01 set 2017

Setembro, chegou! Hora de renovar as energias

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

setembro

Amo setembro, mês que anuncia a primavera, consequentemente promessa de muitos dias de sol. Muitas pessoas recalculam suas metas em julho ou agosto. Pra mim, é em setembro que recalculo como tem sido o ano. E que ano tem sido 2017 aqui pra gente! E pro Brasil todo. Aqui em casa fomos pegos de surpresa com uma situação que acabou mudando as nossas vidas. Não sei que lição é para tirarmos disso, mas ainda enxergo como uma grande oportunidade de fazer algo diferente.

Logo, esse setembro está com gostinho de agarrar com mãos, braços (e pernas) todas as responsabilidades que envolvem essa ocasião. Aliás, para qualquer projeto de vida, independente do que fazemos, da idade em que estamos, se não nos colocarmos no caminho do que desejamos, ninguém vai pegar nossa mão e nos colocar lá. Né?! Estou entrando em setembro com vontade de fazer crescer e florescer meus sonhos. E tenho pensado muito que enquanto nós não levamos a sério nossas metas, elas continuarão estacionadas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

30 ago 2017

Adaptação escolar na metade do ano – sobrevivemos, um mês de escola nova

por
Gabi Miranda

Comportamento, Filhos

Sobrevivemos à adaptação escolar das crianças. Mudamos as crianças de escola na metade do ano (2017) e as aulas começaram no dia 3 de agosto. A primeira semana foi de muito sofrimento para a mamãe aqui. É incrível como sofremos e nos martirizamos criando expectativas que muitas vezes nem se tornam realidade (ainda bem!). O mal do adulto é essa bendita ansiedade que cresce com a gente. As crianças são bem menos ansiosas e quando demonstram esse sentimento, creio que tem um dedinho nosso. Contar hoje para a criança algo bacana que vamos fazer só no próximo sábado, faz sentido? Não muito, porque isso é que vai gerar nela o sentimento impaciente de chegar logo aquele dia.

Quando penso em toda a minha angústia da primeira semana, concluo o quanto fui boba. Pra ajudar, na época eu tinha acabado de ler e estava assistindo Big Little Lies. As crianças tem um poder incalculável de se adaptar aos ambientes e fazer novos amigos. No entanto, eu tinha dúvidas disso e procurei algumas alternativas para ajudar nesse processo. Na primeira semana de aula, soube que o Benjamin estava na mesma sala de um amiguinho do mesmo condomínio. Conversei com a mãe dele que prontamente já me indicou no grupo de WhatsApp das mães da turma. Fiquei o dia inteiro salvando “nome mãe de João” na agenda do celular e me sentindo grata por tanta tecnologia. Imagina, nossas mães não tinham nada disso na nossa época. Viva a tecnologia que de uma forma ou de outra aproxima as pessoas!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 ago 2017

Ser mãe não basta pra mim

por
Gabi Miranda

Destaque

ser mãe não basta

Tem gente que não entende o que quero da vida quando falo que quero passar mais tempo com meus filhos, mas sem deixar de trabalhar. Até algum tempo atrás eu também não entendia. E não achava possível somar as duas coisas. Hoje tenho convicção de que ser mãe não basta pra mim. Eu não tenho a ilusão de que parar de trabalhar fora e cuidar dos filhos é sinônimo de felicidade. Basta um final de semana prolongado em tempo integral com filhos + casa para ter certeza de que ser mãe não basta pra mim. Não sei ficar em casa, embora tenha desejado muito isso nos últimos tempos.

E o que basta pra mim? Fazer o certo em doses que sejam boas para todos. Atualmente, meus filhos precisam de mim e eu preciso dedicar tempo a eles. Não só por uma necessidade, mas um desejo pessoal meu. Sinto que estou perdendo a melhor parte da vida deles. A relação mãe e filho é uma das mais poderosas, além de ser mágica. E como li outro dia, no blog Antes que eles cresçam, para acontecer a magia dessa relação você precisa estar presente.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

16 ago 2017

Como ser feliz no casamento com filhos

por
Gabi Miranda

Casamento, Destaque, Maternidade

Tenho pensado muito na relação do casal após os filhos. Como ser feliz no casamento quando se tem filhos. Penso, penso, penso e tento tomar cuidado para não cair na expressão que a maioria das pessoas afirmam: filhos estragam o casamento. A vida do casal muda completamente com a chegada dos filhos, mas dizer que filhos estragam o casamento é um tanto injusto. Com eles. A verdade é que quando temos filhos, a atenção acaba voltada para os filhos. Um perigo. O casal deixa de ser homem e mulher, para serem pai e mãe das crianças. Esquecemos de desempenhar junto os dois papeis: o de esposa (o) e pais.

