20 jan 2016

Por que é importante o bebê arrotar?

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Veja se esta cena lhe parece, ou já lhe pareceu, familiar e saiba porque é tão importante fazer o bebê arrotar:

– nenê, que dormia tranquilamente, acorda no meio da noite chorando para mamar;

– pais acordam de pulo, mas já levemente acostumados com a situação;

– nenê mama no colinho aconchegante de uma mãe cambaleante de sono;

– fim da mamada, nenê já pegando no sono e a paz voltando a reinar na calada da noite;

– hora de por o bebê pra arrotar uns 10-15 minutinhos;

– nenê arrota e…

…desperta alegremente, abre olhos estalados como se já fosse de manhã e vai voltar dormir só depois de uns 45 minutos de ninadas, balanços e passeios no colo pela casa, madrugada adentro.

Quais pais nunca passaram por isso, não é mesmo?! Mas por que é tão importante fazer o nenê arrotar?

Imagem Google

Imagem Google

Fui buscar essa informação há algumas semanas, então não lembro exatamente de tudo que li. Mas vou transcrever o que gravei na memória:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

19 jan 2016

Como conciliar a volta ao trabalho e a amamentação

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Maternidade, Trabalho

Sabemos o quanto a amamentação é importante para a saúde do bebê, portanto quanto mais tempo amamentar melhor para o nosso filho. Na teoria é tudo muito simples, na prática é que são elas. Para amamentar muitas vezes precisamos superar alguns obstáculos: ensinar a pega correta para o bebê, as primeiras semanas de vida do bebê podemos encontrar dificuldade para amamentar por conta das dores nos mamilos, rachaduras, descansar bastante para continuar produzindo leite e tomar outros cuidados para que isso continue acontecendo. Aí depois de ultrapassar todas as barreiras da amamentação e outras mais, chega o momento de se separar do bebê e voltar ao trabalho. Como conciliar a volta ao trabalho e a amamentação?

Google

Google

A pediatra e consultora internacional de amamentação pelo IBLCE/EUA (International Board of Lactation Consultant Examiners), Luciana Herrero, defende a amamentação e apoia mulheres nessa fase, e, para ajudar as mamães nesse processo, listou algumas ações simples para combinar o sucesso da amamentação com o retorno ao trabalho. Confira abaixo:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

18 jan 2016

Segunda-feira, recomeço e oportunidades

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Pode parecer impossível, mas que quero viver um caso de amor com a segunda-feira. Afinal, por que não amá-la como se fosse sexta-feira?

39 -150p-01

Tudo começou quando conheci o pefil no instagram Mulheres.com.dinheiro, no qual a Fabina Ramos fala sobre finanças para mulheres e idolatra a segunda-feira de forma inspiradora.  Aí chegou o Natal quando recebi por mensagem instantânea aquele texto que dizem ser do Carlos Drummond de Andrade, no qual fala que a ideia de cortar o tempo em fatias se deu o nome de ano, entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que vai ser diferente…

Refletindo sobre essa coisa toda de ano novo, recomeço, oportunidades, pensei na segunda-feira. Todo mundo deseja a sexta-feira como se fosse o amor da vida, como se ela fosse a solução para todos os nossos problemas, cansaços e o começo da diversão.  No domingo todos já estão de bode, porque lá está a segunda-feira batendo a porta. A segunda-feira é sempre rejeitada e vista com maus olhos. Eu também tinha (ou tenho) certa repugnância por ela, mas passei a querer desejá-la bem, pois assim como o primeiro dia do ano, o primeiro dia do mês, a segunda-feira é o primeiro dia, o início de uma nova semana. Assim como o ano novo, a segunda-feira é o recomeço, também é renovação. Não deixa de ser uma oportunidade para fazermos algo novo, finalizar um projeto, planejar a semana, colocar sonhos em prática, de mudar o que nos incomoda, de fazer algo diferente no trabalho, em nossa vida… olhar além do horizonte.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

15 jan 2016

Sobre medo, dinossauro e coragem

o-bom-dinossauro

2015. Crédito: Pixar/Divulgação. Férias na telona. Filme O bom dinossauro.

 

Eu tenho medo“. Confessou-me Benjamin.

Mas você tem coragem“. Afirmei.

Tenho“.

Você sabe o que é coragem?”, questionei.

Ué, é quando a gente tem medo, mas vai e faz“.

