23 ago 2013

Diário do desfralde

por
Gabi Miranda

Bebê, Desenvolvimento, Filhos

12/08, Segunda-Feira

Primeiro dia do processo. Como disse AQUI, enviei a quantidade de roupas que pensei ser necessária, mas não enviei fraldas – imprescindíveis para a hora da soneca e para ir embora pra casa. A tia do Ben, muito querida, deu um jeitinho e conseguiu duas. Todas as roupas voltaram molhadas. TODAS! Inclui meias e até o tênis.

13/08, Terça-Feira

A mãe aqui ficou o dia inteiro sofrendo. Pasmem, comecei a achar que não era preciso iniciar isso agora, mesmo com os sinais que Benjamin já havia demonstrado. Sei lá, poderiam ser sinais dele ou sinais de mãe que adora contar vantagem – não que esse seja o meu caso. Apenas duas roupas voltaram molhadas. Mas Benjamin não pediu para ir ao banheiro.

14/08, Quarta-Feira

Fiquei mais tranquila ao ver que o processo era assim mesmo, meio lento e que tudo daria certo. E para tranquilizar ainda mais, nenhuma roupa veio suja. Mas Benjamin não pediu para ir ao banheiro.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

19 ago 2013

Desfralde – Orientações da escolinha

por
Gabi Miranda

Comportamento, Filhos

O desfralde começou e o processo está sendo em parceria com a escola. Como disse AQUI, gostei muito do comunicado da escola e quero compartilhar resumidamente – porque é grande e bem detalhado, com vocês.

Acredito, inclusive, que isso pode ajudar alguém na mesma fase que não tenha tido orientações e dicas da escola.

  • Uma vez retirada a fralda, independente do local onde a criança vá, o uso da fralda fica proibido, pois isso pode confundir a criança;
  • Cuidado para não obrigar a criança ficar muito tempo no penico;
  • Não brigar com a criança, nem expô-la ao ridículo por não ter conseguido se controlar. Nessa fase é comum escapar muitos xixis e cocô. Nada de broncas;
  • Incompreensões e intolerância por parte do adulto, pode causar sérias consequências psicológicas na criança;
  • Nessa fase de adaptação ao penico, é bom que os pais deixem a criança a vontade para, até mesmo, utilizar o vaso sanitário, se assim desejar. Nesse caso, improvise um degrau e um redutor de assento. Fique sempre perto da criança;
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

16 jul 2013

Onde comprar roupas infantis em SP

por
Gabi Miranda

Filhos, Produtos

Já faz algum tempo que estive em Embu das Artes conferindo uma dica de uma grande amiga, a Mislene, mãe de dois. Lá é um lugar cheio de pontas de estoque, ótimo para comprar roupas infantis. Então, toda vez que me pergunta: onde comprar roupas infantis, indico Embu.

Tem uma loja chamada BBB que é uma ponta de estoque de grandes marcas infantis: Green, Tip Top, You, Tigor, entre outras. Todas com um preço bem abaixo do mercado. O legal dessa loja é que além de vender peças individuais, também vende por quilo, principalmente as roupas sem marca.

Mães de meninas passam mal por lá, pois a variedade é enorme. Aliás, essa é uma das minhas queixas como mãe de menino. É muito difícil encontrar roupas para os moleques em ponta de estoque. Tem mais para os bebês do que para os maiores. Já para as meninas tem uma oferta e tanto.

Nessa mesma loja, na parte de baixo, é a ponta de estoque de calçados. Para meninas tem uma diversidade que não acaba mais e tudo num precinho maravilha.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

12

comente!

04 jun 2013

Enxoval do bebê- Parte 2

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

enxoval do bebê

ALIMENTAÇÃO

Nós (e, principalmente, as avós) pensamos que o bebê vai nascer e vai usar a mamadeira, comer nos conjuntos de pratinhos lindos, usar babadores, etc, etc, etc…para tudo! Eles demoram um pouco para usar esses itens. Na lista abaixo, tudo o que ele vai precisar, mas que não necessariamente usará de imediato.

