22 ago 2016

5 filmes para assistir na Netflix e lembrar o lado bom da vida

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Maternidade

Sabe aqueles dias em que está difícil ver o lado bom da vida? Então, nada como um bom filme para afastar esses pensamentos e dar mais sentido e valor à vida.

Amo filmes, embora até outro dia estivesse assistindo bem pouco, exceto filmes infantis. Quando os filhos chegam em nossa vida, acontece disso, de priorizarmos outras coisas. Desde que assinei Netflix, tenho dado um jeitinho de assistir algum filminho sem ser infantil. Filmes tem um papel importante na nossa vida, mesmo os de ficção, tem o papel de nos apresentar alguma história de pessoas e/ou lugares, nos proporciona prazer, mas também conhecimento. Ajuda, inclusive, formar opinião sobre determinado assunto e mudar nossa vida, nosso modo de pensar sobre alguma coisa. Assim como livros, acho que devemos incentivar as crianças o hábito de ver um bom filme (para elas, os filmes tem ainda um papel mais importante). Claro, o conceito de bom é subjetivo e varia de pessoa para pessoa e cada um tem sua lista de filmes preferidos. Selecionei alguns dos meus filmes preferidos que, em minha humilde opinião, tem o poder de nos fazer enxergar o lado bom da vida, cada um com uma particularidade. Todos eles estão disponíveis na Netflix. Confira!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

tags: , ,

08 jun 2016

O Show da Luna – Discovery Kids

por
Gabi Miranda

Destaque, Educação, Filhos

o show da luna. jpg

Aqui não vemos muita televisão e por falta de tempo e escolhas, não assisto mais novela. Então a TV fica desligada a semana inteirinha e só aos finais de semana ligamos para algum momento de relaxamento do Benjamin que pede para ver um filminho (ele adora!) ou algum desenho. Ele até vê pouco desenhos em casa, mas conhece de tudo. Acho gracinha quando ele está lá mudando de canal, procurando algo que gosta e se depara com O Show da Luna. Imediatamente ele fala: mãe, seu desenho preferido. 🙂

O Show da Luna

Show da Luna Dispensa apresentação, mas vou fazer assim mesmo. Luna, a personagem principal, é uma menininha que quer saber o porquê de tudo. Junto com o irmão Júpiter e seu bicho de estimação Claudio, investiga a ciência que está por trás dos mistérios como o surgimento do arco-íris, a chuva, o sol, até como vivem as minhocas, como crescem as plantas, planetas, etc. Luna é curiosa, esperta, inteligente e aguça a curiosidade do telespectador, seja uma criança ou adulto. Ela se apresenta assim: eu sou totalmente, incrivelmente e desesperadamente apaixonada por só uma coisa: ciência. Ela é irresistível também! Se eu começo assistir Luna, quero ver até o final porque quero saber o que ela vai descobrir. Consequentemente, ela acaba nos ensinando também.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

18 jun 2015

Divertida Mente – filme sobre emoções é encantador

por
Gabi Miranda

Maternidade

Pais e filhos precisam assistir o filme Divertida Mente

divertida mente

Imagem Google

Semana passada fomos, a convite da Redoxitos, assistir à pré estreia do filme Divertida Mente. Eu já tinha visto trailler e estava ansiosa para a estreia dessa animação da Disney Pixar. O filme conta a história da garotinha Riley que, aos 11 anos, se muda para São Francisco, por conta do novo emprego de seu pai. Essa mudança traz grandes transformações em sua vida, além de ficar longe de tudo que já amava, agora ela precisa se adaptar à casa nova, bairro, escola, amigos.

Em sua mente, vivem sentimentos que todos nós já experimentamos: Alegria, Tristeza, Raiva, Nojinho e Medo. Todos eles ficam embaralhados, deixando as emoções de Riley à flor da pele.

Eu vivo pensando “o que será que passa na cabeça do Benjamin?!”. Em Divertida Mente, achei que a personificação das emoções dá uma noção básica do que acontece. Não tem nada a ver com o cérebro, mas sim como seria o interior da mente – parecido com uma cidade onde cada memória é setorizada – e o que acontece na mente das pessoas, principalmente das crianças onde a mente é sempre colorida e alegre. A maioria das lembranças guardadas é alegre, feliz. Mas sempre temos lembranças das outras áreas, que remetem à tristeza, medo, raiva… Isso tudo fica guardado em nós e nos constrói pela vida inteira, bem como acontece na vida real.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

11 nov 2014

TV pra que TE VER?

por
Gabi Miranda

Comportamento, Desenvolvimento, Filhos

Fico tentando lembrar quando começou minha relação com a TV. Se me lembro bem, nunca fui fanática por desenho. Já a minha irmã caçula passava tardes inteiras com a TV ligada em canais infantis. Sempre gostei muito de novela. Fui uma noveleira incorrigível. Um dia, meu Ben me pediu para colocar a TV no quarto dele. Achei um pedido muito avançado para a idade dele. Isso porque algumas vezes ele queria dormir no sofá assistindo desenho – algo nada legal. Acredito que a luz da TV atrapalha a gente a pegar no sono e impede um sono tranquilo.

