02 dez 2015

Berçário: 14 dicas para ajudar na escolha do perfeito

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Berçário – é muito difícil a escolha do perfeito, eu diria que não existe o perfeito, mas o quase perfeito sim, o mais adequado sim, o que atende melhor o que você busca sim.

Imagem Google

Imagem Google

Tem berçário para todos os estilos, gostos e bolsos, mas em minha opinião eles sempre terão algo que não é bem do jeito que gostaríamos. Ou as salas dos bebês são pequenas. Ou os pais não podem entrar para pegar o bebê lá dentro. Ou o chão não é bacana. Ou o lugar é velho e mal cuidado demais. Ou tem muitas crianças e poucas cuidadoras. E assim por diante, sempre vai ser assim, sempre encontraremos algo que não vai nos agradar 100%.

A busca pelo berçário é uma das fases mais angustiantes da vida de uma mãe. É sinal que chegou o momento de se afastar do bebê em tempo integral, na maioria das vezes é porque a mãe voltará ao trabalho e isso significa ficar longe do bebê por um longo período do dia. Outras pessoas cuidarão do tesouro que até então a mãe cuidou com tanto zelo. Surgem dúvidas, preocupações e a bendita culpa – esse infortúnio da maternidade. Será que vão deixar o bebê chorar por muito tempo? Será que ele vai se acostumar? Será que vão limpá-lo direito, trocar as fraldas corretamente? Será que ele vai dormir, comer, brincar? Vai sentir minha falta? Essas e muitas outras questões vem nos assombrar.

Mas é hora de voltar ao trabalho e nos resta encarar a realidade de frente e enfrentar esse novo desafio que a vida de mãe nos traz. Nos resta pesquisar e muito um berçário que atenda nossas “exigências”, mas principalmente que acolha bem nosso filho e que não falte cuidados, carinho e a atenção. Confira minhas dicas para escolher um bom berçário.

