25 out 2013

Como distrair crianças no trânsito

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Quem mora em São Paulo viu que a cidade parou ontem por causa de um acidente na Marginal Pinheiros (olha aqui), causando quilômetros de congestionamento, horas de espera dentro do carro num calor estonteante. Eu e Benzoca éramos uns dos milhões de brasileiros parados na Marginal Pinheiros.

Benzoca acordou de bom humor e pensei que seria de boa encarar o perrengue, mas logo que o carro parou de vez, ele já deu sinais de que não teria paciência para o trânsito. Fiquei tensa. Eu tenho medo de ficar sozinha com Benjamin irritado no carro. Na hora pensei, vamos seguir e se o negócio ficar feio, ou seja, se Benjamin começar a chorar, damos meia volta pra casa.

Abre parênteses. Não, isso não quer dizer que meu filho não tem limites e que faço tudo o que ele quer. Quer dizer que uma criança de dois anos não é obrigada a passar por uma situação de stress dessa e se eu tenho a possibilidade de amenizar isso, eu amenizo. Aliás, eu também não sou obrigada. Fecha parênteses.

Isso claro na minha cabeça continuamos parados no trânsito. Mas Benjamin reclamou só um pouco e logo estávamos entretidos com alguma coisa. Só que antes de prender a atenção dele em alguma coisa, quando bateu o medo de ficar com ele no carro, pensei “e agora??? f@#&u!!! O que vou fazer para distraí-lo???”. Não sou uma pessoa muito criativa, tenho medo de parecer idiota, marido com certeza saberia o que fazer, tanto que Benjamin começou a falar que queria o papai.

É claro que existem coisas básicas para distrair uma criança:

  • música (sempre temos no carro e ontem Benjamin escolhia os CD’s que queria escutar e pela primeira vez na vida recusou Palavra Cantada e pediu Marisa Monte. sinal de que o trânsito pode trazer sanidade para os seres humanos);
  • celular (teve um momento que ele pediu pra ver fotos, dei o celular, mas por incrível que pareça ele logo devolveu. eu não sou muito a favor de aparelhos eletrônicos na mãos das crianças em pleno trânsito. acho alvo fácil para assalto);
  • DVD (não temos tal equipamento no carro. quando Benjamin era mais novo cogitamos essa hipótese, principalmente para viajar, mas depois desistimos porque achamos que seria viciar o menino em algo desnecessário. não sou contra, ok?! mas acho que nem sempre o mais cômodo para os pais é a melhor alternativa para os filhos).

No entanto, essas artimanhas não são suficientes para distrair uma criança por horas infinitas de trânsito.  Nesse caso, só criatividade mesmo…e eu deixei a minha falar. Assim, sem me importar se estava parecendo boba e com o que o motorista ao lado pensaria.

  • Eu e Ben cantamos juntos e fizemos coreografias com as mãos;
  • Apontamos o que era ônibus, o que era carro, moto e caminhão;
  • Brincamos com o Woody e o Buzz;
  • Brincamos de atirar um avião de papel um para o outro;
  • Benjamin me pediu para ler um livro pra ele (sempre levamos livros no carro);
  • Depois ele ficou virando as páginas do livro e me falando o nome de todos os elementos que ele conhecia: borboleta, formiga, sol, árvore, rio…
  • Fizemos caretas;
  • Benjamin pintou e ficava me mostrando o que eram seus desenhos  (temos giz e caderninho no carro).

Os motoristas dos lados olhavam para nosso carro com suas caras entediadas e pareciam pensar “tadinha da criança nesse trânsito, mas olha que super mãe bacana!” “pelo menos eles parecem se divertir”.

E aí se passaram três horas de trânsito! E o que parecia interminável se tornou um momento de qualidade e mega agradável entre mãe e filho.

*

Meu coração apertou (e se surpreendeu) quando Benjamin me disse:

– quero padaria, mãe!

