27 set 2012

Sentimentos partem do coração

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Como em toda casa: eu carrego muita herança da formação da minha família; o marido carrega herança da formação da família dele; além dessa herança cada um tem a formação de valores que a vida apresentou; e aí ficamos os dois tentando passar os valores que acreditamos ser essenciais para o nosso filho.

Eu não concordo com alguns valores/comportamentos que percebo da família dele; assim como não concordo com alguns valores da minha família. Mas isso não quer dizer que não são válidos.

Lembro da minha mãe nos forçando dar beijo em quem chegasse e/ou fosse embora; a mim, ela obrigava sorrir (!); e também de incitar agradecer um presente. Ai como eu odiava isso (não o ato de agradecer, mas o de dar beijo forçada e, principalmente, o de sorrir. Até beliscões ela me dava alertando pelo canto da boca “SOR-RIA”! Fala aí mamis, não é verdade isso?!…)!!!

Reparo algo curioso na família do meu marido. Ele com seus 31 anos e suas primas (uma pré e outra adolescente), ainda são lembrados e induzidos a ligarem para as tias em datas comemorativas ou para agradecer um presente que elas deixaram na casa de suas respectivas mães. Ai deles se não ligam, uma das tias fica de bico por tempos. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

18 set 2012

Era uma vez um bebê…

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Sábado passado fizemos um passeio diferente. Levamos Benjamin para ver avião! Minha mãe conta que seu pai sempre a levava para ver os aviões no aeroporto de Congonhas. Nós levamos Benjamin ao Memorial 17 de Julho, uma praça inaugurada esse ano, marcando os 5 anos da maior tragédia da aviação brasileira, quando 199 pessoas morreram no acidente da TAM. Se eu lembro dessa data como se fosse hoje, imagino as famílias…

O lugar apesar de tudo, é tranquilo e tem uma energia positiva. Enquanto via meu pequeno andando solto, ao longe,  fiquei a refletir naquela pequena de vida, naquela grande partícula de mim.

Pra mim ainda é muito louco olhar o Benjamin e saber que foi gerado por mim. Eu que não acreditava fervorosamente em Deus, quando vejo esse bebê – um menino que está virando um moleque, só penso: a natureza é muito sábia, extraordinária, mas essa coisa também tem dedo de Deus!

O pequeno curtiu o passeio. Curtiu o vento em seu rosto. Curtiu até música. Ouviu de longe as notas de um violão e foi ao encontro. Nunca vi, tão pequeno e gostar tanto de música. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

12 ago 2012

Dia dos Pais – por Roberto Piffer (o marido)

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Hoje, dias dos pais, e algumas palavras para explicar como eu me sinto. Logo de início transcrevo o trechinho de um texto que recebi nesta semana, por e-mail, e que fez muito sentido para mim: “Você sabe que se tornou um pai de verdade quando percebe que todo mundo pode ter um filho, mas é preciso muito esforço, mas muito esforço, todos os dias, para ser um Pai, e você está super feliz com isso.”

Pode soar pessimista por causa do “muito esforço”, e não deixa de ser verdade. Mas é um esforço pra lá de gratificante. Aliás, esforço, responsabilidade, dedicação e várias outras coisas mais…

E porque vale tão a pena? Todo mundo pode imaginar e pode até parecer piegas demais repetir tudo isso, mas aí vai: um sorriso, um abraço recebido, um carinho, um bocejo, uma espreguiçada, ou até mesmo um punzinho que seja do seu filho, já faz ver o dia de forma diferente. Hoje de manhã, por exemplo, quando ele acordou não fui eu quem pegou-o no berço, como de costume. Mas quando ele me viu, esticou seus bracinhos e quis vir comigo… ah!, já ganhei o dia! Acho que foi o jeito que ele encontrou de dizer “feliz dia dos pais”. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

01 ago 2012

Lições de vida – as primeiras de uma série

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Tenho pensado muito nesse lance de gentileza, educação, bom comportamento…até que outro dia li no Pontencial Gestante, uma lista de coisas que quero ensinar para o meu filho (post para o qual votei e estou torcendo muito para ganhar o concurso “O Melhor post do Mundo”).