Leia também: Como harmonizar maternidade com a vida sexual

Muitas pessoas comentam que acham incrível a minha relação com o marido. Nas redes sociais é tudo lindo! Eu não contei a vez que surtei esse ano e pela primeira vez saí de casa com mala e cuia. Era um domingo, estava fazendo almoço, Stella pendurada no meu pé chorando e pedindo colo. Até aquele dia, era sempre assim quando eu ia pra cozinha. Eu ficava brava porque acho a cozinha perigosa quando se tem fogão ligado, porque achava que não podia contar com a colaboração do marido. E ele pronunciou que eu sempre estragava o final de semana. Estourou uma linha tênue no meu cérebro e no coração. Já que eu sempre estragava o final de semana deles, não fazia sentido eu estar ali. Foi esse o raciocínio que me fez tomar a decisão de sair de casa.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

02 ago 2017

Como doar leite materno

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque, Filhos, Saúde

doar leite materno

Se tem uma coisa incrível na maternidade, é o fato de gerar uma vida e também produzir o alimento para este novo ser. Por isso, super apoio qualquer causa que incentive a amamentação. Toda mãe pode alimentar seu filho, mas acho que faltam ações de incentivo, encorajamento e informação. Usamos o mês de agosto para conscientizar sobre a importância do aleitamento materno, mas acho que isso deveria ser feito sempre, do momento que pegamos nosso filho pela primeira vez no colo na maternidade. Quantas pessoas já ouvi falar que não tiveram orientações sobre como amamentar seu bebê. Sim, mães precisam de orientação para amamentar, sendo primeiro ou segundo filho. Assim, como precisamos de orientação de como doar leite materno. Esse é o assunto que quero abordar aqui. O leite materno também pode salvar vidas..

Se amamentar é um ato de amor, doar leite materno é um ato de amor multiplicado por generosidade e empatia. Segundo o Portal do Governo de São Paulo, existem na cidade, 50 bancos que recebem doação de leite. Diz ainda que esses bancos de leite oferecem serviços de busca em domicílio e disponibilizam um kit para garantir a qualidade do leite doado. O Brasil, possui a maior rede de bancos de leite do mundo, reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

31 jul 2017

Como é difícil ser mãe de dois

Ser mãe de dois é mais difícil do que se pensa

mãe de dois

A gente acha que vai ser fácil porque já temos a experiência em como lidar com algumas situações. Mas é muito difícil ser mãe de dois. Nesse fase da vida, sinto que estou sempre em débito com um dos meus filhos. E porque trabalho fora, sinto que minha dívida está ficando enorme, pois não consigo equilibrar meu tempo, afazeres e atenções. Percebi há algum tempo, num simples comportamento do filho mais velho.

Olhando aí pelas nossas fotos no instagram, ninguém percebe. Meu primogênito comporta-se como uma criança da sua idade. Não está mais na fase dos Terrible Twos, mas tem dias bons e ruins. Claro que eu adoraria que permanecesse só os dias bons, os quais ele é um menino incrível que parece a frente do seu tempo e idade. Mas os dias ruins servem para me lembrar o quanto ele precisa de mim, impondo limites e oferecendo todo o amor que eu puder. Serve também para me advertir da responsabilidade que tenho, do equilíbrio, resiliência e paciência que preciso exercitar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

28 jul 2017

Uma carta para Stella

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos

 

Filha,

Talvez você nem leia essa carta. Ou esteja lendo do seu celular em algum lugar do mundo e pensando várias coisas sobre o quanto sua mãe era piegas (ou não) escrevendo essas coisas. Escrevo essa carta no seu aniversário de 2 anos. Eu podia escrever sobre o quanto você foi desejada, como foi concebida, o quanto sonhei contigo. Mas não, decidi escrever uma carta parecida com a que já fiz para seu irmão Benjamin. Estava aqui pensando em você e algumas coisas que aprendi nos últimos (três) anos – desde a morte da sua avó, até sua chegada.