Meu filho estava com fome e queria parar numa padaria. Ele só toma leite antes de sair, pois toma café da manhã na escola. A mãe esqueceu a fruta do lanche e só tinha petit suisse, biscoito e suco – o que se eu desse estragaria o almoço dele.

Mas de repente levantaram a tal carreta, abriram metade da pista e o trânsito começou a fluir. Ao chegar na escola, Benjamin não quis entrar, queria ficar comigo. Mais um corte no coração.

Eu tinha prometido parar numa padaria assim que saíssemos daquele trânsito, mas como já era hora do almoço dele na escolinha, não cumpri a promessa. Quando fui buscá-lo na escola, senti ele meio emburrado. Saí atrasada, peguei trânsito (pra variar, como se tivesse sido pouco na parte da manhã) e fui a última mãe a chegar na escolinha. Perguntei se estava tudo bem e ele respondeu “não”. Perguntei se queria ouvir música e ele disse “não”. Ok. Ficamos os dois quietos. Lembrei da promessa. Falei “Bem, lembra que a gente ia parar na padaria, mas não deu certo? Pensei que agora podíamos comer batata frita, o que acha? E ele abriu seu sorrisão largo e topou na mesma hora.

E assim passamos mais alguns momentos de qualidade entre mãe e filho.

*

E é assim que os filhos entram no tenebroso mundo do fast food.

*

O Bossa Mãe adverte: além de todos os apetrechos para distrair a criançada, tenha sempre uma garrafinha de água no carro.

*

Curiosidade: pequisei na internet o que dizem sobre dicas para distrair as crianças no carro e para o meu (não) espanto, a maioria delas está relacionada a aplicativos e aparelhos eletrônicos. (de repente passei a acreditar mais no meu poder de criatividade) Pensei: como faziam nossos pais? Que eu saiba, na história da humanidade esse lance de iPad e afins não existia. Acho que essa parafernália toda com a qual não conseguimos mais viver sem, nos emburrece e até nos empobrece sentimentalmente. Isso é o lance dos excessos e faltas que diz o escritor infantil Ilan Brenman. Termino esse post com uma frase dele para refletirmos:

A falta de visão para aquilo que realmente é primordial na vida é uma marca da nossa época“.

compartilhe!

4

comente!

4 respostas para “Como distrair crianças no trânsito”

  1. Rose Misceno disse:

    Ufa, ainda bem que não deu dica de colocar DVD no carro! Também acho desnecessário. O carro e o que está a volta dele é um momento maravilhoso de aprendizado, não dá pra desperdiçar esse com um DVD. Eu brinco com a Luna de “quem acha primeiro um carro verde?” ou qualquer outra cor.
    Também dançamos e cantamos bem alto, aliás faço isso até quando estou sozinha!! hahahaha
    Como ela já sabe o significado das cores do semáforo, peço que ela me avise quando a cor mudar, isso ela adora! Também levo sempre uma garrafinha de água no carro, a cadeirinha dela tem até o porta garrafas lá.
    Adorei seu post!!

    Beijão.

  2. Daniela Maio disse:

    Amei!!! Vc tá ficando cada fez mais foda!.hahahahahahahahaaahahahahahahahahahahahahhaahahahaha
    Você vai achar graça do palavrão, mas não consegui substituir, realmente SUPERAÇÃO é o seu apelido! PARABÉNS por cada estar cada dia esse ser humano melhor! Beijos.

    • https://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabis disse:

      Achei muita graça do palavrão, Dani.
      Obrigada! É muito bom ter o reconhecimento das pessoas sobre nós. É sinal de que crescemos como pessoas e, nesse caso, que estou cada vez mais alcançando o meu objetivo – que é me tornar cada vez mais uma pessoa melhor.
      Obrigada pelo seu carinho de sempre.
      um beijo

  3. Lele disse:

    heheh eu sempre tenho brinquedos, água e um lanchinho.
    DVD só em viagens mais longas. E sempre brincamos, mesmo que não esteja transito, de adivinhação de musicas ou de perguntas sobre desenhos e personagens.
    é… haja criatividade!
    beijos
    Lele

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.