas alegrias, mas também muitos novos gastos.

O ideal mesmo era que o casal tivesse feito uma “poupança-bebê” e tivesse separado uma quantia mensalmente para ir juntando aos pouquinhos… assim, quando a cegonha batesse à porta com o primeiro filho, não haveria motivos de preocupação.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

18 jan 2016

Segunda-feira, recomeço e oportunidades

Pode parecer impossível, mas que quero viver um caso de amor com a segunda-feira. Afinal, por que não amá-la como se fosse sexta-feira?

39 -150p-01

Tudo começou quando conheci o pefil no instagram Mulheres.com.dinheiro, no qual a Fabina Ramos fala sobre finanças para mulheres e idolatra a segunda-feira de forma inspiradora.  Aí chegou o Natal quando recebi por mensagem instantânea aquele texto que dizem ser do Carlos Drummond de Andrade, no qual fala que a ideia de cortar o tempo em fatias se deu o nome de ano, entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que vai ser diferente…

Refletindo sobre essa coisa toda de ano novo, recomeço, oportunidades, pensei na segunda-feira. Todo mundo deseja a sexta-feira como se fosse o amor da vida, como se ela fosse a solução para todos os nossos problemas, cansaços e o começo da diversão.  No domingo todos já estão de bode, porque lá está a segunda-feira batendo a porta. A segunda-feira é sempre rejeitada e vista com maus olhos. Eu também tinha (ou tenho) certa repugnância por ela, mas passei a querer desejá-la bem, pois assim como o primeiro dia do ano, o primeiro dia do mês, a segunda-feira é o primeiro dia, o início de uma nova semana. Assim como o ano novo, a segunda-feira é o recomeço, também é renovação. Não deixa de ser uma oportunidade para fazermos algo novo, finalizar um projeto, planejar a semana, colocar sonhos em prática, de mudar o que nos incomoda, de fazer algo diferente no trabalho, em nossa vida… olhar além do horizonte.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

11 jan 2016

Feliz nova escola

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Educação, Filhos

Ilustração de Andry Rajoelina

Ilustração de Andry Rajoelina

O ano novo começou com grandes mudanças também para o nosso pequeno-grande Benjamin. 2016 além de ser o ano em que ele completará 5 anos, meu Ben está indo para o Pré e para uma escola nova. Desde que tomamos a decisão em mudá-lo de escola, Benjamin participou de todo o processo, inclusive foi conosco conhecer a escola e desde que fizemos a matrícula venho conversando com ele. Numa dessas conversas ele me surpreendeu ao me fazer uma pergunta num tom também afirmativo “mãe, na escola nova vou fazer muitos amigos novos, né?”.

Eu arriscaria dizer que meu filho tem uma vida curta, porém intensa. Sem contar e minimizar as mudanças de desenvolvimento. Desde os dois anos e meio, Benjamin vive grandes mudanças com tão pouca idade. Primeiro veio a morte da sua avó materna, e, embora talvez ele não tivesse consciência plena daquela perda, ele sentiu ao me ver triste. Nunca vou esquecer um episódio no qual estávamos só nós dois em casa, um dia após o enterro, quando ele tão pitico me trouxe sua garrafinha de água, um potinho com balinhas m&ms e me disse naquele parafraseado baby “toma mamãe, tem que comer e beber”. A segunda mudança foi deixar de ser filho único para se tornar o irmão mais velho – papel do qual ele se orgulha em desempenhar e nitidamente o deixa feliz.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

04 jan 2016

Ajuste seus objetivos e metas para 2016

METAS

Se você ainda não fez, ainda dá tempo de ajustar seus objetivos e metas para o ano que acaba de começar. Muitas pessoas acreditam que metas e objetivos são a mesma coisa, no entanto existe diferença entre eles:

Objetivo é o que você quer conquistar, atingir. Exemplo: trocar de carro, realizar uma viagem, mudar de emprego, casar, ter filho, etc.

Meta é pensar no tempo e nos meios que o farão conquistar determinado objetivo. Ou seja, é preciso traçar um plano: preciso tomar 2L de água por dia, vou colocar uma garrafa de 2L na minha mesa do trabalho, tomar metade dela até a hora do almoço, a outra metade até o fim do expediente. Outro exemplo: durante 12 meses, economizarei um valor mensal estipulado para daqui a um ano fazer a viagem dos meus sonhos.

Embora não sejam a mesma coisa, objetivos e metas andam lado a lado. E para conquistar nossos objetivos e metas, é preciso ter foco. Eu costumo listar todos os meus objetivos e repassá-los constantemente para ver se estão seguindo o caminho certo para atingi-los. Minha lista é dividida em categorias:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

17 nov 2015

Pesquisa revela: filhos sentem-se trocados por smartphones

Semana passada escrevi sobre o comportamento do Benjamin em chamar a nossa atenção a todo instante para ver o que ele está fazendo. Vira e mexe é um tal de “mãe, olha o que sei fazer“. Daí que recentemente, uma pesquisa da AVG Technologies, empresa líder de segurança on-line, revelou que os filhos sentem-se trocados por smartphones.

mãe-e-celular

Quero ressaltar alguns dados da pesquisa que me soaram assustadores, confira:

  • 71% dos pais acreditam checar demais seu smartphone  (87% dos filhos concordam);
  • 58% acreditam que seus filhos passam mais tempo no celular do que eles (65% dos filhos concordam
  • 29% afirmam não dar um bom exemplo em relação ao uso de dispositivos móveis (24% das crianças concordam)

Piores Hábitos

  • Se distrair enquanto conversam com os filhos – 65% (50% das crianças concordam que seus pais fazem isso);
  • Usam o smartphone ou tablet durante o jantar – 48% (28% das crianças concordam);
  • Usam o smartphone enquanto brincam com os filhos – 29% (33% das crianças concordam);
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 nov 2015

Os segredos de uma encantadora de bebês

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros, Puericultura

Li a primeira vez “Os segredos de uma encantadora de bebês – como ter uma relação tranquila e saudável com seu bebê” logo quando Benjamin nasceu. E li novamente agora com o nascimento da Stella. Impressionante como a gente esquece as primeiras semanas com o bebê, assim como esquecemos algumas leituras que fazemos. Esse livro é cheio de boas dicas que podem ser aplicadas no dia a dia. Claro, é aquela velha história, nem tudo que tem num livro tem cabimento e nem sempre cabe para todas as famílias e bebês, mas sempre dá pra tirar algum proveito, ainda mais dos segredos da encantadora de bebês.

encantadora de bbs

No início da obra tem um teste “conheça seu bebê”. São 20 questões a respeito do bebê e para cada uma o leitor escolhe a melhor resposta que descreve o comportamento do seu filho na maior parte do tempo. Foi uma surpresa descobrir marcações que tinha feito na época em que li, há pouco mais de 4 anos. O resultado sobre Benjamin era um empate entre bebê anjo e bebê livro-texto. Refiz o teste avaliando a Stella e por estar com ela no colo acabei não fazendo as contas para ter o resultado. Já sabia que daria algo como bebê sensível, desencanei e decidi ler o livro novamente sem saber a resposta.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 5 de 17Primeira...345678...Última