02 ago 2016

Sobre amamentação

por
Gabi Miranda

Alimentação, Bebê, Destaque, Filhos, Gravidez

Vamos falar sinceramente sobre amamentação?

amamentação 

Começou ontem e vai até o dia 07/08 a Semana Mundial do Aleitamento Materno

Que amamentar é um ato de amor e aumenta o vínculo entre mãe e bebê, contribui para o desenvolvimento emocional, cognitivo e sistema nervoso, todos nós já sabemos. Os benefícios são inúmeros para a saúde do bebê e isso é muito bem divulgado. Porém, fala-se pouco das dificuldades que algumas mulheres podem encontrar no início da amamentação. Apesar de ser algo natural, a amamentação nem sempre é simples. Os primeiros dias da amamentação podem ser bem difíceis para algumas mulheres, como pode ser tranquilo para outras. Posso afirmar que para mim foi tranquilo com Benjamin e Stella, apesar de ter tido nas primeiras semanas rachaduras nos dois seios.

O desconforto mais comum entre as puérperas são os mamilos rachados, que geralmente são causados pela pega incorreta do bebê ou pela alta frequência de mamadas. Aqui, por exemplo, Stella pegou corretamente na primeira tentativa, logo após o parto, mas como se sabe, durante os dois/três primeiros dias nosso seio só produz colostro e, acredito, que isso faz com que o bebê sugue com mais ferocidade uma vez que não sai quantidade significativa como o leite materno que sai em jatinhos. Resultado, no terceiro dia meus mamilos estavam bem rachados e doloridos a cada mamada. O leite desceu no terceiro dia a noite e Stella já começou a sugar menos forte o que aliviou. Depois a amamentação foi fluindo melhor e os mamilos ficando menos rachados e doloridos. Ou seja, como tudo na vida, isso passou.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

01 ago 2016

Furei a orelha do bebê com um mês de vida

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Sem seguir a recomendação da pediatra, furei a orelha do bebê com um  mês de vida

 

furei a orelha do bebê

Stella com 1 mês e brincos

Stella tem as orelhas furadas desde um mês de vida e confesso, se ainda furassem na maternidade como era na época em que eu nasci, assim como eu, ela teria saído de lá com as orelhas furadas. Todo mundo me pergunta quando furei a orelha dela, até que dia desses vi o post da Mari, do blog PetitNinos e me dei conta que nunca contei aqui sobre a minha decisão de furar a orelha do bebê com um mês.

A pediatra da Stella é homeopata e recomendou furar a orelha do bebê a partir do 6º mês. Como lidar com isso? Sempre quis ter uma menina e ia esperar mais 6 meses para emperiquitar a menina?! Pensando assim, fui um pouco egoísta, eu sei, pois atualmente fala-se muito sobre violência contra bebês através de procedimentos logo após o parto. Na época, não pesquisei nada sobre o assunto e sei que teria mudado de ideia se encontrasse informações preciosas como as que encontrei no post Porque NÃO furamos a orelha do bebê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

02 maio 2016

Conjuntivite – de olho nela

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Saúde

Esse tempo seco e ar poluído deixam os pequenos mais vulneráveis à conjuntivite, fui pesquisar sobre essa doença para esclarecer o assunto e compartilhar tudinho com vocês

conjuntivite como cuidar

Stella pegou conjuntivite na última semana. Estava começando uma gripinha e achamos que um dos olhinhos remelentos era decorrente a isso, mas no dia seguinte esse olho foi ficando estranho, no outro dia os dois estavam infectados e não tínhamos mais dúvidas: conjuntivite. Com esse surto de doenças espalhadas por aí, não levamos ao pronto socorro, esperamos dois dias (sábado e domingo), até segunda-feira e conseguimos um encaixe com a pediatra dela que confirmou o diagnóstico. Eu estava limpando o olho da menina com água boricada, não façam isso!!! Antigamente até faziam isso, mas o correto é limpar com soro ou água filtrada. A sorte é que ninguém mais em casa pegou, mas rendeu uma semana de molho em casa, com os cuidados da pequena divididos entre eu e o marido.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

20 abr 2016

Você já levou seu filho no oftalmologista?

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Saúde

Quero saber se você cuida dos olhos do seu filho, se só eu não levei ou se tem mais alguém que nunca levou o filho no oftalmologista

oftalmologista

Recebi algumas informações de especialistas sobre como cuidar dos olhos de crianças e me dei conta de que nunca levei Benjamin ao oftalmologista. Lógico que como mãe louca-desesperadamente-urgente que sou já corri para pesquisar um médico da especialidade para levar o primogênito. Sugere-se que após o teste do olhinho, feito ainda lá na maternidade, o bebê precisa passar por uma consulta oftalmológica a cada 6 meses nos dois primeiros anos de vida. Ou seja, até a Stella está na hora de passar. Após os dois anos, indica-se uma vez por ano, mesmo que não tenha queixas, sinais ou sintomas de problemas. É com a visita periódica no oftalmo que se descobre precocemente possíveis miopia, hipermetropia e astigmatismo – patologias que exigem o uso de óculos.

