21 jan 2019

Amor dos pais cria rivalidade entre irmãos?

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

É possível administrar o amor dos pais?

Os pais de dois, três ou mais filhos costumam ouvir muito a frase “não é justo”. Pode ser porque lemos uma história extra para um deles. Ou porque permitimos que o filho mais velho faça algo que para o caçula não é apropriado ainda.

Meu filho mais velho vive me perguntando “você gosta de mim?”. E eu fico entre a cruz e a espada: será que ele está contando o quanto de amor está recebendo de mim e o quanto de amor estou dando para sua irmã? Será que não demonstro para ele o tanto que o amo? Ou melhor, será que ele não percebe que ambos são igualmente amados?

amor dos pais

Tento me colocar no lugar dele. Deve ser muito chato ter que compartilhar o amor dos pais, afinal, estamos a todo instante falando para um dos filhos esperar um pouquinho. “Espera um pouquinho, estou ajudando seu irmão”. Espera um pouquinho, vou dar banho no seu irmão”. Espera um pouquinho, deixa eu terminar de dar comida para seu irmão”.

Pais de dois ou mais filhos, estão o tempo todo se esforçando para serem imparciais. E claro, oferecemos o que os filhos precisam de acordo com a necessidade de cada um. Não tem essa de amar mais um que o outro. (Embora, houve um tempo, quando eu nem sonhava em ser mãe, que acreditava existir isso. Mas agora tenho certeza que não existe isso).

Eu tenho duas irmãs e um irmão, sendo que convivi a vida com apenas uma delas. E sei que compartilhar o amor dos pais é um fato da vida que os irmãos devem aceitar. Às vezes, desperta poderosos sentimentos como ciúme e raiva. E no meu ponto de vista, está aí uma das preciosidades de se ter irmãos. Irmãos, de certa forma, nos preparam para a vida e para nos relacionarmos com o outro.

Como administrar o amor dos pais sem criar rivalidade entre irmãos

Quando as crianças estão com ciúmes, elas podem sim ter acessos de raiva, chorar, e até ter um comportamento mais negativo para chamar a atenção. Inclusive, elas podem também agredir o irmão verbalmente e/ou fisicamente. E essa é a parte que não permito aqui em casa. Porque fora do nosso convívio, se relacionando com outras pessoas, nossos filhos não agem de certas formas. O mesmo deve ocorrer em casa. Precisamos estabelecer um limite. Em casa ninguém bate e ninguém xinga o outro.

Não vejo problema em sentir raiva, mas não podemos ferir um ao outro. Perder o respeito. O amor precisa prevalecer sempre. Algumas vezes eu interfiro na discussão deles, mas é raro, só quando o negócio está feio. E mandamos cada um vai para um lado. Mas antes, eles precisam se abraçar e pedir desculpas um para o outro. O que fazem com certa resistência, mas fazem. É uma maneira de incentivá-los a expressarem seus sentimentos e afirmar que amam um ao outro.

amor dos pais

Aqui tem acontecido com frequência alguns atritos. Muito por conta da idade de cada um. Benjamin tem 7 anos e começou a se rebelar às atitudes da irmã. Stella tem 3 anos e uma personalidade fortíssima (então já viu, né?). Às vezes um saco ter que administrar as briguinhas entre eles. E pior, ter que administrar o tanto de amor que pareço dar para um e não para o outro. Eu vivo me policiando para não exagerar nos elogios para Stella, na frente do Benjamin. Embora, acredito que elogie ele da mesma maneira. Acontece que a diferença de idade entre eles pode me fazer ter uma atitude diferente com um e com outro.

Como resolver os atritos entre irmãos

Uma coisa que pode ajudar, é envolver as crianças na resolução criativa de problemas. Se os dois querem o mesmo brinquedo, por que não deixá-los encontrar a solução sozinhos? Pode ser considerado um tempo para cada um brincar com o tal brinquedo. O mesmo vale para quando eles querem sentar ao lado da mãe ou fazer algo primeiro. Porque irmãos tem dessas, né? Às vezes, falou em tomar banho, milagrosamente os dois querem ir pro banho na mesma hora. Que tal irem juntos?

Temos que arrumar um jeito de apoiar todos os filhos e ajudá-los a negociar soluções. Creio que com o tempo, isso passa e eles acabem se resolvendo sozinhos.

Use a comunicação positiva

A verdade é que as crianças não sabem lidar naturalmente com conflitos. E esse é um dos nossos papeis como pais, certo? Educar, ensinar e preparar nossos filhos para lidarem com seus sentimentos e com o mundo. Porém, assim como nossos filhos, nós também estamos aprendendo como pais. Mal sabemos falar sobre os nossos problemas, quem dirá nossos filhos. Acho, por exemplo, que a nossa habilidade de comunicação positiva se desenvolve mais após a maternidade. E ensinamos aos nossos filhos dando o exemplo.

Acho que não existe uma fórmula de como administrar o amor dos pais e o comportamento entre os irmãos. Aliás, o comportamento delas está muito mais ligado ao nosso. Afinal, não conseguimos eliminar os maus comportamentos. Mas conseguimos mudar a nós mesmos e a maneira como agir nas mil e uma situações impostas pela maternidade. É um grande e belo desafio!

compartilhe!

0

comente!

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.