Antes de ter filho eu já pensava nisso, mas agora acho que se tornou uma questão gritante. Tenho uma personalidade muito forte, me irrito com coisas que, confesso, nem haveria necessidade, e tenho me controlado em diversas situações para que meu filho não aprenda esse lado feio da mãe dele. Mas tem coisas que me tiram do sério, que me dá vontade até de tirar satisfação com o ser humano que comete, como um dos itens mencionados no post indicado acima: não esperar as pessoas saírem do elevador para outras entrarem. Ou ainda, chamar o elevador no primeiro andar para ir até o térreo quando você poderia descer a pé dois lances de escada (arrrrrh como isso me tira do sério…!). Ou não recolher seu lixo da mesa da praça de alimentação. E ver alguém jogar lixo pela janela, meudeus…!

Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

05 jul 2012

Das coisas que são inexplicáveis

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Outro dia conversando com o marido sobre o pequeno Benjamin, ele disse “agora que estou mais próximo dele, me sinto mais pai, sabia? Fiquei olhando ele enquanto mamava e me deu uma vontade de chorar, de tão bonitinho que ele é…”

Essa semana fui atacada por uma conjuntivite, o que me fez afastar do Ben para evitar que ele pegue também. Então maridão está mostrando o paizão que tem dentro de si. Não que ele já não faça isso diariamente. Eu sempre achei que faz. Mas ele pegou pra si todas as tarefas que eu exercia como dar banho, mamadeira, fazer dormir… Acho até que eu monopolizava um pouco meu Ben (até no jeito carinhoso que o chamo passei achar que o monopolizo).

Entendo exatamente esse sentimento que o marido teve. Eu por diversas vezes senti (e ainda sinto) vontade de chorar (e chorei) olhando o pequeno. Carrego esse sentimento desde a gravidez, período que pra mim foi muito inexplicável gerar outro alguém. Eu pensava “como a natureza é sábia”. É uma coisa de louco: nós geramos pessoas!!!! Eles entram em nós pequenininhos e vão crescendo, formando pernas, braços, dedinhos, cabeça, cabelo… Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

28 mar 2012

O que se espera de um pai, afinal?

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Acompanhei alguns noticiários sobre o acidente que envolve Thor, filho do homem mais rico do Brasil, Eike Batista. Fiquei pasma ao ler em uma das matérias, como se fosse o ato mais digno do mundo, que Thor não havia fugido do local do acidente, ficou para prestar socorro à vítima e esclarecimentos. Como?! Quem vê parece um grande gesto dele, mas o garoto não fez mais que sua obrigação. Era um dever dele naquele momento.

Ontem em sua coluna, a jornalista-escritora-talentosa-pra-caralho Eliane Brum, trouxe o assunto com olhos criteriosos, não só de mãe, mas de cidadã e principalmente de jornalista que tem o dever de informar – sempre com dados relevantes, importantes, de forma imparcial, o que todo jornalista deveria fazer independente se vai falar do Presidente da República ou do cara mais rico do Brasil. O texto inteiro é ótimo e vale muito a pena ler, mas aqui faço um ‘Ctrl C + Ctrl V’ de um trecho específico: Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 mar 2012

Livro: 101 ideias para curtir com seu filho

por
Gabi Miranda

Livros, Puericultura

101 ideiasQue o tempo passa mais rápido ainda depois que os filhos nascem, já sabemos. Mas será que sabemos aproveitar ao máximo o tempo que passamos com nossos filhos? Na correria do dia a dia, o cansaço nos invade e muitas vezes deixamos para depois momentos que são preciosos e inesquecíveis em nossas vidas. Nesse livro, Paula Perim sugere várias 101 ideias para curtir com o filho antes dele completar 10 anos (mas tem sugestões para a vida toda). E nos faz lembrar a importância de compartilhar bons momentos com quem mais amamos.