O que compramos

1 garrafa térmica;

1 mini garrafa térmica – usava pra levar água quente dentro da bolsa toda vez que eu saía com o Ben;

1 mamadeira com bico que imitava o seio;

O que ganhamos

5 mil mamadeiras grandes;

3 mamadeiras pequenas;

1 mamadeira chuquinha – nem usamos, aliás está em casa guardada;

9 bicos de mamadeira;

1 porta leite – eu não sabia a serventia daquilo quando abri o pacote! É um item indispensável!!! É incrível, o meu tem divisão para três doses de leite em pó. Todas as pessoas mais antigas, minha mãe, minhas tias e até meu pai, acham o máximo quando me olham sacando os itens da bolsa e se deparam com tanta praticidade. Na época deles não existia nada disso;
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

03 jun 2013

Enxoval – Parte 1

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

enxoval

Essa semana darei dicas para as grávidas de primeira viagem. Eu sei que tem várias leitoras aqui com esse perfil e fico muito feliz quando recebo e-mails pedindo sugestões, como eu fiz na minha gestação ou o que faria diferente agora depois de ter passado por tudo.

Para começar vou falar de enxoval! Marinheira de primeira viagem quer comprar tudo que vê pela frente! Depois que descobre o sexo do bebê então, Jesus! Somado ao fato de sermos mulheres = adoram comprinhas. Minha dica é: contenha-se!!! Eu sei, eu sei, é difícil! Algumas vão dizer: até parece que você se conteve!

Contive-me na medida do possível. Primeiro que eu tive uma educação financeira meio tardia, mas que hoje me dá controle. Segundo que Benjamin foi o primeiro neto, primeiro sobrinho, a primeira criança da família e ganhou um mooooonte de coisas (algumas até desnecessárias). Mesmo que não seja a primeira criança da família, eles sempre ganham o necessário (e o supérfluo).
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

17 maio 2013

O progresso do meu bebê

por
Gabi Miranda

Desenvolvimento, Filhos

Esses dias estava à toa, assistindo novela enquanto Benjamin brincava com essas peças de montar (tipo lego, só que não) perto de mim. De repente, ele falou assim sozinho, pra ele mesmo: “um bolo” e assoprou uma velinha imaginária.

Pense se eu não pirei! Ele pela primeira vez (que eu tenha visto pelo menos) externou sua imaginação. Ele pensou e verbalizou seu pensamento. Parece algo simples e bobo, mas não é. Imagine o que é para uma criança passar por esses processos de desenvolvimento….

Nós adultos já fazemos tudo no automático. Andamos, sentamos, agachamos, falamos, tudo assim na maior facilidade. Mas para uma criança na idade do Ben (e principalmente os mais novos) para alcançar algo que ele queira e está longe, envolve um processo de equação matemática ou física mesmo. O bebê pensa: quero chegar naquele objeto, pra isso preciso caminhar até lá, agachar, etc…até concluir a ação.

Meu filho, que até ontem, ou melhor, que até um ano atrás, era um bebê, colocou pra fora um pensamento e eu vibrei en-lo-u-que-ci-da-men-te. Tanto que até interrompi, empolgada, querendo fazer parte daquilo – aquele momento especial que é imaginar. Afinal, temos que dar asas à imaginação. Eu disse como uma boa mãe louca: que bolo liiiindo, filho! Mas você assoprou a velinha sem cantar parabéééééns?! Vamos cantar, vamos cantar parabéns agora! E começamos os dois a cantar o parabéns sem festa mais animado do planeta. E mais uma vez ele assoprou a velinha. Clique e continue lendo!

compartilhe!

6

comente!

03 maio 2013

Tempo de brincar (ou de brinquedo?)

por
Gabi Miranda

Comportamento, Desenvolvimento, Filhos

Nesse feriado fomos conhecer a Casa do Brincar. Sem palavras para descrever meus sentimentos ao entrar naquele lugar. Eu me senti em casa de avó, aquele lugar cheio de coisas permissivas, onde tudo a criança pode pois ninguém vai proibí-la. Andar descalço, mexer (com cuidado) na hortinha, janelas e portas abertas, liberdade para correr e explorar todos os cantos.

