19 jun 2018

Inverno: cuidados com bebês e crianças

por
Gabi Miranda

Bebê, Destaque, Filhos, Saúde

O inverno chegou e com ele aumenta o atendimento nos pronto-atendimentos infantis. Isso porque nessa época do ano é comum  aparecer as doenças respiratórias e infecciosas em bebês e crianças. E por que isso ocorre? Por conta da baixa imunidade das crianças. Elas ficam mais vulneráveis ao contato com vírus e bactérias que se proliferam nos ambientes fechados e com maior pessoas contaminadas.

Resolvi falar sobre o assunto, pois tenho percebido que Stella tem andado direto com o nariz escorrendo. Além de uma tossinha chata que vem e volta. Além de ppesquisar o assunto, recebi informações do pediatra Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros, que valem a pena serem compartilhadas. Segundo Dr Syvio, apesar da maioria dos casos serem de gripes e resfriados comuns, é importante alertar para o correto diagnóstico e tratamento em tempo para estes casos. Quando os sintomas aparecem e não são cuidados, podem evoluir com riscos mais sérios para as crianças.

Dr. Sylvio explica também que, para evitar chegar ao estágio de remediar, vale sempre destacar as medidas de prevenção. Muitas das quais são bastante simples e básicas de serem seguidas. Abaixo destaco, algumas dessas medidas.

Inverno: alguns cuidados com bebês e crianças durante as baixas temperaturas

inverno

Vacinação

Estar com a carteira de vacinação em dia, especialmente com a vacina da gripe. Esse é um dos fatores que garante a imunização necessária para combater os agentes agressores causadores das doenças de inverno. Aqui em casa sempre damos a vacina da gripe, mas esse ano optamos por não dar.

Estamos testando o remédio homeopata preventivo, indicado pela nossa pediatra: Oscillococcinum, indicado pela nossa pediatra. Todo ano tomamos esse, mas como tomamos vacina também, não sei de onde vem o resultado que sempre é positivo.

Alimentação

Estar atento às necessidades nutricionais pertinentes a cada fase da criança. Sobretudo, uma alimentação rica e equilibrada. Assim é possível garantir o pleno desenvolvimento de seu processo imunitário.

Hidratação

Oferecer água com frequência à criança é necessário para manter a hidratação, equilíbrio de temperatura, limpeza das vias áreas superiores e bom funcionamento do organismo como um todo. Importante lembrar que nos seis primeiros meses, a amamentação já cumpre o papel de hidratação necessária, não sendo preciso a ingestão de água pelo bebê.

Higiene

Banho diário na criança, sobretudo em local protegido do frio, ajuda a afastar os agentes causadores de vírus e bactérias. O mesmo cuidado deve-se ter com a limpeza da casa. Porque evita o acúmulo de pó e ácaros, além dos vírus e bactérias já citados.

Ambiente

Manter a circulação do ar também é de grande importância para evitar o acúmulo dos agentes causadores das doenças. Portanto, nada de fechar todas as portas e janelas! Pois ao invés de proteger a criança, criará mais oportunidades de contaminação. Se possível, usar um umidificador para ajudar a manter a qualidade do ar que propiciará a manutenção da hidratação das vias áreas (nariz e garganta) da criança.

Doenças comuns no inverno

As doenças comuns no inverno são: gripes, resfriados, alergias respiratórias, pneumonias, infecções de ouvido e, ainda existe também um aumento da bronquiolite.

A bronquiolite é uma infecção causada pelo vírus respiratório sincicial. Acomete crianças até os dois anos de idade. O contágio ocorre através do contato com crianças infectadas, através da tosse, do espirro e até da fala, ou ainda na permanência em ambientes pouco higienizados. A doença se caracteriza pelo acúmulo de muco (secreção) nas pequenas cavidades do pulmão, os bronquíolos, dificultando a respiração, com evolução para tosse e falta de ar. O alerta do pediatra nesse caso é para os bebês recém-nascidos e os prematuros. Isso porque essas crianças estão desenvolvendo seu sistema imunológico, e o risco de a bronquiolite evoluir para uma pneumonia é maior.

A doença e os sintomas tendem a ceder em até uma semana após o início da infecção. Mas, devido ao fato de haver possibilidade de a criança desenvolver uma insuficiência respiratória que pode ser grave, caso os pais notem piora no quadro da criança, devem levar a criança ao médico.

Sobre o Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros

Graduado pela Faculdade de Medicina do ABC, com especializações e títulos pela Unifesp/EPM, Sociedade Brasileira de Pediatria e General Pediatric Service da University of California (UCLA, Los Angeles, EUA). Atuou por quase 30 anos no Pronto Socorro Infantil Sabará. Foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo. Deixou o cargo para se dedicar ao seu consultório e à literatura médica para leigos. É autor dos livros “Seu bebê em perguntas e respostas – Do nascimento aos 12 meses” e “Pediatria Hoje”.

 

compartilhe!

0

comente!

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.