05 ago 2014

Família e Educação: O conflito entre ser permissivo e dizer não ao filho

Família e Educação

A pergunta que mais ouvi nos últimos dias “você viu o vídeo do menino que teve o braço arrancado por um tigre?”. Só vi o vídeo ontem cedo, ao chegar no trabalho, porque a TV próxima à minha mesa estava ligada, caso contrário não teria visto porque me permito não procurar tragédias, afinal, são muitas diariamente. Só que após ver o vídeo fui ler sobre o caso e fiquei mais indignada e impressionada.

Eu não quero julgar esse pai. Mas infelizmente, não tem como falar desse assunto sem julgar os pais dessa criança, que devem estar sofrendo muito, óbvio, pelo ocorrido e pela própria falta de discernimento. Além do fato de o menino ter ficado sem o braço, me comove também, nessa história, a falta de limite e autoridade que nós pais impomos cada vez menos aos nossos filhos. O vídeo que assisti, foi ao ar no programa do Fantástico, dia 03 de agosto, no qual em determinado momento o pai diz “as pessoas (em volta) estavam achando bacana, curtindo”. Impressiona-me as pessoas em volta assistirem (e filmarem!) e não chamarem a atenção desse pai e dessa criança. Não, não tem a menor graça, não é nada bonitinho e bacana ver uma criança alimentando e atentando animais selvagens não domesticados, ultrapassar a passagem proibida pelos visitantes onde visivelmente se vê a placa “PERIGO! Não ultrapasse”. Se eu tivesse no local, com certeza seria candidata forte a brigar com esse pai. Aí vem um oportunista, ops, um advogado e diz que a culpa é do Zoológico.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

01 ago 2014

O melhor cheiro do mundo

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

Só descobrimos o melhor cheiro do mundo quando nos tornamos mães. O melhor cheiro do mundo é de filho. Cheirinho de bebê. Cheirinho da baba. Até o cheirinho de chulé. Filho tem cheiro embriagante. Se pudéssemos preservar esse cheiro, eu colocaria num vidrinho.

Esse texto abaixo, de um livro da Danuza Leão, define bem sobre o melhor cheiro do mundo.

“…Mas existe um cheiro que só as mulheres conhecem. É o que elas sentem quando estão enxugando seus bebês depois do banho. É preciso que não haja uma só pessoa por perto num raio de 200 metros para não haver interferência de qualquer ordem. Sem nenhuma presença estranha – nem mesmo a do pai -, mãe e filho vão poder dizer bobagens e rir de coisas que eles vão entender. Depois do talco a mãe vai botar o nariz no pescoço de sua cria e cheirar com todos os seus cinco sentidos. No princípio, timidamente, mas cada vez mais forte, até quase arrebentar os pulmões de tanto amor. Na hora a gente não sabe, mas um dia vai saber: não existe nada igual a esse cheiro nem a esse momento, e nunca vai haver um melhor. Porque esse é o cheiro da vida.” (Os cheiros, do livro Danuza Leão e sua visão do mundo sem juízo)
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

21 jul 2014

Quando dei um passo para frente e decidi deixar meu autoritarismo de adulto de lado

Há 4 meses, Benjamin que já havia passado pelo processo de desfralde com sucesso, voltou a fazer xixi na cama. No início era uma vez ou outra, depois começou a ser algumas vezes, até que se tornou repetidamente, todos os dias – o que estava gerando um stress aqui em casa. (dá banho logo cedo, troca a roupa de cama, lava – e não basta jogar na máquina e pronto, tem que por de molho, lavar à mão com sabão de coco, depois por na máquina para bater- cheiro de xixi é uma praga! Até outro colchão compramos). Você acaba não dormindo direito e acorda todos os dias com aquela expectativa: será que está seco?!

Sejamos claros: as mães vivem às voltas com o xixi que escapa das fraldas, as cuequinhas e os macacões molhados, os lençóis e os colchões ao sol, as montanhas de calças para lavar, e vão acumulando rancor, tédio e mau humor, sentimentos decorrentes do fato de acharem que seus filhos deveriam aprender a se controlar e da crença de que seriam capazes de fazê-lo quando completassem 2 anos. (Laura Gutman)
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

10 jun 2014

Rotina noturna familiar

por
Gabi Miranda

Bebê, Comportamento, Filhos

rotina noturna

Tenho vivido meses de luta para incluir uma rotina noturna na vida de Bejamin. Já entendi que se nossa família tem uma rotina peculiar, fica mais difícil impor horários. Por exemplo, chegamos em casa todos os dias por volta das 20:30. Não adianta querer colocar Benjamin para dormir às 21:00.