Benjamin nunca apresentou nenhum dos sintomas, mas por precaução melhor levar, né?! E é mais comum do que se imagina crianças pequenas usarem óculos. O melhor amigo do Benzoca já usa óculos há um ano, ele tinha 3 anos quando começou a usar. Meu primo caçula, hoje com 25 anos, usa óculos desde quando era bebê, eu não me lembro dele sem óculos, juro! Como já disse, Benzoca está de escola nova e por mais cedo que pareça, está iniciando a fase de alfabetização, tem muita lição de casa, muitas atividades que envolvem leitura e é comum na fase pré-escolar surgirem reclamações da criança por não estar enxergando direito.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

24 mar 2016

Zika Vírus: dicas de proteção

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Gravidez, Maternidade

Zika Vírus foi descoberto em 1947, a primeira epidemia causada por esse vírus no mundo foi em 2013. Atualmente, acredita-se que desde de 2015, o Zika Vírus está assustando milhares de brasileiros.

Zika Vírus

Imagem Google

Recentemente participei de um encontro com  a Dra. Ana Escobar, pediatra e consultora do programa Bem Estar, que falou sobre A importância dos primeiros 1000 dias em tempos de Zika Vírus. Foi um encontro com bastante informações sobre esse vírus que tem alarmado o Brasil. Sabemos que o transmissor do Zika Vírus é o mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a Dengue, a febre amarela e a chicungunya. Homens e mulheres de todas as idades podem pegar, inclusive as grávidas. Existem ainda muitas dúvidas e estudos a respeito dessa praga. Por exemplo, devemos ter cautela para engravidar? As pesquisas indicam que uma mulher que teve Zika Vírus antes de engravidar, não corre o risco de infectar o bebê, mas é tempo de cuidado. Segundo a Dra. Ana Escobar, quem pode aguardar um pouco para engravidar, deve aguardar. Veja, abaixo, outras informações e dicas da Dra. Ana Escobar.

Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

23 mar 2016

Entenda o que é microcefalia

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Lillo, empresa tradicional no segmento de produtos que atendem as necessidades de mães e filhos, esclarece o que é microcefalia

 

microcefalia

Microcefalia é uma condição neurológica em que a circunferência da cabeça da criança é significativamente menor que a circunferência de 32cm. Quando detectado ao nascimento, a microcefalia usualmente é resultado de um desenvolvimento cerebral prejudicado intraútero.

Ela pode ser causada por uma variedade de fatores genéticos e/ou ambientais. Crianças com microcefalia, frequentemente, apresentam atraso do desenvolvimento. Geralmente não há tratamento, porém, a intervenção precoce com terapia de suporte, como terapia ocupacional e fonoaudiologia, podem aumentar o desenvolvimento e melhorar a qualidade de vida.

O principal sinal de que uma criança tenha microcefalia é uma medida da circunferência da cabeça significativamente menor que de outras crianças, da mesma idade e sexo. Para esse diagnóstico, são utilizadas curvas de crescimento e calculado em percentis.

Algumas crianças com microcefalia apresentam desenvolvimento neuropsicomotor normal. Apesar de ter a circunferência da cabeça menor que a média das crianças para a mesma idade e sexo. Porém, dependendo da gravidade da causa que provocou a microcefalia, algumas complicações podem ocorrer:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

03 mar 2016

Cuide dos dentes de leite e definitivos do seu filho

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Saúde

Dentes de leite precisam de cuidados especiais como se fossem os definitivos

dentes de leite
Precisamos cuidar dos dentes de leite dos nossos filhos como se fossem os definitivos. Engana-se quem pensa que dentes de leite não dão cáries. Por que não daria? Por aqui, no final do ano passado e para nossa surpresa, Benjamin fez uma obturação num dos últimos dentes do fundo. Já fazia algum tempo, eu andava desconfiada de que esse dente estava esquisito, com uma manchinha escura bem pequenininha, mais parecia uma sujeirinha. Escovávamos e nada dela sair. Comecei a ficar incomodada e preocupada se podia ser uma cárie. Marcamos dentista e confirmado, cárie! Fiquei bem triste com isso porque foi como se eu não estivesse cuidando direito dos dentinhos do meu filho.

