28 out 2014

Barulhinho bom

por
Gabi Miranda

Família, Maternidade

Barulhinho bom

Essa semana me dei conta como é gostoso morar em frente uma praça. Nesses dias de calor, acordo com o canto dos pássaros. Eita barulhinho bão…! Todos os dias eu e Benjamin tomamos banho de sol. Ele no carrinho, eu com um livro na mão. O sol, a sombrinha, os passarinhos, aquela brisa no rosto…ai que delícia! Vou sentir saudades desses pequenos momentos com meu filhotinho. Hoje ele percebeu os passarinhos, sei lá o que ele enxerga, mas ficou atento aos movimentos e barulhos dos pequenos voadores. Em certo momento meu Ben começou a tagarelar alto e só dava ele e os pássaros na praça numa competição gostosa.

Taí, agora o canto dos pássaros vai me lembrar esses momentos com o pequeno Benjamin. Na pressa do dia a dia esquecemos certos detalhes que fazem a diferença e dão certo sentido a nossa vida. Hoje me dei conta como certos barulhinhos fazem parte da nossa memória afetiva. Lembrei de um em especial: na casa dos meus avós Biga e Roque, tinha um enfeite com pequenos sininhos que ficava pendurado na porta da sala, toda vez que alguém abria a porta, os sininhos tilintavam. Ao lembrar disso foi como se escutasse novamente o barulhinho. Som de infância.

Meu coração, que ultimamente está cheio de amor, se encheu mais ainda, de ternura. Acho que esse objeto ficou com a tia Rosana. Outra lembrança, mas já da fase adulta: meu marido adora chuva. Ele gosta do som e do cheiro que ela traz. Com ele aprendi a gostar também. Chuva faz um barulhinho boooom. Quero que Benjamin tenha bastante barulhinhos bons preenchendo sua memória afetiva. Se depender da sua avó materna (que nesse momento canta para ele lá na cozinha), ele terá uma caixinha de música em sua memória afetiva.

*
Esse texto foi escrito em 30 de setembro de 2011.

Nota da letora:

Chorei ao reler esse texto.

compartilhe!

0

comente!

Comente!