23 fev 2018

Luto infantil – Perda de um animal de estimação

luto infantil

Então eu sou convidada para escrever mensalmente pro Bossa Mãe e o segundo tema que abordo é luto infantil? Sim. É. Mas por que não falar de algo mais fofinho, um tema mais leve? Porque essa sou eu. Eu gosto de “chegar chegando”! E também porque não dá pra gente continuar fingindo que as crianças não vivenciam perdas desde muito pequenas. Não dá pra cair na fantasia de que podemos protegê-las de tudo – muito menos da morte.

luto infantil

Eu sei… é forte, né? Mas quando tomamos consciência disso, conseguimos ficar ainda mais próximos dos pequenos. Isso porque, quando fingimos que a finitude não atinge as crianças, isso é sentido como abandono, pois elas ficam vivenciando sentimentos tão dolorosos, sozinhas. Então, essa é uma oportunidade pra você se reconectar com seu filho, estar realmente ao seu lado, validando suas emoções – por mais dolorosas que sejam!

Engana-se quem pensa que os pequenos nunca ouviram falar de morte. O pai de Simba, no filme O Rei Leão, morreu. O peixinho Nemo perde sua mãe no início da história. As princesas Bela, a Jasmine e a Ariel não tem mais a mãe. Na vida real, a morte de um animal de estimação é, com frequência, a primeira grande perda que a criança passa na vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

12 jan 2018

Divórcio – como ficam os filhos?

Divórcio. O fim de um casamento tipicamente desencadeia uma onda de emoções nos adultos, incluindo raiva, tristeza, ansiedade e medo. Como os filhos ficam diante do fim do relacionamento dos pais?

divórcio

divórcio

A experiência do divórcio, que já não é fácil para os adultos envolvidos, pode se tornar devastadora para as crianças. Principalmente, quando elas se tornam alvo das disputas e depositário das frustrações dos pais.

Muitos casais evitam se separar por causa dos filhos, mesmo com o relacionamento conjugal arruinado. Manter um casamento por causa dos filhos é um dos erros mais frequentes que acontecem. Uma separação amigável é infinitamente melhor para uma criança do que uma convivência desarmônica e conflituosa.

É essencial que as crianças sejam comunicadas sobre o que está acontecendo. Mas as explicações e a quantidade de informações devem ser adequadas à idade e à capacidade de compreensão da criança. Não se pode pensar que ela não sabe que está acontecendo algo diferente, ou que não entende. Pode ser que ela não compreenda efetivamente o que é um divórcio, mas ela sabe que as coisas mudaram. Ela percebe e sente, e por isso tem que ser comunicada.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!