Benjamin tem apenas 4 anos, mas às vezes é como se eu falasse com um pequeno sábio. Parece-me ousado em suas teorias e cauteloso demais em suas ações. Vejo nele uma característica que sempre tive: medo. Dar pulos mirabolantes do sofá ou da cama para o chão, é com ele mesmo. Mas se aventurar nos brinquedos de um parque, nem pensar. Balanço, trepa-trepa, gangorra só sentiram o calor das mãos e a insegurança de Benjamin. Como mãe fico sempre na dúvida se devo encorajá-lo ou obrigá-lo a fazer algo que sente medo, para ver se ele enfrenta.

Não tem problema sentir medo, a verdade é que precisamos senti-lo, por razões até de sobrevivência. O reflexo do medo nos paralisa em determinadas situações, o que de certa maneira é ótimo, afinal, sem medo, teríamos todos uma vida louca, imbecil e quiça curta. Imagina, se toda criança não sentisse medo e saísse por aí colocando a mão na jaula de um tigre. Precisamos do medo para nos proteger dos perigos. Seja criança ou adulto, o medo sempre vai existir, algumas vezes mais forte, em outras nem tanto.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

14 jan 2016

Organize suas contas

por
Gabi Miranda

Destaque, Dinheiro, Maternidade

Blog_fotos-2015

As previsões para 2016 são conservadoras e o mercado parece que continuará nessa crise, mas não é por isso que não devemos deletar de vez os maus hábitos de nossas vidas, pois são eles que detonam nosso orçamento pessoal e familiar. Aproveite o mês de janeiro para planejar seu ano inteiro e mudar seus comportamentos, comece poupando uma quantia pequena e colocando as dívidas em ordem. A edição especial da revista VOCÊ S/A, Organize suas contas, publicada no mês de dezembro/15, trouxe um guia para você acabar de vez com as dívidas, organizar o orçamento, fazer seu dinheiro render e realizar seus projetos nesse novo ano. A publicação reuniu grandes especialistas em dinheiro no Brasil para recomendar o que fazer e o que evitar. Abaixo, separei algumas dicas para compartilhar com vocês.

Dívidas – Mude suas atitudes e fique no azul

  • Evite compras parceladas e financiadas, especialmente no cartão de crédito. Antes de pensar em pegar um empréstimo para cobrir buracos no orçamento u manter um estilo de vida que você não pode, calcule o impacto que isso terá em suas contas;
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

13 jan 2016

Tudo o que você precisa saber sobre fraldas

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Produtos

Fralda é o item que um bebê mais usa durante os primeiros anos de vida. A estimativa é mais de 4 mil fraldas até os 24 meses de idade. Hoje é comum os pais realizarem chá fraldas ao invés do tradicional chá de bebê. Foi isso que fizemos na gestação da Stella, um chá fraldas no qual pedimos de presente fraldas, lenços umedecidos e pomadinhas. Como era de se esperar, ganhamos fraldas de diversas marcas e estamos usando todas sem frescura. Na época do Benjamin, por ser o primeiro filho, eu optava pela qualidade e não ligava muito para o preço. A experiência elimina frescuras e segundo filho transforma a vida familiar, principalmente, o orçamento.  Hoje dou importância para qualidade, mas também para o preço. Se existem fraldas boas com preços melhores ainda, porque comprar a mais cara?! Ainda não compramos fraldas para a Stella, mas pelo que vi os preços estão bem elevados. Por isso, decidi fazer esse post, para compartilhar minhas observações e avaliação de cada uma das marcas que já usamos. Espero ajudar outras mamães na hora de comprar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

tags: , ,

12 jan 2016

Licença maternidade não é férias

por
Gabi Miranda

Desabafo, Destaque, Maternidade

licença maternidade

Imagem do Google

Existe uma falsa ideia de que licença maternidade é um período de descanso, algo idêntico a férias, já que a pessoa fica um período afastada da empresa, sem praticar as atividades profissionais. Nós mesmas, quando grávidas, fazemos genuinamente planos para os meses que ficaremos em casa. Vou organizar os armários da cozinha, praticar um hobby, passear, aproveitar a piscina, encontrar as amigas, ler aqueles 10 livros empoeirados há um ano na cabeceira, assistir todos os filmes vencedores do Oscar 2011,  2012, 2013, 2014 e, lógico, 2015… e mais uma lista infindável de coisas que, sinto informá-la, não serão feitas na sua licença maternidade.

