30 out 2015

Lembrancinha de aniversário

por
Gabi Miranda

Destaque, Festas, Scrap Bossa

Acho muito difícil escolher lembrancinha de aniversário para festas na escola. Primeiro porque são muitas crianças em sala de aula e dependendo do que você escolher acaba saindo muito caro. Segundo porque não gosto de cair na mesma opção que todo mundo. Repare na quantidade de garrafinhas de personagens diversos que seu filho tem. Agora puxe na memória aonde ele ganhou. Certeza que 50% foi de lembrancinha de aniversário escolares. Se não é garrafinha, é saquinho de doces. Então, eu tento casar algo que acredito ser bacana e o custo que aquilo terá. O resultado disso esse ano para a festa de aniversário da escola do Benjamin foi esse: um livro que custou R$1,90 (cada), embalado num saquinho transparente e fita que já tinha em casa e uma tag feita pelo marido e impressa em casa mesmo.

blog-fotos2

Para a festa de aniversário em casa, fizemos algo pequeno que contou com poucas crianças. Decidi investir tempo e um dinheirinho (que acho que nem foi tanto, se tivesse comprado pronto) para fazer algo bem personalizado. O tema da festa foi “Os Vingadores”. Então, lembrei que uma vez fui na festa da filha de uma amiga, na qual ela mesma produziu as lembrancinhas que, para os meninos era uma capa de herói. Achei perfeito  para a festa do Benzoca que tinha uma pegada de Super Heróis. Comprei tecido e com a ajuda da minha irmã, tia-madrinha do Ben, fizemos as capas, cortamos e costuramos tudo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

28 out 2015

Desenvolvimento do bebê – Stella de 0 a 3 meses

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Já se passaram 3 meses. T-R-Ê-S meses!!! Nas primeiras semanas tudo o que eu pensava era “não vejo a hora dela completar 3 meses”. Essa mania que temos de querer que o tempo passe e quando ele passa queremos voltar nele. Stella nasceu grandona, forte, cheia de saúde. Assim como o irmão quando nasceu, não parecia um bebê recém-nascido de tão “madurinha” fisicamente. Já chegou atenta ao mundo, querendo observar tudo. Tanto que já não me lembro dela com pescocinho mole. E seu desenvolvimento chega a me assustar.

Lembro-me da choradeira. Dizem que bebês não nascem com temperamento formado. Balela! Stella nasceu com temperamento e personalidade fortemente formados. Já pensei se o comportamento temperamental do início, era algum tipo de trauma do parto – que não foi nada fácil para nós. Mas agora tenho quase certeza que faz parte da personalidade dessa minha leonina.

Blog_fotos-2015

São três meses de pura alegria, anseios, novidades, muito choro, fraldas, mamadas noturnas. Três meses como mãe de dois. Três meses de grande transformação na vida de todos aqui em casa. Três meses de Stella e uma enorme transmutação em mim. Mas já faz tempo, queria escrever sobre o desenvolvimento dela. Quero registrar alguns acontecimentos antes que eles acabem esquecidos, pois são tantas coisas novas que esquecemos mesmo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

26 out 2015

10 Dicas do que fazer enquanto espera o bebê nascer

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Seu médico te afastou do trabalho e agora você está em casa só esperando o bebê resolver nascer. As malas já estão prontas, a casa está em ordem, você está sozinha em casa e não sabe muito o que fazer?! Anote essas 10 dicas do que fazer enquanto espera o bebê nascer

Dica 1: Coloque um hobby em prática

Imagem Google

Imagem Google

Deve ter alguma coisa que você gosta de fazer. Eu adoro scrapbook. Então aproveitei para fazer alguns projetos e relaxar. Pinte, borde, costure.

Dica 2: Blog

Imagem do Google

Imagem do Google

Se você tem um blog aproveite para escrever e deixar algumas coisas no gatilho para o período após o nascimento do bebê, pois com certeza não será possível atualizar diariamente.

Dica 3: Livros e revistas

Imagem do Google

Imagem do Google

Coloque a leitura em dia. Ler também ajuda a distrair e deixar a espera menos angustiante.

