16 jan 2019

Aprendizados de Gisele Bündchen – caminhada para uma vida com mais significado

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros

Um dos livros que li em 2018, logo no final, foi “Aprendizados” de Gisele Bündchen. Dificilmente leio autobiografia, depende muito da pessoa. Eu já tinha visto o livro Aprendizados nas livrarias, mas passou longe de chamar minha a atenção. Até que caí numa página da internet com uma crítica bem positiva sobre o livro. Fiquei curiosa. Então, procurei alguns vídeos dela no youtube e me arrisquei, comprei o livro. Simplesmente me surpreendi e adorei o livro!

aprendizados

Gisele Bündchen é uma das mulheres mais famosas do mundo, modelo brasileira mais bem-sucedida da última década. Foi criada em uma cidadezinha no sul do Brasil chamada Horizontina. É uma das filhas do meio, de 6 irmãs sendo gêmea de uma delas. Começou a trabalhar aos 14 anos como modelo, depois que um caça-talentos a encontrou num Shopping em São Paulo. Entre tropeços, fracassos e sucessos, trabalha há 23 anos como modelo. Esse é um breve resumo da história que encontramos em “Aprendizados – minha caminhada para uma vida com mais significado“. Só que  Gisele Bündchen conta muito mais em seu livro.

Ela conta o que milhões de pessoas não sabem sobre ela. Seus desafios pessoais e tudo o que aconteceu para ela se tornar quem ela é hoje. E conta também como foi o processo interno por qual passou e as mudanças. Algumas pessoas podem achar que é um livro de auto-ajuda, mas eu achei um livro bem rico. Uma espécie de chamada, de despertar, com muitas lições de gestão de carreira e de vida. E a forma como ela escreve, me pareceu intensa e sincera. Cada capítulo leva o tema principal relacionado ao aprendizado dela. Vou compartilhar aqui, resumidamente, os aprendizados dela que me trouxeram reflexões significativas.

Aprendizados de Gisele Bündchen

aprendizados

A verdade é uma só, a vida não é fácil pra ninguém, não importa quem sejamos, todos nós enfrentamos desafios. Mas quando fazemos as coisas de corpo inteiro, quando vivemos com amor, tudo pode ser transformado. E esse livro serve de grande inspiração. Veja um pouquinho dos aprendizados de Gisele Bündchen.

1. Tudo começa com disciplina

Sem disciplina a gente não chega a lugar algum. E Gisele é um exemplo disso. A gente só consegue alcançar o que desejamos com foco, determinação, trabalho duro, dedicação, pontualidade, fazendo o que é necessário, sempre dando 100% de nós em tudo o que vamos fazer. Ou seja, precisamos levar a vida com disciplina.

Às vezes sentimos preguiça de fazer algo, sobra um tempinho livre e ao invés de fazer o que é necessário para alcançar uma meta, deixamos pra depois. Mas a verdade é que só conseguimos alcançar o topo com trabalho árduo. O que é necessário para alcançar sua meta? Você precisa mudar sua rotina diária ou eliminar da sua vida certos comportamentos, ou até mesmo algumas pessoas que não lhe fazem bem? Estabelecendo o que é necessário fazer, você precisa ter foco, precisa de dedicação. Não adianta nada estabelecer objetivos e não ter dedicação.

Dedicar-se significa investir tempo naquilo que você quer e ama, nas áreas que deseja alcançar excelência. Sem dedicação não atingimos nada. Tem muita gente que diz que adoraria fazer uma atividade física, mas que não tem tempo. Acordar cedo, se exercitar, manter uma alimentação saudável, meditar, tudo isso são escolhas que fazemos para ter uma vida melhor, mas só conseguimos realizá-las e obter resultados se tivermos disciplina.

2. Desafios são oportunidades disfarçadas

Nossos relacionamentos nos ajudam a crescer pois refletem o melhor e o pior que há em nós mesmos“. Ao dizer essa frase, Gisele fala que os momentos em que mais aprendeu e que fez as mudanças mais positivas também foram as épocas mais difíceis. Ela acredita que cada desafio que enfrentou na vida acabou se revelando, no fim, uma oportunidade disfarçada, que, com o tempo, a levou a um lugar melhor, tornando-a mais consciente, e também mais forte.

Eu acredito muito nisso. Até a pior situação, aquela que na hora não você não enxerga isso, depois se mostra um grande aprendizado. E foi na ioga e na meditação que ela começou a ter essa consciência, além de se conhecer mais. Aliás, autoconhecimento é algo que ela fala ser primordial para a nossa vida. Foi com essas modalidades que ela passou a acreditar na importância das atitudes positivas. E que a qualidade da nossa vida está diretamente ligada às nossas atitudes. Não podemos escolher as circunstâncias das nossas vidas, mas podemos escolher com que atitude vamos encará-las.

A medida que ela começou a fazer ioga, meditar e se conhecer, passou a se perguntar: como vou lidar com esta oportunidade que a vida me deu para aprender sobre mim mesma?

