05 ago 2015

Relato de parto: o dia que a estrela brilhou

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Prepare-se, vai começar o meu relato de parto!

Há 8 dias, às 20:00, eu entrava em trabalho de parto sem ainda saber que era trabalho de parto. Naquele mesmo dia pela manhã, havíamos ido à consulta de rotina com o obstetra e saí de lá muito arrasada com a possibilidade de realizar mais uma cesárea marcada para sexta-feira, 31/07, às 22:00. Data já limite para o bebê nascer. Chorei com o meu médico, com o marido. Era um sonho indo embora, mas havia a possibilidade de acontecer algo durante a semana, quem sabe…Além de não me agradar a ideia de fazer outra cesárea, não me agradava nada ter que escolher o dia e hora do nascimento do meu filho(a). A história mais uma vez parecia se repetir, pois na gestação do Benjamin foi quase a mesma coisa. O dia passou arrastado e eu carregando certa tristeza no peito.

A noite chegou, preparei o jantar sentindo uma cólica, jantamos e então as dores chegaram. Uma dor que me abraçava pelas costas num indo e vindo infinito. Mal sabia que infinitos, seriam os números dos segundos, minutos e horas daquela noite e do dia seguinte. Por volta das 00:30 decidimos ir para a maternidade. Deixamos Benjamin nos pais do marido e lá fomos nós. Eu sentia dor e outro sentimento que não sei bem definir, não era exatamente medo, mas passava pela minha cabeça que eu não queria morrer. Desejei imensamente que minha mãe estivesse ali segurando minha mão e, por incrível que pareça, senti que ela estava ali e me assegurava que tudo daria certo. Percorri o caminho analisando o tamanho da minha dor, pois eu sabia que na maternidade me perguntariam “de zero a dez” que número eu daria para o que sentia. Cheguei à conclusão que daria nota seis e meio, pois embora a dor viesse aumentando, uma nota máxima só poderia ser atribuída para dores que não aguentamos, como aquelas que atingem a alma ao perdermos alguém e eu estava ganhando um outro alguém, eu daria à luz a uma outra vida, estava trazendo outro ser ao mundo, outras possibilidades, alegrias, outras histórias.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

7

comente!

20 jul 2015

Fotos de gestante: muito amor flagrado

por
Gabi Miranda

Destaque, Gravidez, Maternidade

Nessa gravidez não estava empolgada para fazer essas fotos de gestante, não sei se é a idade que chega, mas mudei um pouco minha opinião em relação a esse tipo de coisa. Eu gosto, acho bonito, mas prefiro algo mais próximo a realidade, ao contrário do que tenho visto desses ensaios por aí: grávidas produzidas de anjos (com direito a asas e tudo!), bailarinas, poses artísticas e cenográficas, estúdio, ventilador fazendo vento no cabelo (essa até eu fiz na gestação do Benjamin, mas abafa o caso), enfim…nada contra, mas não é a minha praia.

Por outro lado, comecei a sentir o que toda mãe de dois deve sentir: culpa. Do tipo “fez na gestação do primeiro filho e agora não fará para o segundo (a)?!”. Fui conversar com uma super amiga, a Mislene, do blog Céu de Borboletas, que está entrando nesse mundo fotográfico e perguntei se ela não queria uma cobaia grávida para fazer um ensaio fotográfico cheio de fotos de gestante. Ela aceitou e, com 37 semanas, lá foi a grávida e a família para um dos cenários mais lindos ao ar livre, de São Paulo, o Jardim Botânico.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

16 jul 2015

KidZania tem que entrar na sua programação nessas férias de Julho

por
Gabi Miranda

Destaque, Publieditorial

Se você é dessas mães prevenidas que fez uma lista de atividades para as crianças realizarem durante as férias de julho, tem que incluir na programação a dica de hoje.

Quem é de São Paulo já deve ter escutado falar na KidZania – há 7 meses, é a mais nova opção de lazer para os pequenos. Localizado no Shopping Eldorado, o espaço promove diversão e aprendizado para crianças a partir de 4 anos, através de uma experiência ímpar vivida na prática, num lugar feito particularmente para elas.

KidZania

Adianto. Você não vai encontrar lá carrossel, carrinho bate-bate, roda gigante e video-game. Numa área de 8.500m², você vai se deparar com uma cidade – com ruas, quarteirões, edíficios – projetada e adaptada especialmente para crianças, na qual elas se depararão com diversos cenários como: bombeiro, teatro, restaurantes, fábricas, hospitais, bancos, entre outros, onde vão exercer a imaginação, brincar de diversas profissões e fazer de conta.

São mais de 50 opções de estabelecimentos com atividades desenvolvidas por pedagogos, para que as crianças coloquem em prática, com toda infraestrutura necessária, o príncipio básico do “jogo de interpretação”.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!