Quem já tem a experiência de um filho, tem uma expectativa menor sobre o que conseguirá fazer na licença maternidade (e pode até ser que consiga fazer 2 ou 3 itens da lista) e se incomoda demais com a falsa ideia das pessoas sobre o que significa a licença maternidade. Você passa o último trimestre da gestação sem poder reclamar que está cansada, por exemplo, do trabalho. Ouve-se o tempo todo as pessoas dizerem “ah, mas logo você ficará um bom tempo em casa descansando e eu que continuarei trabalhando”. Obviamente essas pessoas não tiveram filhos e não tem a menor ideia da vida após o nascimento de um bebê. Então, você respira fundo, pois compreende, se essa pessoa não tem filhos, ela não sabe o que está falando. Mas esses comentários se tornam frenquentes durante a gestação e, inclusive, na licença maternidade há quem pense que você não faz nada e pede favores acompanhados de frases assim “você podia ver isso já que está em casa e tem mais tempo”. Imagina uma puerpéria ouvir isso. Então, dá vontade de matar o ser humano.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

07 jan 2016

Dengue mata! Dicas para preveni-la

por
Gabi Miranda

Destaque, Filhos, Produtos, Saúde

Imagem Google

Imagem Google

Chegou o verão e com ele uma grande preocupação: a Dengue. Todo mundo já sabe, mas nunca é demais repetir, a Dengue não é transmitida de pessoa para pessoa, é uma doença infecciosa, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e aparece principalmente nas áreas tropicais e subtropicais, como o Brasil. O surto acontece justamente no verão, período de grandes chuvas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo.

A Dengue é uma doença séria e mata! Possui quatro tipos e todos com os mesmos sintomas: febre alta, dor de cabeça, dor nos olhos, no corpo, dor abdominal (principalmente em crianças), perda do paladar e apetite, manchas na pele, náuseas e vômitos, tontura, moleza, cansaço.

Como combater a Dengue? A melhor maneira é agir de forma preventiva, impedindo a reprodução do mosquito. O mosquito nasce e se cria em água parada, portanto é fundamental eliminar qualquer residente que possa acumular água. Em casa, conseguimos fazer isso tomando alguns simples cuidados:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: ,

06 jan 2016

Metas: 18 perguntas para ajudar na realização dos objetivos

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

metas

Ideas backgrounds

Eu disse aqui que um dos meus objetivos principais esse ano, é trabalhar minha espiritualidade, buscar a evolução da minha fé, ser uma pessoa otimista e isso inclui ser feliz todos os dias. Esse aperfeiçoamento, além de ser para que eu possa ter uma vida plena, é principalmente, pelos e para os meus filhos, minha família. Um ponto crucial para me manter otimista, por exemplo, é não reclamar. Fazemos reclamações constantes de coisas pequenas e considero isso um dos maiores sabotadores da nossa energia, produtividade e bem estar. Portanto, um dos meus maiores desafios do ano novo é eliminar os comportamentos, atitudes e crenças negativas e limitadoras que possam me boicotar. Para isso, tracei duas metas para me ajudar a combater esses infratores.

A primeira: anotar, religiosamente todos os dias, um motivo para sorrir e para agradecer. Pode ser algo que vi na rua, algo bom que aconteceu, uma música, uma lembrança, enfim, não importa o tamanho do que seja ou tenha acontecido. O que vale é o sentimento bom que aquilo me causou, o sorriso que me fez soltar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

05 jan 2016

Adaptação no berçário

por
Gabi Miranda

Bebê, Comportamento, Destaque, Filhos

Imagem Revista Guia Infantil/UOL

Imagem Revista Guia Infantil/UOL

Passada a crise normal de indecisão sobre colocar ou não Stella no berçário, optamos por seguir o mesmo que fizemos com Benjamin, colocá-la no berçário. Algumas coisas são decisivas para essa escolha: o irmão ter ido e ter ficado bem, além do desenvolvimento dele; o fato de me sentir mais segura deixando responsável pela minha filha pessoas que estão numa instituição; o berçário seguir regras básicas de rotina, alimentação, entre outros. Existem prós e contras para opção berçário ou deixar o bebê aos cuidados de outra pessoa em casa. E a que mais levei e conta, na época do Benjamin, era o fato de depender da ajuda de alguém só quando necessário.

Benjamin está saindo da escola que está desde os 5 meses e indo para um novo colégio. Por isso, resolvemos procurar um berçário próximo à nova escola dele, para assim agilizar a logística. Depois de muitas visitas e pesquisa, decidimos colocar a Stella na mesma escolinha que começou o irmão, porque não encontramos outra mais adequada e que, principalmente, me fizesse sentir segura. Já que começaria esse processo tudo de novo, que fosse ao menos num lugar já conhecido, de confiança e que mesmo não sendo perfeito, sempre ocorreu tudo bem com o nosso primogênito. Sendo assim, marido ficará responsável por levar e buscar os nossos dois filhos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!