3. A qualidade da sua vida depende da qualidade dos seus relacionamentos

Costumo dizer que a nossa qualidade de vida melhora drasticamente quando nos aproximamos de pessoas boas, inteligentes, positivas e amáveis. Em seu livro, Gisele diz que aprendeu que todos os nossos relacionamentos, de um jeito ou de outro, nos ensinam a respeito de nós mesmos. Porque cada relacionamento nos permite ver diferentes aspectos novos. Sendo assim, todas as nossas relações, boas ou ruins (que já tivemos) são importantes para o nosso crescimento.

E uma das coisas que ela cita e que eu aprendi, mas que me policio muito ainda para não fazer cobranças, é que cada um tem seu tempo e modo de fazer as coisas. Fui aprender isso depois da maternidade, quando me dei conta que eu precisava deixar o marido fazer as coisas do jeito dele, principalmente em relação ao Benjamin (nosso primeiro filho). Nós mães, temos a tendência de querer que os pais façam do nosso jeito. Então acabamos brigando por coisas pequenas e exigências absurdas ou sobrecarregadas fazendo tudo sozinha porque não deixamos o pai fazer.

Não devemos esperar que os outros sejam como a gente. Mesmo porque todo mundo está passando por alguma coisa que ninguém sabe, todos têm uma história e por isso é importante se lembrar de ser gentil com a gente mesmo e com todos que cruzam nosso caminho.

Outra coisa que ela fala nesse capítulo é que: também não devemos nos comparar com ninguém.

Podemos e devemos nos inspirar em outras pessoas, mas isso não significa se comparar. Quando você perde tempo se comparando com outra pessoa, você abre espaço para a frustração e para o fracasso. Fazer comparações é inútil. Porque todos nós temos algo especial. E aí Gisele diz que só se compara com uma única pessoa: ela mesma! E se pergunta sempre: estou fazendo o melhor que posso no meu trabalho? Estou sendo a melhor esposa, a melhor mãe, a melhor amiga, o melhor ser humano?

4. Nossos pensamentos e palavras têm poder – use-os com sabedoria

Quais foram os primeiros pensamentos que passaram pela sua cabeça quando você acordou hoje de manhã? Você sentiu gratidão por estar vivo? Apreciou sua cama quentinha? Sentiu animação com o dia que teria pela frente? Tenho refletido muito sobre isso e acredito muito que nossos pensamentos criam nossas palavras e ações. Gisele diz que quanto mais se tornou consciente do lugar aonde seus pensamentos estavam levando-a, mais consciente ficou das palavras e ações que se seguiam.

Se nossos pensamentos são positivos, nossas palavras tendem a ser também. Se seus pensamentos são negativos, suas palavras têm uma probabilidade maior de causar danos, mesmo que essa nunca tenha sido sua intenção. E como sabemos, falar coisas negativas e nocivas pode deixar feridas que vão além daquele momento em particular. Isso quer dizer também, que se não tivermos nada de bom para falar sobre alguém, não devemos dizer nada!

Para Gisele (e já ouvi outras pessoas dizerem o mesmo), na maior parte do tempo, as palavras que as pessoas usam para nos descrever são projeções de como elas se sentem em relação a elas mesmas. Pode ser.

E quando alguma pessoa nos dirigir palavras negativas, não devemos retrucar, porque talvez a outra pessoa esteja apenas tendo um dia ruim e colocando pra fora sua própria frustração. Evite levar tudo para o lado pessoal, porque como diz no livro, as pessoas vão dizer coisas para você e sobre você, mas é importante não deixar essas palavras lhe atingir. Afinal, o que as pessoas dizem não tem quase nada a ver com você, e quase tudo a ver com elas.

aprendizados

5. Onde você focar sua atenção é onde colherá resultados

Assim como muitas pessoas, todo fim de ano, na véspera de Ano-Novo, Gisele faz duas listas, que juntas, resumem o que fez no último ano. Na primeira lista, ela descreve todas as coisas que a encheram de orgulho. A segunda é dedicada às áreas em que ela ainda precisa melhorar. Achei isso o máximo!

O aprendizado aqui é simples. Onde você focar sua atenção é onde colherá resultados. E gente, é preciso um esforço sobre-humano para abrir caminho em meio as nossas vidas corridas e cheias de demandas, para que possamos direcionar a atenção para as coisas e metas que nos beneficiam e nos ajudam a crescer.

Todos precisamos ter cuidado com onde escolhemos colocar nossa atenção – e a nossa atenção sempre começa com os nossos pensamentos e a nossa intenção. Quando acreditamos em algo, mais próximos ficamos de tornar algo realidade.

E aqui ela chama atenção para o cuidado ao querer fazer algo para agradar alguém. É muito importante fazer o que nós desejamos e seguir nossa intuição. Antes de tomar qualquer decisão importante, precisamos ouvir aquela voz que vem de dentro e nos ajuda a enxergar o que realmente queremos. Afinal, somos nós quem vamos viver com as consequências das nossas escolhas.