Dica 4: Filmes

Imagem do Google

Imagem do Google


Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 out 2015

Bolo de laranja com casca

por
Gabi Miranda

Destaque, Receitas, Terapia do lar

Tenho nas minhas metas do ano, fazer pelo menos uma receita por mês. Tem mês que não dá certo fazer, tem outro que faço duas ou que repito a mesma receita de tão boa que é, como o caso desse bolo de laranja com casca, dica da minha amiga Daniela mãe de dois e madrinha da Stella. Amo bolo de laranja e essa receita é a que chega mais perto do melhor bolo de laranja que já comi. Antes dessa, eu só tinha fracassado com receitas de bolo de laranja. É super fácil de fazer, anote os ingredientes.

foto

Ingredientes para  bolo:

  • 1 laranja média
  • meia xícara de chá de óleo
  • 3 ovos
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • meia xícara de leite

Cobertura:

  • 2 xícaras de chá de suco de laranja peneirado
  • 1 colher de sopa de amido de milho

Modo de preparo

  1. Corte a laranja em pedaços pequenos, retire a parte branca do miolo e as sementes aparentes;
  2. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

20 out 2015

Por que ensinar o bebê a dormir sozinho?

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Foto: Bolsa de Mulher

Foto: Bolsa de Mulher

Acabo de fazer Stella dormir. Enquanto faço isso, ninando ela em meus braços, reflito sobre a ideia que algumas pessoas têm sobre ensinar o bebê a dormir sozinho. Está em livros, na internet e vários pediatras abordam o tema.

Segundo a teoria do Dr. Richard Ferber, diretor do Centro de Disfunções Infantis de Sono no Children’s Hospital, em Boston, os maus hábitos de sono são aprendidos e, portanto, podem ser desaprendidos. Para isso, ele recomenda que os pais coloquem o bebê no berço acordado e o ensinem a dormir sozinho. Se o bebê chorar, o Dr. acima sugere deixar a criança chorar por períodos cada vez mais longos.

Lembro que a nossa pediatra indicou deixar o Benjamin resungar por um período de 5, 10 e 15 minutos, mas não era para ensiná-lo a dormir. Na verdade, tinha a ver com deixá-lo resmungar e não atendê-lo ou pegá-lo no colo a cada gemido que ele desse, pois assim como adultos, os bebês também têm picos durante o sono que podem fazê-lo acordar brevemente e voltar a dormir em seguida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

15 out 2015

Manifesto para o Consumo Consciente – ZooMoo

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

O canal infantil ZooMoo, com apoio da Hubme, lança um manifesto para o Consumo Consciente.

Voce-sabia_

Vivemos numa sociedade onde tudo está voltado para o consumo. Somos incentivados a consumir a todo instante. Perceba. Não precisamos sair de casa, basta ligar a TV, o rádio, conectar a internet. Se colocarmos o pé para fora de casa então, na própria calçada somos bombardeados pela comercialização. As crianças, ainda sem noção dessa realidade, são alvos fáceis. Pedem tudo o que veem na televisão, o que o amiguinho da escola tem, o que viu numa loja de brinquedo. E o nosso papel como adultos e pais, é educar e dar bons exemplos.

Não sou perfeita e falho em muitas coisas, particularmente no que diz respeito a consumo consciente. Mas tento fazer o meu papel, especialmente porque educo pequenos seres que espero se tornem grandes homens. Portanto, aqui em casa, praticamos alguns itens que julgo serem importantes passarem de pais para filhos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

13 out 2015

Cheiro de bebê, cheiro de filho

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

cheiro-bebe

Algumas lembranças na vida são marcadas por cheiro. O cheiro da nossa casa de infância. O cheiro de domingo da casa da nossa avó. O cheiro do café com leite da irmã que toma ao seu lado. O cheiro de um bolo sendo assado. O cheiro do cabelo da nossa mãe. O cheirinho da roupa dela e até da nossa lavada por ela. Agora mesmo me bateu saudade do cheirinho da minha mãe e por muitas vezes após sua partida, sentia seu perfume. Cheiro de bebê. Se pararmos para pensar, o cheiro marca a nossa vida. O cheiro faz parte da nossa memória afetiva.

Qual cheiro você gosta mais? Eu gosto do cheiro da casa limpa, da roupa de cama trocada, da toalha limpa pendurada. Gosto do cheiro das roupas do meu pai, que sempre me lembra o cheiro do meu avô. Gosto do cheiro do marido quando sai do banho.

Alguns cheiros nos causam até rejeição, como pessoa cheirando a cigarro e podem até afastar possíveis amores. Outros podem aproximar e causam nostalgia da boa. Tem um cheiro, o meu preferido ou melhor, o preferido de todas as mães. Cheiro de bebê, cheiro do seu filho. Desde quando ele é bebê que alastra aquele cheirinho inconfundível por toda casa, até a vida toda, imagino eu. Cheiro de quando o filho sai do banho. Cheiro do seu chulezinho. E tem aquele cheiro da mão, de quando eles são recém-nascidos e só ficam com a mão fechadinha e de tanto levar a boca, fica um cheirinho, uma espécie de chulezinho. Do bafinho de leite ou ao acordar. Cheiro do seu suor, algo meio azedinho mas tão gostosinho. Cheiro da casa com criança. Filhos tem cheiro de amor e de felicidade. Esse é o cheiro que mais gosto, meu preferido, cheirinhos dos meus filhos, da minha vida.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

