11 mar 2016

As lembranças da minha mãe me fazem mais feliz

por
Gabi Miranda

Comportamento, Maternidade

mãe

Eu aos dois meses com a minha mãe

Hoje faz dois anos que perdi a melhor parte de mim. Minha mãe. Parece que foi ontem. Nas duas últimas semanas, tem sido difícil controlar os pensamentos e não me conectar com aquele dia. Toda aquela dor que senti invade cada partícula do meu corpo, apunhala minha alma e meu coração. Eu consigo sentir aquela agonia, a falta de ar e o buraco se abrindo novamente aos meus pés. Escrever esse texto é uma tentativa de estacar essa dor que me atinge mais uma vez e manter meus pés firme nesse chão.

Coincidência ou não, nesses últimos dias tenho recebido muitas mensagens de leitores que chegam até o blog através de uma pesquisa no Google, após perderem sua mãe também. Essas palavras chegam cheias de dores, mas também de compaixão e alívio. Quando perdemos alguém que amamos nos sentimos injustiçados, como se aquilo tivesse acontecido só com a gente. Ao descobrirmos outras pessoas na mesma situação, nos sentimos amparados e nos encontramos na dor do outro. Só quem perdeu a mãe conhece essa dor, que imagino seja diferente a de perder um filho e só quem perdeu um sabe como é. Existem perdas que são irreparáveis e ponto. E nós temos que aprender de um jeito ou de outro a lidar com a dor.

A morte da minha mãe fez aumentar a minha ansiedade e desenvolveu em mim um medo imensurável de morrer (sem criar meus filhos) e perder outras pessoas. Todos os dias eu acordo e penso “hoje pode ser o último dia”. É horrível isso, eu sei, mas é um pensamento involuntário, faço um exercício diário para espantá-lo. Por outro lado, essa perda despertou em mim um desejo genuíno de ser feliz todos os dias e aproveitar ao máximo os dias ao lado daqueles que amo.

Uma perda insuprível dessas, nos faz viver  questionando: será que um dia vou me sentir bem no mundo sem ter aquela única pessoa que me amava incondicionalmente? Algum dia serei capaz de pensar em minha mãe sem sentir esse aperto no peito? será que um dia vou voltar a sorrir? Cada um tem uma história de vida e se apega no que tem, a gente encontra uma forma de continuar vivendo. A gente volta a sorrir, talvez não o mesmo sorriso. Ainda não sei se esses sentimentos passam algum dia. Acho que nos acostumamos a viver com essa falta. Não tem um dia sequer que não pense na minha mãe. Seja ao levantar ou ao dormir, todos os dias penso nela. Em alguns dias penso naquele dia. No dia em que ela se foi e em cada detalhe. Revivo tudo e isso é horrível, mas já acontece com menos frequência. Nos últimos dias, essas lembranças vieram fortes, essa semana toda eu chorei, abafei o grito no meu travesseiro. Esforço-me em pensar mais em coisas boas que ela me falaria, como ela ficaria feliz ao ver os netos, em sua alegria, em sua fé e vou me agarrando as doces memórias. Embora, ainda sinta dor, hoje, as lembranças da minha mãe já me fazem mais feliz do que triste.

compartilhe!

5

comente!

5 respostas para “As lembranças da minha mãe me fazem mais feliz”

  1. Rebecca disse:

    Perdi minha mãe quando estava grávida de 9 meses e estava esperando ela ir na cidade onde morava para me ajudar.
    Mas ela não veio. Fiquei muito mal, depressiva e as lágrimas corriam sem cessar.
    Entendo e hoje eu também aprendi o que você aprendeu.
    Não sair de casa sem abraçar e dizer “eu te amo”, minha super mãe afinal de contas também não era imortal. Hoje minha filha tem 4 meses e não tem um dia que não lembre da minha mãe e como ela estava ansiosa de conhecer.
    Lindos seus texto sobre sua mãe.

  2. Eu sei que não é fácil, mas as pessoas especiais, aquelas que partem e nos deixam um vazio enorme em nossos corações.Procure sempre carregar contigo as lembranças boas que lhes marcaram, que lhes ensinaram… Saiba que o amor nunca morre, ele é forte o bastante, e mesmo que não estejam mais ao seu lado, esteja fora do alcance dos seus olhos você vai sentir esse amor da mesma forma e intensidade… O amor vai além da vida! Amor de mãe é eterno!

  3. Lembro do dia que falou da morte e do texto emocionante e chorei junto.
    Hj vejo vc saudosa de um tempo que não volta, mas com a confiança do reencontro de todos.
    Ela com certeza esta no céu, olhando a grande mulher e mãe que tem se tornado.
    Bj

    • https://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Mãe de molequeeeee! Que honra ter vc aqui, linda.Passaram-se dois anos e parece que foi ontem. A saudade é gigante, mas o jeito é confiar que ela é um anjo olhando por nós agora. Obrigada pelo carinho. Super beijo

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.