TV

Há três meses, passamos a manter a TV desligada lá em casa. O motivo principal foi o fato de achar que Benjamin ficava muito tempo em frente à TV, mesmo fazendo outras atividades, e, perdia atenção facilmente com outras coisas. A professora dele chegou a conversar comigo, dizendo que estava achando ele muito disperso. Foi a deixa para eu culpar o aparelho. Na escola sei que ele já tem o momento da TV, então foi tranquilo manter a nossa desligada. Outros dois fatores decisivos: i) a enxurrada de publicidade, principalmente nos canais infantis; ii) conteúdos impróprios para crianças. Aqui não falo de programas com sexo, por exemplo, mas diálogos inadequados para a idade do Benjamin que está numa fase de repetir tudo o que ouve ou vê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

18 set 2014

Mônica Mundi – uma volta ao mundo com a turma da Mônica

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Maternidade

Chegou em São Paulo o musical “Mônica Mundi – uma volta ao mundo com a turma da Mônica“. Fomos conferir a pré-estreia, no domingo passado, e fizemos uma viagem por países como Portugal, Itália, Japão, França, entre outros, com a turma mais querida desde a nossa infância: Mônica, Cebolinha, Magali, Cascão, Chico Bento e Jeremias, que com muita criatividade e imaginação levam o público para essas viagens de avião, trem, navio e até tapete mágico.

No espetáculo, adultos e crianças se divertem e aprendem um pouco dos costumes de cada lugar apresentado e que fazem parte também da cultura brasileira. São 60 minutos de duração, com 15 minutos de pausa, mas ninguém da plateia parece ficar cansado e com vontade de ir embora. Muito pelo contrário, quando chega a hora da pausa, ouvimos aquele sonoro uníssono “ahhhhh” das crianças.

Mônica Mundi

A peça está em cartaz no Theatro NET SP, localizado no Shopping Vila Olímpia. Eu, que ainda não conhecia esse teatro, fiquei encantada de tão bonito que ele é, e, uma felicidade genuína por morar numa cidade tão rica culturalmente. Nós paulistas somos privilegiados nesse sentido  (porque o trânsito, afff!!) e temos que aproveitar tudo isso.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

15 ago 2014

Mania de explicação

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Maternidade

Mania de explicação

Aqui em casa já é constante ouvir as perguntas; “Por que?”, “o que é isso?”, “o que você disse, essa palavra?”, “o que é Jesus?” e imagino que as perguntas ficam cada vez mais cabeludas e complicadas de responder. Adultos complicam porque não sabem simplificar as respostas e tudo o que os pequenos querem (e precisam) são explicações simples para as coisas que parecem difíceis entender.

Criança tem mania de explicação e gosta de inventar.

“Explicação é uma frase que se acha mais importante do que a palavra”. Diz Isabel, personagem do livro “Mania de Explicação”, de Adriana Falcão. A obra virou uma peça de teatro musical e Isabel ganhou vida nos palcos através de Luana Piovani. O espetáculo chegou sábado passado (09/08) ao palco do teatro Frei Caneca, em São Paulo e nós fomos lá conferir a pré-estreia.

Pautada por músicas de Rau Seixas, a peça fala sobre as curiosidades de uma menina, aos 13 anos, que procura simplificar o mundo com as suas explicações e sentimentos. À sua maneira, ela dá sentido e novos significados às palavras cotidianas. A peça é toda filosófica, mas de uma forma lúdica, encantadora, sensível e muito poética.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

13 set 2013

Shrek – O Musical

por
Gabi Miranda

Uncategorized

No final de semana passado, fomos convidados para a pré-estreia do espetáculo “Shrek – o Musical”.

A história é como a do primeiro filme do Shrek. O ogro mais cativante do mundo vive tranquilamente em seu pântano, num lugar chamado Tão Tão Distante (Far Far Away), quando o Lord Farquaad – o rei que comanda toda redondeza, despeja do seu reino todos os personagens infantis.

Só que o Ogro não quer nenhum daqueles seres em seu pântano, então faz um acordo com eles: ir conversar com o tal rei. No meio do caminho ele conhece o carismático Burro que se torna então seu amigo. Juntos chegam ao reino e o rei propõe outro acordo ao Shrek: resgatar a princesa Fiona, presa há 7 anos numa torre vigiada 24h por um dragão. E lá vão o Ogro e o Burro tentar completar a missão. Como no filme, Shrek se apaixona por Fiona.