Bateu até uma certa nostalgia e cheguei a comentar com o marido “a casa da minha avó é perfeita para produzir um espaço desse”. Cheguei a sonhar acordada com essa (im)possibilidade.

A proposta era uma atividade especial: arte coletiva no quintal – crianças brincando à vontade com tinta – e brincadeiras de roda. Benjamin adora música e curtiu à sua maneira, super concentrado na roda de música, porém não interagia. Já havia percebido isso e imaginava que era porque ele era pequeno. Mas agora em casa ele interage muito quando cantamos e propomos brincadeiras, então pensei que já fizesse isso com mais pessoas em volta. Pensei errado. Ele ficou o tempo todo sentado, quieto, prestando atenção, como sempre percebi em todas as vezes que o levei em programas do tipo.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!

08 fev 2013

Como você controla as mamadas do seu filho?

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

Eu podia estar falando de carnaval, podia estar dando dicas de blocos e como se divertir com as crianças, mas essa semana não faltou esse assunto na internet  e hoje também não vai faltar. Então, decidi falar sobre amamentação – assunto que não sai de moda, que eu gosto e porque nos últimos dias, ouvi sobre pessoas que estão nessa fase e bateu saudade de quando amamentei….

Ainda grávida, lembro que separei um caderninho para fazer anotações do tipo:

– Horário das mamadas

– Tempo de cada mamada

– Último seio oferecido ao bebê

– Horário que o bebê fez coco

– Quantidade de trocas

– e mais um monte de coisas.

Tinha visto a ideia num livro. Era como se fosse um diário. Ter todas as informações anotadas para apresentar à pediatra.

Agora alguém me pergunta se isso deu certo.

Obviamente, não! Há quem não acredite, mas mãe de recém-nascido não tem tempo pra fazer nada. Eu não acreditava, achava um exagero ouvir as pessoas falando isso.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

04 fev 2013

Patrimônio para os filhos: gentileza, generosidade, educação

por
Gabi Miranda

Comportamento, Educação, Filhos

Seu filho fala “obrigado”? Tem atitudes de carinho inesperado? Divide comida ou o brinquedo com outras crianças? Ele é generoso? Usa de gentileza?

Um estudo da Universidade da Califórnia, realizado com 400 crianças, confirmou que criança habituada com comportamentos de gentileza, como ser carinhosa e dividir, se sente mais feliz.

Ou seja, gentileza gera gentileza e felicidade! É só pensar: quando praticamos a gentileza não somos tomados por um estado de plenitude, bem estar?! Isso também é felicidade e não só o estado de euforia e conquista.

Nunca me esqueço de uma matéria, de Eugênio Mussak, que li já faz um bom tempo, na revista Vida Simples, sobre generosidade. O autor usava duas expressões muito dignas para diferenciar as pessoas: “mundo do mais” e “mundo do menos”. O mundo do mais é o mundo que tem uma propriedade que dignifica o ser humano, e esse é, exatamente, a marca da generosidade, do compartilhamento, da disponibilidade. O mundo do menos é mesquinho, isolador, egoísta.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

12 nov 2012

As dúvidas do maternal

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos

Outro dia uma amiga que acabou de ter bebê pediu dicas de como encontrar o berçário ideal. Eu acho mesmo que o berçário ideal seria aquele projetado por nós – mães. Não existe. Já dei dicas do assunto quando falei: sobre berçários, a escolha do berçário, berçário x babás, dicas para a escolha do berçário.

Um ano se passou e percebo o quanto sabemos tão pouco das coisas. Podemos ter uma ideia, mas nunca estamos preparados o suficiente para determinadas situações. Hoje percebo quanta coisa a mais podia ter perguntado no momento em que conheci o berçário e não perguntei. De fato, tem coisas que só aprendemos na prática, no dia-a-dia mesmo.

Então que na semana passada, recebemos um comunicado informando que meu bebê já não é mais tão bebê. Não dizia bem isso, mas era como se fosse. Em janeiro Benjamin vai mudar para a turma do maternalzinho. Já sabia disso verbalmente, mas esse era o comunicado oficial. E nós pais estávamos sendo convocados para a reunião que acontece ainda esse mês, quando seríamos informados sobre as novas rotinas da mudança.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!