Sim, perdi sua avó no ano que você chegou. Primeiro foi a perda dela, em seguida a vida me presenteou com você. Desde então eu só tenho aprendido coisas incríveis sobre a vida. Bom, decidi escrever com o intuito de que algo seja útil para você. Para começar, aprendi foi sobre o tamanho da força que possuímos dentro de nós, mas não temos ideia. Acredite nisso, você é mais forte do que imagina.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

24 jul 2017

Meu processo de coaching

Desde quando perdi minha mãe, me dei conta que meu mundo se dissolveu. Logo em seguida a Stella nasceu e percebi que a ordem e as prioridades da minha vida já não eram mais as mesmas. Antigos sonhos se diluíram para dar espaços a novos. Há dois anos exatos a Stella nasceu e com ela nasceu também a urgência de transformação e mudança. Pessoal e profissional. Sempre fui uma pessoa decidida e batalhadora, mas acho que nunca precisei da audácia necessária de agora. Por isso comecei meu processo de coaching. Tornei-me coachee.

Passada a fase de achar que precisava de uma consultora de estilo, ou de ir mais à igreja, descobri que é tempo de ter mais clareza das escolhas a serem feitas, de ter mais confiança, desenvolver as ideias e comportamento, de obter mais desafios, de maximizar meu potencial, de autodescobertas, de ser ao invés de ter!

Descobri que ser feliz é mais importante do que ter algumas coisas. Resolvi assumir que preciso fazer algumas mudanças. Sei que me dedicando 100% do tempo para meus filhos e casa não me faria feliz completamente. Mas meus filhos estão crescendo e sinto que estou perdendo a melhor fase da vida deles. E me dói perceber isso. Ainda mais quando penso que talvez nem tenha mais outro filho para que eu possa fazer algo diferente. E também não tenho outra vida. Está valendo essa aqui e agora que estou vivendo. Eu queria muito poder conciliar as duas coisas: trabalho e filhos. Mas como? Foi então que decidi fazer coaching.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

07 jun 2017

Quando está na hora do desfralde?

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Destaque

Dúvida comum entre as mamães: quando chega a hora do desfralde?

.

Recebemos dois bilhetes da escola da Stella indicando que estava na hora do desfralde dela. O primeiro eu fingi que não vi (quem nunca?) e o segundo eu não pude mais evitar. Lembro até hoje quando recebi o bilhete falando da hora do desfralde do Benjamin. Essa é uma notícia que chega inesperadamente, pega a gente de surpresa. O bebê cresceu!

Já me peguei ansiosa pensando no desenvolvimento infantil das crianças, mas para a hora do desfralde nunca tive pressa nenhuma. Com o Benjamin foi um processo muito tranquilo que correu sem pressa e muito bem quando iniciamos.

Embora a escola acredite que Stella esteja preparada, eu não tenho muita convicção. Stella já avisa há algum tempo que fez cocô, mas não acho que esse indício seja o suficiente para concluirmos que é a hora do desfralde e que ela está pronta para passar por esse processo. Não sou especialista no assunto, mas tenho um case de sucesso com o Benjamin e quais foram os sinais que me fizeram ter certeza que era a hora do desfralde dele?
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

19 maio 2017

Seu leite pode salvar vidas

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Maternidade

A Baby Dove lançou na semana passada uma campanha em defesa da doação de leite materno, “Seu leite pode salvar vidas“. O projeto é realizado em parceria com o Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros e com a Uber, incentiva mulheres a doarem leite maternos e sensibiliza a sociedade sobre a importância da doação.

Seu leite pode salvar vidas

O fato é que poucas pessoas conhecem a função dos bancos de leite. E poucas sabem que o leite humano é mundialmente aceito como a primeira fonte de nutrição, sendo um importante alimento para frear a taxa de mortalidade e ajudar a salvar a vida de bebês prematuros.

O objetivo da campanha “Seu leite pode salvar vidas” é sensibilizar e inspirar através de uma mensagem positiva para aumentar o número de mães que doam leite materno, contribuindo assim para salvar a vida de milhares de bebês prematuros no país.

Desde seu nascimento, em 2014, a marca Baby Dove fala da ansiedade vivida pelas mães ao terem seu primeiro filho, causada pela pressão de serem ‘mães perfeitas’. E acredita que as mães que conseguem se libertar dessas pressões e confiam em sua intuição e em sua forma de cuidar de seus filhos, são mais felizes e seguras.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 1 de 21123456...Última