29 abr 2015

Quantos meses você está grávida?

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Uma das perguntas mais frequentes, depois da clássica “Qual é o sexo?”, é essa: de quantos meses vocês está grávida?

Os médicos contam em semanas, e, geralmente, uma gravidez dura 40 semanas, podendo durar até 42. Benjamin nasceu de 41 semanas. Se contarmos em meses isso significa, aproximadamente, 10 meses e, em meses, teoricamente, a gestação dura 9.

Na gestação do Benjamin ainda sabia dizer em meses, mas nessa me atrapalhei e sei responder sem titubear em semanas. Mas quando você responde “26 semanas”, o receptor não tem ideia rápida de quanto isso significa em meses. Para não confundir ninguém e deixar as pessoas satisfeitas, respondo “6 meses” ou final do segundo semestre. Por que tem isso também, a gestação é dividida em trimestres: 1º, 2º e 3º.

As grávidas percebem melhor essa divisão do calendário gestacional a medida que a gravidez avança, pois surgem sinais importantes que marcam cada período:

  • batimento cardíaco fetal que surge por volta de 10-12 semanas e é quando realizamos a ultrassom com Dopller;
  • Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

27 abr 2015

A produção do leite e a importância da amamentação

por
Gabi Miranda

Alimentação, Gravidez, Maternidade

produção do leite

Foto: http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/ciencia/2013/06/22/amamentacao-melhora-desenvolvimento-cerebral-de-criancas-confirma-estudo.htm

Uma das coisas mais deliciosas e das que mais sinto saudade da maternidade é a hora de amamentar. Durante a gravidez do Benjamin eu não era tão ligada em buscar informações e nem procurava na internet. Não tinha ideia da quantidade de mulheres que não amamentam por motivos diversos, de como era esse lance de pega correta do bebê, que os bicos dos seios podiam rachar, muito menos que o leite desceria milagrosamente como uma fonte de cachoeira no terceiro dia após o nascimento do meu Ben. Fui aprender a amamentar na maternidade, com ele já nos meus braços e tudo correu de maneira tranquila como deve(ria) ser.

Com tantas histórias sobre amamentação agora já conhecidas, fico com medo de não conseguir amamentar o próximo bebê. Ao mesmo tempo, fico pensando como é possível uma mulher não produzir leite, se o nosso corpo, principalmente os seios, durante a gravidez é preparado para virar uma fonte desse alimento tão importante que fará diferença para o resto da vida do pequeno, protegendo-o até de doenças e infecções ao longo da vida. Já no início da gestação, podemos notar diferença em nossos seios. Os hormônios estrógenos e progesterona – aqueles que mexem tanto com a gente capazes de nos deixar 3 meses passando mal – também são os responsáveis por deixarem nossos seios maiores, sensíveis e dilatados. Após o parto, ganham lugar os hormônios prolactina e a ocitocina, responsáveis por estimular células dos seios a produzirem leite.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 abr 2015

2 dicas de produtos para hidratar a pele na gestação e evitar estrias

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

A pele na gestação precisa de cuidados especiais

As grávidas de primeira viagem, talvez não saibam – eu não sabia (!), mas é preciso cuidar da pele na gestação! Além de nos preocuparmos com alimentação saudável, exercícios, precisamos cuidar da pele também. Na gravidez do Benjamin aconteceu tudo muito rápido: passei mal no início, perdi alguns quilos e ganhei em dobro sem perceber num único mês. Um belo dia acordei e estava com o mapa do mundo desenhado em estrias escuras no bumbum e nas coxas.

As danadas das estrias surgem assim, repentinamente, com o ganho de peso rápido. E geralmente, acontece no segundo trimestre da gravidez. É mais ou menos assim: aumentamos de tamanho, a superfície da pele estica, as camadas mais profundas da pele (colágeno e elastina) rompem e PUUUUM!