  1.   O melhor momento de sair em busca do berçário
    Sugiro um mês ou um mês e meio antes do término da licença maternidade. Primeiro faça uma busca por região pela internet, ligue para verificar preço e ver se encaixa no seu orçamento – o que encaixam entram na lista, se não acho que nem vale a visita, isso evita a frustração.
  2. Localização e alvará
    É preciso pensar na logística de quem irá levar e buscar o bebê, se é melhor o berçário ser perto de casa ou do trabalho. O que facilitará mais o ir e vir na vida familiar. Certifique-se de que o estabelecimento possui alvará de funcionamento.
  3. Estrutura
    Esse é um item muito importante, é preciso ficar atento se o lugar é bem limpo, tem boa ventilação e iluminação naturais, piso emborrachado e antialérgico (jamais ter tapetes), janelas com proteção, pátio para tomar sol e com brinquedos para cada faixa etária, sala com berços para a hora da soneca. Esses são itens fundamentais para os bebês que estão fortalecendo o sistema imunológico. Fique atento também a estrutura física do local: tetos, paredes, pisos.
  4. Fraldário
    Precisa ter um fraldário em um ambiente separado das salas onde as crianças ficam. Nele deve ter trocador de material impermeável, banheira de inox, ducha, local para guardar individualmente o material de higiene de cada criança.
  5. Lactário
    Um lugar também separado dos outros ambientes, inclusive da cozinha, próprio para preparar as mamadeiras e precisa ter espaço para lavar, esterilizar e guardar as mamadeiras que devem ser identificadas com os nomes dos bebês.
  6. Hora da refeição
    O ideal é ter também um local separado da sala de recreação para a alimentação dos bebês e que cada um deles tenha seus utensílios identificados. As comidinhas devem ser fresquinhas, feitas diariamente.
  7. Cozinha e alimentos
    A cozinha tem que ser um ambiente organizado e limpo, assim como os outros. Os funcionários devem usar toucas. Verifique se o local está isento de insetos. O cardápio deve ser montado por uma nutricionista e você deve ter acesso a ele para saber o alimente e a quantidade de refeições que seu filho fará.
  8. Berçaristas e funcionários em geral
    O ideal é que as berçaristas sejam formadas em pediatria, mas aí já é exigir demais e isso não é obrigatório. O mínimo é que elas tenham curso técnico de berçaristas, o que a capacita a cuidar de bebês e crianças. Todos os funcionários devem usar uniformes e verifique se todos usam aqueles protetores nos sapatos ao adentrar nos ambientes onde ficam os bebês/crianças. É importante ter um segurança.
  9. Estímulo e brinquedos
    Ao visitar o berçário, verifique o que os bebês estão fazendo. Eles estão sentados sozinhos, sem interação?! É importante que as berçaristas estimulem os bebês com atividades em grupos, narre histórias, cante músicas, coloque filmes (embora não seja uma atividade tão bem vista para os pais). Os brinquedos devem ser limpos (higienizados constantemente com álcool 70%, pois os bebês levam muito à boca) e em bom estado, todos adequados para cada faixa de idade das crianças. Fique atenta se não tem peças pequenas, pois são um perigo se um bebê engolir.
  10. Câmeras
    Há mães que goste de câmeras para acompanhar o filho durante o dia enquanto trabalha. Eu acho que isso pode atrapalhar um pouco o emocional da própria mãe, porque nem tudo o que vemos em determinado momento é o que parece. Como não ficaremos 100% do tempo assistindo o filho no berçário, quando abrirmos a câmera, podemos encontrar o bebê chorando porque está com fome, por exemplo.  Mas já é importante ter câmeras de acesso em todos os ambientes para a diretoria e se por ventura os pais pedirem.
  11. Agenda
    A agenda serve para comunicação entre pais e berçário, principalmente para as cuidadoras registrarem o resumo do dia do bebê: se comeu bem, tomou leite, dormiu, se fez cocô, etc.
  12. Fechamento do berçário
    Certifique-se horário de fechamento e quanto tempo tem de tolerância para atraso. Além disso, é importante saber o período do ano que o berçário fecha.
  13. Entrada dos pais
    Sou da opinião que lugar que não tem o que esconder, não precisa proibir a entrada dos pais. Aliás, esse era uma das coisas que me incomodavam no berçário em que Benjamin ficou e que será o mesmo para onde a Stella irá (pra ver como não tem o berçário que atenda todas as nossas exigências). Mas até entendo a desculpa deles: manter a limpeza e a ordem do local, pois a entrada dos pais a qualquer instante pode atrapalhar a rotina dos bebês. Mas verifique no local, se por ventura, a hora que você quiser dar uma incerta (rá!), pode entrar. Principalmente na fase de adaptação do bebê.
  14. Preço
    Fiz uma pesquisa recente de berçários e embora os gastos sejam parecidos, as mensalidades podem variar bastante entre R$900 e R$1.900. Algumas já estão incluso a alimentação e outras não.

Procurar o melhor berçário para nosso filho é uma tarefa difícil. Minha sugestão é ir pesquisar de coração aberto e tentar sentir o clima do lugar. A gente sente medo e surgem muitas dúvidas, mas tente ponderar quais sãos os critérios que você mais considera importante. Tente filtrar suas necessidades e urgências de mãe – com esse cuidado é possível fazer uma boa escolha e optar por um lugar que você sinta confiança em deixar seu filho. Além de todas as coisas que achamos ser importante, é necessário que seja um lugar onde o bebê seja bem cuidado e se sinta feliz.

Veja outras dicas aqui.

compartilhe!

0

comente!

0 resposta para “Berçário: 14 dicas para ajudar na escolha do perfeito”

  1. […] Veja: 14 dicas para ajudar na escolha do berçário […]

  2. […] Veja: 14 dicas para ajudar na escolha do berçário perfeito […]

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.