02 out 2015

Biblioteca do Ben: Girafas não sabem dançar

por
Gabi Miranda

Destaque, Livros, Livros infantis

foto 4

Eu adoro ler. Adoro livros. E adoro que Benjamin adore livros. Adora que conte histórias para ele. Pode até soar batido e piegas, mas ler é viajar sem sair do lugar. Importantíssimo, porque ativa o lado cognitivo da criança, estimula o desenvolvimento da fala, a imaginação, a criatividade e melhor ainda quando os pequenos já estão em alfabetização, pois auxilia na escrita. Por gostamos tanto de livros, decidimos a partir de agora abrir a biblioteca do Ben, indicando aqui o que tem de melhor nela, o que Benjamin ganha e o que garimpamos aí pelas livrarias. E para abrir essa nova seção no blog, vamos começar com uma sugestão deliciosa de leitura: Girafas não sabem dançar.

Em seu aniversário de 4 anos, Benjamin ganhou do vovô Alvaro uma sacola grande com vários livros, entre eles estava Girafas não sabem dançar que conta a história de Geraldo, uma girafa com joelhos tortos que a tornava desengonçada, resolveu ir ao baile anual dos animais da selva. Ao chegar na festa, se deparou com todos os animais dançando, vários estilos musicais: rock, valsa, tango, quadrilha e até chachachá. Não sei quem disse que girafas não sabem dançar. Mas claro, Geraldo ficou com vontade, se encheu de coragem, foi para a pista e…foi um desastre só. Todos os bichos começaram a chamá-lo de desastrado. A girafa ficou triste e fugiu do baile se sentindo arruinada. No meio do caminho ele encontrou um grilo amigo que lhe incentivou a não desistir. Não vou contar o que acontece no final, mas é um livro que ensina aos pequenos a importância de confiar em si e não ligar para o que os outros falam.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

01 out 2015

A linguagem dos bebês

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

choro-2

Uma das coisas que me incomoda bastante – pra não dizer que me irrita profundamente – é o bebê começar a chorar e as pessoas por perto começam suas especulações: “ele está com fome”, se alimentado vem a máxima “então é cólica”, e quando o bebê não para de chorar e, provavelmente, os outros querem que calem a boca dele, logo lançam “e se der a chupeta, ele não para de chorar?!”. Ninguém lembra que o choro é a linguagem dos bebês.

Vamos partir do princípio básico, a forma de comunicação dos bebês é através do choro. E eles choram por diversas razões: pode ser fome, sono, dor, gases, fralda suja, calor, frio, uma roupa, perfume, ambiente que está incomodando, ou até porque quer um colinho, um afago, um abraço. Mas os outros sempre tem opiniões e pitacos para dar. Passei dias ouvindo o choro da Stella sem saber o que era. Enquanto muitas pessoas diagnosticavam cólica, esse era o único sintoma que eu tinha certeza não ser. Parece que cólica é a palavra que descreve todas as situações em que um bebê chora desesperadamente. Além do choro, bebês também se comunicam através de movimentos corporais e Stella não passava nenhuma informação que indicassem cólicas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

29 set 2015

Resolva um problema de cada vez

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos

Imagem: Monguilhott

Imagem: Monguilhott

No post anterior, contei como foram as primeiras semanas com a Stella. Por mais que as coisas tivessem sido diferentes, nada mudaria o fato de ser muito difícil as primeiras semanas com um bebê em casa. Antes de nascer, ao invés de passar na fila da paciência, passei repetidas vezes na fila da ansiedade. Sou ansiosa por natureza e durante as primeiras semanas com a Stella me culpei por achar que podia ter feito tudo diferente e por coisas que fiz como oferecer a chupeta achando que seria uma forma de acalmá-la.

Não tenho nada contra chupeta e acho que esse acessório pode ser um grande aliado, mas nunca gostei de criança com chupeta e sempre tive medo que tornasse um objeto indispensável, sempre pensando no futuro, o trabalho que daria para desacostumar a criança sem ela. Ofereci à Stella logo nas primeiras semanas de vida e depois descobri que o ideal é oferecer a partir da 6ª semana, pois antes disso pode confundir o bebê que está sendo amamentado no seio. Pois bem, ela aceitou mesmo só na 6ª semana. Sofri. Porque embora eu oferecesse, não fazia isso sempre, mas só em momentos em que ficava desesperada querendo acalmá-la. Parte de mim torcia para ela não aceitar.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!