Esclarecido isso dentro de mim fiquei pensando alternativas possíveis.

Cheguei numa única conclusão: disciplina.

No entanto, é necessária força de vontade bem grande entre todos da casa para que a rotina seja estabelecida. Eu e marido trabalhamos fora. Não passamos o tempo que gostaríamos com o Benjamin. Acredito que Benjamin espera pelo momento de estarmos reunidos. Marido alega não concordar com o horário que estipulei (até 22:00 na cama), pois gostaria de passar mais tempo com o pequeno. Ok, eu também! Mas o fato do Benjamin dormir tarde é prejudicial para ele.

Benjamin acorda às 06:20, vai para a escolinha dormindo no carro (o que pra mim não é considerado um sono de qualidade), tira uma soneca de uma hora na escolinha, sai de lá às 19:00, dorme no carro (de um tempo pra cá adotei a postura de ir sentada com ele no banco traseiro com intuito de distraí-lo para ele não dormir), chega em casa às 20:30 e se deixar dorme lá pelas tantas. No meu ponto de vista, essa não é uma rotina adequada para uma criança.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

02 jun 2014

Estimulando a coordenação motora

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Filhos

Na primeira reunião desse ano na escolinha do Benjamin, a professora mencionou o que seria trabalhado junto às crianças nos próximos seis meses. Um dos itens a ser trabalhado era a coordenação motora dos pequenos, com exercícios específicos como pintar dentro dos desenhos, cobrir traços pontilhados, recortar e colar. Ela sugeriu que os pais também trabalhassem em casa com atividades. Então fui pesquisar.

Sempre escutei falar na coordenação motora fina. Descobri que são dois tipos: coordenação motora grossa e fina. A diferença: na primeira, a criança desenvolve o equilíbrio do corpo e suas primeiras habilidades como sentar, gatinhar, levantar, andar, correr, subir, descer, pular. É tudo que envolve o uso dos músculos grandes do nosso corpo.

Na segunda, a criança desenvolve o controle dos movimentos mais sensíveis e que exigem mais delicadeza. Como pegar uma peça minúscula com as pontas dos dedos, segurar o lápis, manusear uma tesoura, recortar, desenhar dentro do espaço limitado, montar um quebra-cabeça ou com aqueles brinquedos de construção (tipo lego ou tijolinhos). Todos os movimentos que envolvem controlar e manipular mãos e olhos.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

20 maio 2014

2014: ano de Copa, ano de álbum

por
Gabi Miranda

Entretenimento, Filhos, Maternidade

2014 é ano de Copa. Mais uma Copa vem e com ela a febre incontrolável de colecionar o tal do álbum da Copa. Mas dessa vez tem um gostinho todo especial, acrescido de uns ingredientes diferentes: nesse ano a Copa será no Brasil, fato que não ocorre desde 1950, e, claro, será a primeira Copa que o Benjamin vai vivenciar.

Sei que ele nem vai lembrar disso no futuro, afinal ele ainda vai completar seus 3 anos, mas será uma oportunidade diferente para nos divertirmos. Eu me recordo vagamente da Copa de 86, quando eu tinha 5 anos, por isso acho importante registrar em fotos e vídeos alguns momentos dessa primeira Copa do Ben.

E enquanto a Copa não começa, começamos pelo álbum da Copa. Num belo dia, soube do lançamento do álbum e aí já começam as buscas para conseguir um exemplar. Depois vem os contatos para saber quem também vai colecionar. E num breve diálogo em casa, já decidimos:
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

14 fev 2014

Se ele chora, eu choro

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

choro

Já tinham me avisado que o primeiro mês com o bebê em casa seria difícil. Assim como também avisaram que eu não teria tempo para mais nada. Achava que isso era carregado de exagero. O ser humano tem certa tendência de não acreditar até que tire a prova. Todos estavam certos. Eu mal tenho tempo pra lavar os cabelos – talvez eu corte careca e lance moda. Se escrevo aqui nesse momento é porque estou do celular (que agora acho a coisa mais incrível do mundo). A primeira semana com o bebê em casa chorei todas as noites, a segunda semana fiquei maravilhada por estar conseguindo fazê-ló acordar apenas uma vez a noite – isso aconteceu por quatro noites consecutivas.