Mas se é igual o filme qual é a graça? A graça está justamente em ser um espetáculo cheio de ilusionismo, totalmente diferente do filme. Com piadas diferentes e inseridas nesse contexto que já conhecemos. Além disso a cenografia é i-n-c-r-í-v-e-l, simplesmente deslumbrante. O Burro, representado por Rodrigo Sant’Anna, do programa global Zorra Total, é extremamente cativante. Os efeitos especiais são de deixar qualquer adulto (e que dirão as crianças!) de boca aberta, a Fiona até levita. As músicas enaltecem. E o que falar do dragão?! Gente, eu fiquei encantada com o dragão, igualzinho ao do filme, parece voar de verdade no palco. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

03 set 2013

Conta uma estória, manhê!

por
Gabi Miranda

Uncategorized

O bebê nasce, aí você não vê a hora dele completar 4 ou 6 meses, quando ele já interage mais, brinca, senta, da risada, solta gritinhos, entra na papinha. Depois você não vê a hora que ele comece a engatinhar, andar, completar um ano. Deseja que chegue a hora que ele fale, fale muito. Estamos sempre desejando a fase seguinte. Comigo pelo menos foi assim.

Até que você se dá conta e não deseja acelerar mais nenhum processo porque passa tão rápido, mas tão rápido…. Aí você se pega sentindo falta do dia em que ele nasceu, daquele cheirinho de bebê na casa, aquele chorinho de recém nascido que se transforma em choro de criança manhosa…

Chega um momento, que as fases meio que dão uma pausa. Ele anda, corre, pula, canta, dança, tagarela, faz manha, se joga no chão, vez ou outra te surpreende imitando o Buzz Lightyear. Parece que desacelera o desenvolvimento que até aqui foi tão rápido.

Chega o desfralde e vários aprendizados dele da escola. E um belo dia ele te surpreende com algo que láaaa atrás você já desejou um dia naquele estado nostálgico futurístico de “ai não vejo a hora que meu filho….”.  A lista é infindável e um desses meus desejos do passado (porque agora só desejo que o tempo passe mais devagar) foi atendido recentemente. Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

27 ago 2013

Por um mundo melhor #sem trabalho infantil

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Ontem foi realizado o IV Encontro Internacional sobre trabalho Infantil e o Bossa Mãe esteve lá para conferir um dos maiores problemas que afetam o Brasil: o trabalho infantil.

Aberto pela Françoise Trapend, presidente da Fundação Telefônica Vivo, o evento tem como principal objetivo alertar contra o trabalho infantil – “o assunto mais invisível do país”, disse Françoise.

Fiquei super feliz com o convite e principalmente em ter participado. Esse é um tema importante  e que está diretamente ligado com meu desejo de um mundo melhor. Falando de crianças carentes, por exemplo, dói meu coração vê-los serem explorados por adultos, sendo obrigados a trabalharem vendendo balas ou panos de prato nos faróis, em portas de restaurantes.

Comecei a trabalhar muito tarde e talvez porque naquela época nem tinha a opção de Aprendiz, como encontramos em algumas empresas atualmente – adolescente pode trabalhar nessa condição.

O que caracteriza o trabalho infantil? Para a OIT (Organização Internacional do Trabalho), é qualquer atividade econômica  exercida por crianças com menos de 12 anos, bem como funções exercidas por jovens abaixo de 18 anos, enquadradas em tarefas que em geral afetam a saúde mental e física do adolescente. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

24 jul 2013

Entrevista especial com uma avó adorável

por
Gabi Miranda

Entrevista, Uncategorized

Ela tem nove netos e ressalta no início da conversa: tem uma cadeira de balanço, adora fazer crochê, tricô e bordar, mas não assumiu a imagem da famosa Dona Benta.

Começa o dia fazendo aula de balé clássico (todos os dias!!!), antes de ir para o computador escrever ou responder perguntas de jornalistas. Depois ela vai trabalhar em seu consultório onde atende até às 19:00 e só depois ela vai para cozinha fazer o jantar e se preparar para o programa da noite (que pode ser um concerto, um futebol ou um jantar entre amigos). Com todos esses afazeres, afirma: não é diferente de muitas outras avós que conhece.

Estou falando da psicanalista Lidia Aratangy Rosenberg, autora do Livro dos Avós – Na casa dos avós é sempre domingo?. Conversamos só por e-mail, mas a empatia foi grande. Lidia é daquelas pessoas que você tem vontade de conhecer e ficar horas proseando (e aprendendo!) com ela. Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

Página 1 de 41234