Devorei o livro 101 ideias sem perceber. Ele é recheado de ternura sem fim. Leve, divertido e inspirador. Fiz anotações, marquei o que pretendo fazer com meu Ben.Circulei muitas coisas que fiz na minha infância… E foi uma delícia relembrar situações que estavam guardadas em alguma gaveta da minha memória afetiva. Afirmo: fui uma criança feliz! Posso dizer que metade das sugestões do livro eu já fiz. Colecionei coisas. brinquei com bolinhas de sabão. andei de bicicleta. vi e ajudei minha mãe enfeitar a casa para o Natal. vesti as roupas dela. brinquei de caça ao tesouro – a busca era pelos presentes de aniversário, Natal e ovos de Páscoa. dancei pela casa toda. fiz cabana no meio da sala… Essas são doces lembranças que ficam para sempre.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

04 mar 2012

Mundo da Criança

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Eu adoro música! Gosto de prestar atenção nas letras, descobrir o momento, a história da canção. Pretendo oferecer música de qualidade ao meu filhote e não só modinha o que o mundo do consumo injeta em nossas vidas diariamente. Tenho guardada na minha memória muitas canções infantis e ultimamente tenho descoberto preciosidades musicais destinado às crianças.

Recentemente, conheci Toquinho no Mundo da Criança. É um DVD com 7 faixas. Inclui as músicas Aquarela, O caderno e A casa (lembra?! “era uma casa muito engraçada não tinha teto, não tinha nada…” adooooro!). Os clips das músicas são feitos de animação, bem feito e com coerência. Achei super original! São animações de André Lieban, ganhadoras de 3 prêmios no Festival Anima Mundi.

A música Errar é Humano é uma lição! Fala sobre não ser vergonha, por exemplo, não saber andar de bicicleta, pedir ajuda para fazer lição ou ser o mais baixinho, mais alto, gordinho, que aos poucos a vida ensina que a gente aprende errando. Achei o máximo a letra dessa música. Aprendi desde cedo que não tinha problema errar e muito menos reconhecer os meus erros. Não nascemos sabendo tudo e é sim, errando, que se aprende. Conheço pessoas mais velhas que eu, que erram e por algum motivo (talvez vergonha), não assumem e ainda colocam a culpa nos outros. Esse tipo de coisa me tira do sério. Música também pode ser um jeito de ensinarmos ao nossos filhos, valores que consideramos importantes. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

20 jan 2012

Que tipo de mãe você quer ser?

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Estou impressionada com blogosfera materna. Quanta coisa e quantas mães admiráveis encontrei! Sinto que além da nossa referência familiar, a internet nos proporciona conhecer e compartilhar experiências interessantes, que fomentam nossos valores.

Acredito que nos tornamos pessoas melhores após a maternidade. Passamos por uma transformação incrível internamente. Questionamos nossos valores e despertamos em nós sentimentos como paciência,  tolerância, abnegação, altruísmo e o tal amor incondicional – até então desconhecido.

Descobri que não é só uma preocupação minha, mas universal, sobre qual educação vamos passar, que ser humano nosso filho vai se tornar. É uma incógnita. Nos basta transmitir, desde muito cedo, todos os exemplos positivos que acreditamos.

Depois do nascimento do meu Ben eu me policio para não cometer algo que possa influenciá-lo de forma negativa. Quero ser um bom exemplo para ele. Descobri que Benjamin é uma lição de vida para mim. Uma das coisas que eu percebi, é que venho manifestando em maior proporção a gentileza. Assim que voltei ao trabalho, grudei na mesa um post-it com a mensagem: praticar mais gentileza. Quando você faz bem ao próximo, automaticamente faz bem à você e todos a sua volta. Isso é fato. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

Página 8 de 8Primeira...345678