Essa semana já mudou tudo, ele passou a não dormir a noite, ou melhor, passou a dormir só se estivesse no meu colo. E isso porque cometi o erro de dormir com ele uma noite dessas que estava muito frio. Como saber o que é certo ou errado? Existe uma fórmula para não errar? Com seu choro, o bebê tem o poder de nos manipular*, eles nos vencem pelo cansaço e também pelo amor, pois esse nos move a agir com o coração.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

13 fev 2014

De olho no futuro: investimento financeiro de pais para filho

Investimento financeiro para filhos

Eu já disse que fui criada só pela minha mãe. Eu e minha irmã. Eita mulher porreta essa dona Salete. Nunca nos deixou faltar nada. Sempre tivemos tudo o que precisamos. Houve um tempo, já na minha vida universitária, que passamos por algumas dificuldades. Considero esse, o período que recebi minhas primeiras bordoadas da vida. Porque a dona Salete, vixi, essa já estava calejada, só era mai uma porrada, mais uma lição que a vida queria lhe dar.

Nessa época tive que financiar a faculdade, em anos infinitos (nunca vou me esquecer quando acabei de pagar: abril de 2010. Já havia terminado a faculdade há seis anos). Pagava todo mês R$600 reais. Já tinha o meu pequeno salário e meu pai ajudava como podia.

Não viajei para Disney, como todos os jovens da minha época. Não ganhei carro ao completar 18 anos (minha mãe também não tinha. E lembro da gente indo buscar a cesta básica – 02 caixas de alimentos – de condução). Vivi vendo minha mãe pagar aluguel.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

05 fev 2014

O dia em que você nasceu

selo_2anos

Acordei. Ainda deitada recebi uma ligação da tia Rosana. Era um dia ensolarado. E acho que foi o primeiro que não havia pensado “será que você nasce hoje?”. No dia anterior estivemos na consulta com o obstetra que mais uma vez confirmou que você ainda estava alto na barriga da mamãe. Eu tinha apenas um centímetro e meio de dilatação. E você, o prazo de mais uma semana para permanecer dentro de mim. Eu queria tanto ter você de parto normal. O Dr. Vicente tentou descolar a bolsa pra ver se, de repente, eu entrava em trabalho de parto nos próximos dias. Mesmo assim tivemos que marcar a cesariana, que ficou para o dia 21 de junho. Era pra ser dia 20, mas não tinha vaga na Maternidade Santa Joana, nem no Pró Matre. É muito estranho ter que escolher uma data para o nascimento do filho. É como se aquela escolha fosse determinar uma vida inteira, o que de certa forma é uma verdade. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 jan 2014

É proibido cobrar (taxas de material escolar)

Ano novo chegou e com ele uma enxurrada de despesas. As contas à pagar resumem-se em: IPVA, seguro, IPTU, etc. Quem tem filhos em idade escolar, se ainda não bastasse matrícula, tem aumento de mensalidade e as taxas de material extras que as escolas tentam empurrar: material de papelaria, livros e atividades extra-curriculares.

Em muitos casos, o preço chega ser abusivo. A escola inclui na lista de material até mesmo produtos de higiene. Existem até casos de escolas que mencionam as frutas fresquinhas. Calma lá! O que está incluso naquele valor simbólico (sqn)) que se paga mensalmente? Imagina-se que se paga para criança ter um profissional de qualidade em sala, refeições (se já é algo combinado) e atividades básicas de ensino maternal/infantil: artes, musicalização, judô, balé, vale até um inglês(inho) para a criança começar a se familiarizar.

taxas de material escolar

Mas o que poucos pais sabem é que em outubro de 2013, foi aprovada a Lei 12.886/2013 que proíbe as instituições cobrarem taxa de material escolar de uso coletivo dos estudantes ou da instituição. Materiais como: giz, papel sulfite, cola, guaches, tintas para impressoras, grampeador, produtos higiênicos e copos descartáveis. “Devendo os custos correspondentes ser sempre considerados nos cálculos do valor das anuidades ou das semestralidades escolares”. Ou seja, esses custos deveriam estar contemplados lá naquele valor “simbólico” que os pais pagam mensalmente, que chegam a 13º parcelas no ano.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

20

comente!