29 jan 2018

Essa história das metas para o ano novo

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas, Destaque

Essa história das metas para o ano novo

Lembro como se fosse hoje. No início da minha carreira (lá por 1992…) tive uma chefe que um dia, voltando das férias de final de ano, me perguntou se eu tinha traçado as metas para o novo ano. Olhei para ela e, sem rodeios, falei que não. Nem havia me passado pela cabeça fazer isso. Ela insistiu que eu deveria fazer isso senão como iria evoluir na minha vida, carreira, etc sem traçar objetivos? Confesso que não dei atenção à sugestão e hoje, olhando para trás, não me arrependo da carreira e vida que fui construindo. O que sim, sempre tive claro era o que fazia sentido conquistar, dedicar esforço, energia e perseverança.

Então, para que serve essa história de metas quando o ano novo chega?

Primeiro, ao meu ver, a mudança de ano é uma formalidade. Não acredito que ao acordar todos os dias 1º de janeiro, com uma lista de metas vá fazer a diferença na sua vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

05 jan 2018

Resiliência: é possível aprender a ser resiliente?

por
Gabi Miranda

Coach de Vida, Colunas, Destaque

É possível aprender ou ensinar a ser resiliente?

resiliência

aprender a ser resiliente

Muito se fala da importância da resiliência na vida e no perfil dos executivos de hoje em dia. Rhandy di Stefano,  presidente do ICI – Integrated Coaching Institute e meu instrutor na formação de Executive and Life Coaching em 2014, disse que a resiliência é considerada a competência número 1 para se obter sucesso sustentável na carreira. Ele também disse que existem evidências e estudos que demonstram que os jovens da geração Y e Millenials tem baixa resiliência porque não estão acostumados a se frustrar. Mas como aprender a ser resiliente?

Tanto a primeira informação quanto a segunda me deixaram curiosa, mas confesso que a segunda mais. Para entender mais sobre o assunto fui pesquisar e encontrei vários artigos com abordagens complementares considerando, por exemplo, se a pessoa nasce resiliente ou se esta característica de comportamento pode ser adquirida. Também encontrei estudos com grupos de adolescentes considerando diferentes variáveis para medir o “grau” de resiliência, como: nível sócio econômico, ambiente familiar, traumas, abusos, doenças mentais, entre outros.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!