03 mar 2017

O poder do discurso infantil

Uma vez, alguém me disse que criança perde a graça a partir dos 5 ou 6 anos. Os bebês sempre ganham presença por serem mais graciosos e fofos. Certamente essa pessoa, que já não lembro quem seja, não convive com uma criança de 5 anos, não imagina o poder do discurso infantil. Digo isso, porque convivo diariamente com uma criança nessa idade e posso afirmar, uma criança de 5 anos tem tanta graça quanto um bebê. Falo com certeza, pois tenho as duas experiências aqui em casa.

Talvez o meu menino de 5 anos tenha desenvolvido habilidades para superar as comparações e a invisibilidade causada por um bebê a uma criança de 5 anos. Porque aos olhos de adultos desatentos, o menino de 5 anos (ou mais), torna-se invisível. Percebo isso nos corredores e elevadores por onde andamos. Meu filho também percebe e já me questionou porque um adulto não o cumprimentou e só falou com sua irmã. Sim, acontece – e muito – disso. E me sobe um sentimento próximo a raiva. Uma vontade de ir lá tirar satisfação com o indivíduo mal educado que simplesmente ignorou a presença do meu primogênito e causou-lhe certa angústia e frustração. Quiçá algum dia ele desenvolva um sentimento até negativo contra a irmã, achando que ela pode ser uma ameaça à sua sociabilidade.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

28 out 2014

Barulhinho bom

por
Gabi Miranda

Família, Maternidade

Barulhinho bom

Essa semana me dei conta como é gostoso morar em frente uma praça. Nesses dias de calor, acordo com o canto dos pássaros. Eita barulhinho bão…! Todos os dias eu e Benjamin tomamos banho de sol. Ele no carrinho, eu com um livro na mão. O sol, a sombrinha, os passarinhos, aquela brisa no rosto…ai que delícia! Vou sentir saudades desses pequenos momentos com meu filhotinho. Hoje ele percebeu os passarinhos, sei lá o que ele enxerga, mas ficou atento aos movimentos e barulhos dos pequenos voadores. Em certo momento meu Ben começou a tagarelar alto e só dava ele e os pássaros na praça numa competição gostosa.

Taí, agora o canto dos pássaros vai me lembrar esses momentos com o pequeno Benjamin. Na pressa do dia a dia esquecemos certos detalhes que fazem a diferença e dão certo sentido a nossa vida. Hoje me dei conta como certos barulhinhos fazem parte da nossa memória afetiva. Lembrei de um em especial: na casa dos meus avós Biga e Roque, tinha um enfeite com pequenos sininhos que ficava pendurado na porta da sala, toda vez que alguém abria a porta, os sininhos tilintavam. Ao lembrar disso foi como se escutasse novamente o barulhinho. Som de infância.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

03 jul 2013

Festa Infantil Baby Guide

por
Gabi Miranda

Festas, Na Mídia, Scrap Bossa

Estamos na revista Festa Infantil Baby Guide

Fico impressionada quando alguém lembra detalhes da sua infância. Minha memória da infância não é lá tão cheia de arquivos, mas as lembranças que tenho são suficientes para saber que tive uma infância feliz. Tenho várias lembranças das festas de aniversários, por exemplo. Todas sempre preparadas pela minha mãe. Da bexiga ao docinho. Da decoração ao bolo. Sim, minha mãe era quem preparava o bolo. Todo ano era o mesmo sabor: floresta negra! Mas era delicioso!

Sinto que hoje em dia se perdeu um pouco aquele gostinho que se tinha antigamente as preparações das festas caseiras. Todo mundo compra tudo pronto. Talvez até pela praticidade. Muitas festas são realizadas em Buffet. Talvez também pela praticidade.

Acho que por ter visto minha mãe preparar a cada ano nossos aniversários, tenho tanto prazer em produzir a festa do meu Ben. Sem contar aquele clima que envolve todo mundo. Avós, tios, pais, todos mobilizados para organizar a festa do ano! É uma forma de viver a festa antes mesmo de ela acontecer. Os preparativos é tão gostoso quanto o dia D…
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

24 maio 2013

Vamos brincar! – Semana Mundial do Brincar (blogagem coletiva)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Eu tinha pensado em levar o Benjamin em um lugar diferente, que ele não tivesse ido ainda, como era a proposta da Aliança pela Infância para a Semana Mundial do Brincar. Mas não consegui cumprir. O máximo que consegui fazer foi levar Benjamin ao Shopping Garden – uma loja de paisagismo e jardinagem onde tem flores, plantas e acessórios. Parece estranho, eu nunca imaginei, mas é engraçado como um lugar como esse pode ser atraente para as crianças na idade dele. Benjamin adorou! Correu, viu diversas plantas, brincou dentro de um vaso gigante!


Aqui em casa valorizamos momentos de prazer com o Benjamin. Não gostamos muito de ficar trancados em casa, então sempre que podemos levamos Benzoca para passear, brincar fora, ter contato com o mundo.

O que percebo é que cada vez mais as crianças (e nós adultos) são bombardeadas com tecnologia. Isso desde muito novinhos. Percebam os brinquedos, cada vez mais barulhentos e cheios de botões. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!