08 fev 2017

Toda criança merece ter um cofrinho

por
Gabi Miranda

Destaque, Dinheiro, Maternidade

Quem nunca teve um porquinho em casa levanta a mão! Não precisa ser um porquinho, mas um cofrinho. Pode ser em formato de sapinho, vaquinha, cachorrinho, ou como Benjamin que tem um cofrinho Kombi. Até eu que não tive muitas lições sobre finanças quando era criança, tive um cofrinho. E posso falar? Tenho até hoje! Meu porquinho rosa. Depois que casei, eu e marido começamos a juntar nossas moedas juntos e era uma festa quando abríamos o cofrinho, dividíamos a grana e o uso era sempre para algo individual que quispessemos. Agora meu porquinho vive vazio porque o Benjamin não pode ver as moedas.

cofrinho

Meu cofrinho de porquinho 🙂

Acho que toda criança merece ter um cofrinho. É uma oportunidade rica para ensinar a criança o hábito de poupar, a valorizar o dinheiro guardado, ajuda no desenvolvimento da paciência, afinal precisa esperar o cofrinho encher para então abri-lo, e se expectativa é bom sentir, esse é um momento válido. Porque é a hora de ver quanto o cofrinho faturou e comprar aquele brinquedo que a criança tanto deseja. Às vezes não dá para ser o brinquedo de desejo. Entra aí uma oportunidade também de aprender a negociar. Com o vendedor da loja. Ou com os pais.

Ter um cofrinho contribui muito para a educação financeira das crianças. E não exerce só o consumo, mas a importância de consumir de forma consciente. Tanto no sentido de mostrar que tem coisas que não são necessárias e do esforço que precisamos fazer para conquistar o que desejamos. O Benjamin quis abrir seu cofrinho no final do ano passado e apoiamos já que estava cheio. Foram dois anos “engordando” essa kombi que ele mesmo pintou. Não sei se dá pra ter noção pela foto, mas é um cofrinho grande.

cofrinho

cofrinho

Eu não acho que tem idade certa para presentear o filho com um cofrinho. Indico começar fazendo relação do tamanho com a idade da criança. Por exemplo, quando o Benjamin ganhou esse cofrinho num evento que fomos, ele tinha 3 anos. Com essa idade poderia começar com um cofre menor e ir aumentando conforme a idade e a tolerância em esperar. Uma criança nessa idade, não tem muita paciência para esperar tanto tempo. O Benjamin até teve, mas conversamos muito com ele. A ideia era ensinar o hábito de guardar moedas e não tirá-las e gastá-las. E a gente explicava que se ele tirasse sem ter preenchido o cofre, o dinheiro juntado não daria para comprar o que ele tanto queria.

Até que ele passou a se contentar só em colocar as moedinhas dentro do cofre. O que acabou virando um desafio pra ele. E pra gente também porque precisávamos ter moedas sempre para incentivá-lo. Não adianta também presentear a criança com um cofre e não ajudá-la alimentá-lo. Até meu pai quando vem pra São Paulo traz moedas para o Benjamin. E não importa o valor! O importante é dar moedas com periodicidade para que a criança não perca o interesse pelo cofre. Durante esse período todo, o Benjamin já mudou diversas vezes o destino do dinheiro da kombi. Enfim, pôde abrir o seu cofre no fim de ano. E encheu os olhos ao ver aquele tanto de moedas. Agora me pergunta se ele gastou o dinheiro….

Não gastou nenhuma moedinha! Separou por valor num saquinho e tá lá guardado. Com o Natal ele acabou ganhando muita coisa e não quis gastar seu dinheirinho. Achei tão bonitinho. Sinal também que a educação financeira aqui tá fluindo de forma positiva. Eu volto aqui pra contar o que ele fez com o dinheiro do seu primeiro cofrinho. Por ora, ele já ganhou o segundo cofre, agora estamos engordando um porquinho (adoooooro!). Por sinal também achei grandinho, haja moedinhas! 😉

Ensine seu filho a poupar

 

compartilhe!

8

comente!

8 respostas para “Toda criança merece ter um cofrinho”

  1. […] ela deixou R$50 reais pra ele. Nós já ensinávamos ele a poupar, ele já possuía um cofre (leia: toda criança merece ter um cofrinho). No final do ano ele quis abrir esse cofre. Ele também deu sinais de acreditar que sempre temos […]

  2. Camila disse:

    Aqui as meninas tem um cofrinho conjunto e outro que é de cada uma. Além disso já tem a carteira com dinheiro!!! As vezes a gente sai e a Maria clara me fala: “Mãe, compra que te pago em casa” , mereço tanta independência….

  3. Tatiana disse:

    Por aqui começamos a ensinar o pequeno. Vamos começar desde já a ensinar o valor do $ e o quanto é dificil para ter o que se quer.

  4. thellpereira disse:

    Fantástico! Como coach financeiro acho excelente o hábito do cofrinho, para crianças é algo mais palpável e já começa a introdução a educação financeira!!

  5. Gabi, a kombi aí tava recheada hein? Melissa ganhou um cofrinho na escola, depois de um teatrinho sobre educação financeira para os pequenos. Este cofrinho tá um pouco esquecido (seu post fez eu lembrar dele), e precisamos alimentá-lo mais vezes.

    • http://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      ahahahaha tava, mas posso falar? Não tinham tantas moedas de valor alto não, viu. rsrsrs
      O Benjamin já está todo empolgado porque começou a engordar seu porco agora – o novo cofre. Resgata o cofrinho da Melissa, vc vai ver como é legal quando eles abrem e fazem planos de como gastar. 😉

  6. O meu mais velho tem, e adora!!! Todo final do ano ele compra algo com as moedas deles, é muito legal!!

  7. Vou ter de providenciar um pro Isaque!! Acho que tá na hora dele começar a guardar seu dinheirinho pra mais tarde comprar alguma coisa que ele quer!

Comente!