Foi tenso quando me vi diante do espelho com aquele mapa de estrias porque ficou feio mesmo. Fiquei com medo daquilo se estender para a barriga, nem sabia se aquilo sairia um dia. Os lugares mais comuns das estrias estourarem são: coxas, nádegas, abdômen e seios. E o melhor a se fazer para prevenir o aparecimento das bandidas, é hidratar exageradamente a pele!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

22 abr 2015

Medo na gravidez: como lidar com o medo de que algo dê errado

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

medo na gravidez

Google

Já comentei que essa gestação foi planejada, mas desde que as duas linhas vermelhas surgiram diante dos meus olhos, vários medos tomaram conta da minha mente, coração e acho até que do corpo – uma vez que fiquei imprestável no início da gestação. Não foi diferente na gravidez do Benjamin. Parece automático, o bebê começa a desenvolver e junto dele vários sentimentos (contraditórios até) desenvolvem ao mesmo tempo: felicidade, insegurança, ansiedade e….o medo na gravidez!

Medo de não dar conta, de não ter dinheiro para educar, se for o segundo de não amar como amamos o primeiro, de como será a reação do primogênito com a chegada do novo membro da família, de perder o bebê, dele ter algum problema de saúde, do parto e assim por diante… Como lidar com tanto medo na gravidez? É natural sentir medo, dizem que o sentimos quando percebemos que estamos ameaçados e que esse sentimento é um grande aliado permitindo a nossa sobrevivência. Mas uma gravidez é uma ameaça? Eu diria que não. Porém, é o início de um acontecimento transformador na vida de qualquer pessoa e é normal sentir insegurança quando não temos o poder de saber, muito menos de controlar, o que acontecerá no futuro.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

16 abr 2015

26 semanas de gestação e a organização dos sentimentos

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Estamos com 26 semanas!

26 semanas

Outro dia uma amiga que ainda nem é mãe cobrou de mim “está na hora de atualizar o blog, contar mais sobre esse novo bebê”. Não é só ela que cobra. Outras amigas e leitores também cobram. Eu também me cobro. Mas eu estava sentindo certa dificuldade para estabelecer uma conexão com esse meu estado interessante, o que mexia com meu estado emocional. Esse bebê, assim como Benjamin (e quase tudo na minha vida) foram planejados. No entanto, as duas gestações me pegaram não de surpresa, mas de supetão. A primeira, prevista para 6 meses após parar os métodos conceptivos, chegou no primeiro mês. A segunda, chegou no terceiro mês de tentativa, mas quando eu já estava pensando em desencanar um pouco e focar em uma viagem de férias dessas com duração de 30 dias.

Em ambas, passei muito mal no início. Dessa segunda vez acho até que foi pior e atribuo ao meu estado de saúde e físico, o abalo no estado emocional. Entre idas e vindas ao pronto-socorro, também fiquei de licença médica por quase 15 dias, o que me afastou do trabalho e me deixou isolada em casa, sozinha. Tudo isso mexeu muito com meu emocional. Eu pensava muito em como seria a gravidez, ter dois filhos, pensava na possibilidade de passar mal a gestação inteira (porque a gente acha que não vai passar nunca aquilo tudo, que os hormônios não vão se estabilizar), e, principalmente, sentia muita falta da minha mãe não estar por perto me apoiando, me acompanhando no hospital, segurando a minha mão e sofria ao pensar que ela também não estaria por perto após o nascimento do bebê.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

27 fev 2015

Felicidade

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

felicidade

felicidade…

Hoje completo 19 semanas de gestação. Andava bem ansiosa porque não havia sentido o bebê mexer ainda… Até que quarta-feira deitada para dormir veio a surpresa. Aquela sensação nítida, exata de outro ser se mexendo dentro de mim. Dessa vez não pareceu com borboletas e sim uma bolinha de tênis batendo: indo e vindo. Eu que segurava a mão do Benjamin – como ele pede todas as noites até pegar no sono, fiquei imóvel, sentindo o calor da mãozinha do meu primogênito e os movimentos certos do caçula que está por vir. É como diz Guimarães Rosa, felicidade se acha em horinhas de descuido…

Leia também: 9 mitos comuns da segunda gravidez

compartilhe!

0

comente!

26 fev 2015

5 livros para contar a chegada de um irmãozinho (a)

por
Gabi Miranda

Gravidez, Livros, Maternidade

A notícia da chegada de um irmãozinho transforma a vida de toda família, em especial da criança que já existe na casa. Se ela for a única até aquele momento, é normal que sinta medo, insegurança, sofra mudanças no comportamento e não entenda muito bem o que está por acontecer. O melhor que os pais tem a fazer é encontrar uma forma delicada para abordar a chegada do novo integrante da casa. E mostrar quanto será bom para a criança a chegada de um irmãozinho (a). Mostrar que todos passarão por uma transformação e que é normal sentir aquele turbilhão de sentimentos.