Embora estivesse desconfiada disso, fiquei surpresa uma vez que Benjamin não come doce nenhum (não que seja isso o único fator para criar cáries) e cuidamos muito bem dos dentinhos dele. Pelo menos era o que eu pensava. Ele mesmo não arruma empecilhos no momento em que precisamos realizar os tais cuidados. Desde bebê, quando ainda não tinha dentes, realizávamos a higienização conforme a pediatra nos ensinou, passando uma gaze na gengiva para tirar todo o excesso do leite, principalmente quando entramos com a fórmula. Quando os dentinhos surgiram, passamos a cuidar ainda mais. Sempre escovamos os dentes dele após as refeições e usávamos pasta sem flúor.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

4

comente!

29 jan 2016

Como saber se o bebê está mamando o suficiente

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Maternidade

Baby breastfeeding --- Image by © Heide Benser/Corbis

Baby breastfeeding — Image by © Heide Benser/Corbis

Essa deve ser a dúvida mais comum entre as mamães: como saber se o bebê está mamando o suficiente. Com o Benjamin não tive essa questão me perturbando, já com a Stella o negócio foi diferente. Ao contrário do irmão que mamava 20 minutos cada seio, ela mamava por 5 minutos em um seio e parecia estar satisfeita, logo depois já queria mamar novamente. No entanto, não era isso que me deixava preocupada, afinal é um erro querer marcar no relógio o tempo de mamada dos bebês. Eles podem mamar por poucos minutos e ficarem satisfeitos. Comecei a encanar mesmo quando descobrimos que ela não estava ganhando peso mesmo mamando em livre demanda e com pega correta.

Blog_fotos-2015-5

Amamentando Stella

Por um mês, fiquei reparando no meu e no comportamento dela. Tentei perceber se ela estava mamando até o final quando chega o leite mais gorduroso, se ficava satisfeita ou se era preguicinha de bebê, se eu estava fazendo a troca do peito no momento certo. E assim insisti na amamentação antes de entrarmos com a fórmula como indicado pela pediatra. Nesse período fiquei muito encanada, ficava me perguntando o que estava fazendo de errado, porque minha bebê não ganhava peso, como saber se ela estava mamando o suficiente??? Se não existe leite fraco, qual era o meu problema? E nossa pediatra, com muita calma, explicou que não existe leite fraco, mas pouco leite e que ter dois filhos era mais difícil do que ter um só para cuidar e dar atenção. Ficamos mais cansadas, mas preocupadas, estressadas e tudo contribui para a produção baixa de leite.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

20 jan 2016

Por que é importante o bebê arrotar?

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Veja se esta cena lhe parece, ou já lhe pareceu, familiar e saiba porque é tão importante fazer o bebê arrotar:

– nenê, que dormia tranquilamente, acorda no meio da noite chorando para mamar;

– pais acordam de pulo, mas já levemente acostumados com a situação;

– nenê mama no colinho aconchegante de uma mãe cambaleante de sono;

– fim da mamada, nenê já pegando no sono e a paz voltando a reinar na calada da noite;

– hora de por o bebê pra arrotar uns 10-15 minutinhos;

– nenê arrota e…

…desperta alegremente, abre olhos estalados como se já fosse de manhã e vai voltar dormir só depois de uns 45 minutos de ninadas, balanços e passeios no colo pela casa, madrugada adentro.

Quais pais nunca passaram por isso, não é mesmo?! Mas por que é tão importante fazer o nenê arrotar?

Imagem Google

Imagem Google

Fui buscar essa informação há algumas semanas, então não lembro exatamente de tudo que li. Mas vou transcrever o que gravei na memória:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

07 jan 2016

Dengue mata! Dicas para preveni-la

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Produtos, Saúde

Imagem Google

Imagem Google

Chegou o verão e com ele uma grande preocupação: a Dengue. Todo mundo já sabe, mas nunca é demais repetir, a Dengue não é transmitida de pessoa para pessoa, é uma doença infecciosa, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e aparece principalmente nas áreas tropicais e subtropicais, como o Brasil. O surto acontece justamente no verão, período de grandes chuvas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo.

A Dengue é uma doença séria e mata! Possui quatro tipos e todos com os mesmos sintomas: febre alta, dor de cabeça, dor nos olhos, no corpo, dor abdominal (principalmente em crianças), perda do paladar e apetite, manchas na pele, náuseas e vômitos, tontura, moleza, cansaço.

Como combater a Dengue? A melhor maneira é agir de forma preventiva, impedindo a reprodução do mosquito. O mosquito nasce e se cria em água parada, portanto é fundamental eliminar qualquer residente que possa acumular água. Em casa, conseguimos fazer isso tomando alguns simples cuidados:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: ,

Página 2 de 6123456