03 jun 2016

De quem é a culpa?

Por que acontece tantos casos de estupros? Por que as pessoas matam, violentam e se drogam? De quem é a culpa?

culpa

Há uma semana estou tentando digerir essa história do estupro coletivo cometido por #33 homens. Há tempos venho tentando digerir comentários das pessoas na internet, whatsapp sobre tudo. Política, racismo, piadas infames. E agora mais essa, sobre o estupro. Ao mesmo tempo que a internet nos aproxima um do outro, também nos aproxima da imbecilidade e boçalidade do outro. Nesse mundo digital conhecemos um pouco o lado B do seres humanos, porque é através da internet que rostos ganham vozes. E, gente, como essas vozes são boçais. É impressionante como em pleno século 21 o mundo ainda reaja com tanto descaso, tanto preconceito.

Dessa história toda dos #33 estupradores, muita coisa me deixa absurdamente incrédula. Uma jovem foi estuprada. Não importa se foi 1, 2, 33. É fato. Foi estuprada. E isso acontece a cada 11 minutos no Brasil. Como uma mulher é estuprada, violentada e  ainda não tinham, até domingo passado, prendido nenhum suspeito?! Gente, os caras não só filmaram a barbaridade, como compartilharam nas redes sociais orgulhosos do seu feito. Além de tirar sarro da vítima, isso indica sarro da sua cara, da minha, da polícia, da sociedade em geral, porque ao fazerem isso eles acreditam fielmente que não serão punidos. Desconfio que devem ter razão, afinal por que não prenderam os caras na hora que esse vídeo vazou na internet?! O negócio tomou uma proporção imensurável no mundo e simplesmente ninguém tinha sido preso até outro dia. Impressionante e assustador, muitas pessoas culparem a vítima e não os agressores. Simplesmente porque os ignorantes acham que “as meninas que vão para o funk procuram isso; a mulher não se dá o respeito vestindo certas roupas; se tivesse lavando louça em casa, não teria sido estuprada; etc, etc, etc”. Oi? Para o mundo que eu quero descer! Aliás, que mundo é esse? É o mundo no qual a palavra da mulher não tem valor.

A mulher pode andar semi nua na rua, ninguém tem o direito de violentá-la, assim como não tem direito a violentar qualquer outro ser humano. Independente do que essa moça tenha expressado em sua rede social antes de ir ao baile, da sua história de vida, dos seus vícios, da roupa em que vestia… nós não podemos tolerar nenhuma forma de violência contra a mulher. Não, a culpa não é dela. A culpa é dos #33, a culpa é sua por tentar culpá-la, a culpa é do vizinho, do colega de escola, da rodinha que xinga “as mina” de piranha (e tantos outros nomes), é da comunidade, das instituições, é daquele seu amigo que zomba da cara do seu marido porque agora ele terá uma menina, logo se tornará um “fornecedor”, daquele outro que fica sugerindo que seu filho de 5 anos tem namoradinha, daqueles que incentivam que homem tem que “pegar” mesmo, que afirmam que homem não chora… a culpa é também dos pais.

A culpa é da sociedade, da (falta de) política e programas de educação, empregos, combate às drogas, apoio e orientação às famílias. E a culpa é nossa, mães e pais. Sim, a culpa é nossa. Sinceramente, a culpa é nossa, pois somos nós que construímos esses seres humanos. E isso tudo o que acontece no mundo é também reflexo do nosso comportamento na roda entre amigos, do limite que não impomos. Queremos que nossos filhos sejam livres para escolher e tomar decisões, mas isso não significa não dar limites, faltar com o “não”, não repreender quando fazem algo errado. Tem que dar mais limite, tem que proibir, tem que mostrar que tem tempo certo para cada coisa sim. Temos que dizer “não”.

 

compartilhe!

1

comente!

Uma resposta para “De quem é a culpa?”

  1. Tudo está na educação
    Com educação há mais respeito e aí é só uma corrente de coisas boa…
    To engasgada com esse assunto tb.
    beijos
    Lele

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.