6. A natureza: nossa maior professora

Esse foi o trecho em que fui despertada para algo: a natureza. Já parou pra pensar que nos dá a vida e que sem ela nenhum de nós estaria aqui? Pois é, acho que nunca pensei profundamente a respeito disso, que a nossa vida depende dessa troca. Deus, Alah, seja lá o que você acredita, está envolvido com esse milagre que é a natureza. O mesmo penso sobre gerir um bebê. Tem coisa mais milagrosa? Não dá para viver acreditando que isso tudo não é um milagre. A vida (de todos os seres) é um milagre!

Minha filha Stella, de apenas 3 anos, diz que ama árvores. E acho lindo ela sentir e externar isso. Fico pensando o que ela imagina das árvores. E no livro, Gisele nos chama a atenção para o fato de que tratamos  as árvores como parte da paisagem. E raramente paramos para pensar no que as árvores representam de verdade.

Além de serem lindas, elas absorvem o dióxido de carbono, armazenando o carbono e liberando parte do oxigênio que respiramos. Na forma de florestas, ajudam a gerar o ciclo das chuvas que equilibra nosso clima.Elas ajudam a nos proteger dos raios ultravioleta. Oferecem sombra, que resfria estradas, as casas, os jardins. Aumentam a umidade do ar e desaceleram a erosão do soo. Elas nos alimentam com seus frutos e podem conter remédios e venenos poderosos em suas folhas. O primeiro lar para muitos de nós é um bercinho feito de madeira, e o último é um caixão, e, nesse intervalo, muitos de nós vivem em casas com estruturas de madeiras. As árvores forneceram o papel para este livro. Pense no milagre que é uma árvore. Elas fazem parte das nossas vidas do início ao fim. Elas são realmente maravilhosas.

É ou não é maravilhoso?

Gisele faz tanta reverência pela natureza que é bonito de ver, é inspirador. E se pararmos pra pensar, ela tem toda razão em reverenciar a natureza, os alimentos. Todos nós devíamos fazer isso. Inclusive agradecer todas as vezes que vamos nos alimentar. Tudo está vivo e nos dá energia, inclusive a nossa comida. Eu passei a ter outra percepção e valor em relação a natureza. Geralmente, não damos o devido valor ao nosso planeta, aos alimentos que comemos, a água que bebemos. Pense nisso!

7. Cuide do seu corpo para que ele possa cuidar de você

Sabe aquela coisa de que quando éramos crianças e comíamos várias coisas consideradas hoje tranqueiras? Na internet encontramos muitos memes “comi e não morri”. A verdade é que hoje temos uma consciência maior e escolhemos melhor o que oferecer para nossos filhos. E até o que consumir. Eu não sou exemplo de alimentação saudável, estou bem longe disso! Mas há um ano, passei a pensar algo que a Gisele fala nesse ponto do livro. Que nós não só estamos nos arriscando a ter uma vida mais curta se não prestarmos atenção ao que botamos para dentro, como também ficamos vulneráveis a doenças e à infelicidade.

Então, se alimentar direito, praticar atividade física, meditar, enfim… tudo isso faz bem para o nosso corpo (e também para a nossa mente). É importantíssimo realizar algum tipo de atividade física. Traz inúmeros benefícios. E todos nós podemos encontrar aquela atividade que noa dê prazer. Basta pensar o que o exercício física representa para você.

Assim como nosso planeta, nosso corpo são os únicos lares que temos. Como você quer que o seu lar seja para que você se sinta melhor e mais feliz? Você está cuidando dele?

8. Conhecer a si mesmo

Durante todo o livro, ela fala sobre autoconhecimento. Algo que atualmente cada vez mais pessoas estão em busca. Sem se conhecer não conseguimos descobrir o que nos dá alegria, qual é o nosso propósito. Cada um de nós é responsável pela própria vida e pela realidade que está ajudando a criar. Precisamos descobrir em que acreditamos, quais os valores queremos seguir, que tipo de vida queremos ter.

A vida que Gisele leva hoje, é consequência de muitas decisões que tomou. Assim como cada um de nós. Além de todos esses pontos que ela explora no livro, ela aperta muitas vezes na tecla de viver uma vida plena e significativa, com consciência do que está acontecendo ao nosso redor. Viver o momento presente. Ela alerta que vive assim e inspira seus filhos a viveram dessa maneira também. A forma como ela descreve sua maternagem, traz outra grande reflexão para o leitor. Estamos educando nossos filhos para serem bons cidadãos do mundo?

Super indico a leitura do livro. Tem muitas histórias da vida dela desde a infância, exemplos da criação que os pais dela deu a ela e as irmãs. Achei um livro muito sensível e com valor a agregar. #FicaDica

compartilhe!

0

comente!

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.