A família reunida vai encontrar um jeito de lidar e entender juntos esse momento que será novo para todos. Um jeito que encontrei para compartilhar com o Benjamin a chegada do seu irmãozinho (a), foi lhe presenteando com um livro que explicava um pouco todo esse processo. Para ajudar outras famílias, reuni 5 dicas de livros que servem para presentear os pequenos que serão promovidos a irmão (a) mais velho.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

23 fev 2015

Qual é o sexo do bebê?

por
Gabi Miranda

Bebê, Filhos, Gravidez, Maternidade

“Saber de antemão o sexo do filho é como espiar Deus pelo buraco da fechadura”

Impressionante mas a pergunta que grávida mais ouve é “qual é o sexo do bebê?”, posteriormente a resposta vem “mas você quer o quê?”, em seguida “mas você sente alguma coisa, tem pressentimento se é menino ou menina?”.

sexo do bebê

No texto “A cor do destino”, do livro “Coração de pai – Histórias sobre a arte de criar filhos”, o autor José Ruy Gandra conta que não soube o sexo de nenhum de seus dois filhos. Pedi permissão a ele para postar trechos que explicam seu motivo:

“…É algo como espiar Deus pelo buraquinho da fechadura. Ou abrir um presente antes da hora. Um gesto que priva pais e mães da mais comovente surpresa que toda gravidez reserva. Saber, num único e mágico instante, se seu filho é um menino ou uma menina – e qual, afinal, é a carinha desse sonho que, por nove longos meses, você acalentou em duas versões.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

2

comente!

03 fev 2015

3 dicas de como anunciar a gravidez à família

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Veja dicas de como anunciar a gravidez para a família

Depois de se deparar com aquelas duas linhas vermelhas que afirmam: você está grávida sim!, é impossível guardar para si surpresa tão agradável, mas que mete um medo danado. Você sente uma necessidade quase incontrolável de gritar para o mundo: ESTOU GRÁVIDAAAAAA, UHUUUUUU…! Mas se você for como eu, prefere contar primeiro para os mais próximos e segurar mais algumas semanas para espalhar tamanha alegria, a primeira pessoa que precisa saber é aquele que contribuiu para tal façanha.

  1. Pegue uma foto da família e o exame com o resultado, cole num espelho e faça uma simples conta de matemática: 3 + 1 = 4. O número 4 tem um poder mágico assustador.
    anunciar a gravidez
  2. Sua irmã, tia das suas crias, também merece receber essa notícia com uma surpresa inesquecível. Presenteie-a com um porta retrato para três fotos. Nele, coloque uma foto dela com o primeiro sobrinho (a), uma foto de vocês juntas e no terceiro espaço deixe um recado: espaço reservado para seu próximo (a) sobrinho (a) que chega em _________ (complete com o mês de previsão). Aguarde (e peça para alguém gravar) a reação dela.
  3. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

02 fev 2015

O que esperar na segunda gravidez – Primeiro trimestre

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

Eu imaginava que a segunda gravidez fosse completamente diferente da primeira, que eu não sentiria nenhum mal-estar. Afinal, é isso o que todo mundo diz: “nenhuma gestação é igual a outra”. 

Puro sonho. Sou uma grávida ligeiramente insuportável. Dessas que vive a gestação no amplo sentido da palavra. Dessas que enjoa (de comida, cheiros e até pessoas), vomita de três a quatro vezes em dias que me considero bem (e 11 vezes nos dias ruins), fica fraca, pressão despenca, com direito a prisão perpétua de ventre (engana-se quem pensa que a barriga saliente é por causa de um bebê – que por sinal mede 7cm). Na maioria das vezes só soro na veia pra me levantar, e lá vamos nós para o PS. Estou conversando e de repente sinto um gosto, os dentes ficam avermelhados, sangue! Por que gengiva de grávida sangra mesmo? Ah, os hormônios! Eles provocam erupções em nosso corpo, e, inflamações na gengiva é só mais um dos sintomas.
Clique e continue lendo!

compartilhe!

3

comente!