19 set 2018

Leis espirituais: aceite a impermanência das coisas

por
Gabi Miranda

Comportamento, Destaque, Maternidade

Desde segunda-feira quando disse que ser demitida foi a melhor coisa que me aconteceu, tenho recebido lindas mensagens de seguidoras. Pessoas que me conhecem apenas pelo blog e redes sociais, dizendo o quanto é perceptível a minha mudança durante esse ano e o quanto eu inspiro elas. Uau! Sinto certa responsabilidade por isso. E fico pensando que elas só conhecem uma parte de mim.

Costumo dividir a minha vida em três partes. Antes e depois do Benjamin. E depois de perder a minha mãe. Foram os dois fatores mais transformadores da minha vida toda. E claro, com o episódio da minha mãe foi o que mais aprendi. Parece uma lei cósmica, mas quando sofremos, ganhamos resistência para enfrentar diversas situações e superar obstáculos que jamais imaginamos. A lembrança mais forte que tenho da noite em que estava perdendo minha mãe, foi de ligar para meu pai no Rio de Janeiro para contar o que havia acontecido e dizer: eu não vou conseguir sem ela. Inexplicavelmente, a vida nos dá uma força que nos impulsiona a vencer e superar qualquer dificuldade, até mesmo os grandes sofrimentos.

Leis espirituais

O Budismo entrou na minha vida

No entanto, parte de mim não é o que demonstro ser. E isso precisa ser dito. Tenho defeitos como todo mundo. Não sou uma mãe e esposa perfeita. E sinto medo. Mas justamente por ter enfrentado um dos maiores sofrimentos da minha vida até hoje, que eu vou com medo mesmo. Porque dou mais valor hoje para o presente. A minha mãe era uma pessoa esquizofrenicamente otimista. Sério! Ela ligava impreterivelmente todos os dias para desejar “um dia feliz”. Eu amava isso.

E apesar de admirá-la, eu ficava um tanto inconformada com tanto otimismo. Porque minha mãe não teve uma vida fácil. Como ela podia acreditar em tudo aquilo que dizia? Ela acreditava e vivia nos falando que aquilo que desejamos e pensamos, determinava as pessoas e as coisas que atraímos. E que independente do que acontecesse, precisávamos aceitar e agradecer. E quando eu passei a acreditar nisso? Depois que a perdi. E claro que não foi no primeiro ano, mas após alguns acontecimentos e que um pouco tem até a ver com a chegada da Stella. O Benjamin e minha mãe me transformaram numa pessoa melhor.

Então, fui buscar mais (auto)conhecimento. Voltei a ler Dalai Lama e muita coisa sobre budismo (e sobre meditação, visualização criativa, milagre da manhã, essencialismo, hoponopono, oração quântica, o poder do hábito, etc, etc, etc). Até me batizei no budismo. Mas confesso que essa é outra história e estou em falta. Porque eu não gosto quando querem me catequizar. Quero poder ler sobre todas as linhas de budismo. Escolhi essa filosofia de vida, justamente por me parecer mais democrática. Enfim…

Leis espirituais

leis espirituais

O curioso é que todos esses temas vão de encontro com as quatro leis da espiritualidade na índia. E dia desses recebi um e-mail com essas quatro leis. Outra coisa incrível que vive acontecendo na minha vida! Eu recebo mensagens que chegam de várias formas. Sonhos, e-mails, whatsapp…

As quatro leis da espiritualidade na índia, são:

  1. A pessoa que vem é a pessoa certa.
  2. Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido.
  3.  Toda vez que você iniciar é o momento certo.
  4. Quando algo termina, ele termina.

No budismo, um dos princípios mais importantes e que precisamos aprendemos é aceitar a impermanência das coisas (desapego). A coisas fluem. E o que isso quer dizer? As pessoas nascem, morrem, renascem e se transformam. Assim também acontece com o tempo, com a natureza, com os nossos sentimentos e todas as outras coisas da vida. Precisamos aceitar a condição de que as coisas são temporárias e sermos gratos.

Só que tudo isso faz parte do processo de autoconhecimento e isso leva tempo. Exige disciplina, foco, autocontrole (algo que ainda não tenho). O que me ajudou nesse últimos anos, foi aceitar os acontecimentos. A ordem como as coisas acontecem em nossa vida, tem um motivo. Compreender que perder (ou deixar de ganhar) algo, nos leva a algo mais grandioso, mais especial, com mais sentido para o nosso coração.

Mas eu ainda tenho muito o que aprender. E toda vez que uma pessoa me envia uma mensagem  dizendo que eu a inspiro de alguma forma… NOSSA! É um combustível para seguir essa jornada. Ganho força toda vez que recebo uma mensagem com as que recebi nesses últimos dois dias. Cada crença dessas que inseri na minha vida ganha força. E aí desejo ser ainda melhor, desejo mais evolução, mas aprendizado só para ter o prazer de compartilhar com vocês.

Muito obrigada!

compartilhe!

5

comente!

5 respostas para “Leis espirituais: aceite a impermanência das coisas”

  1. Jéssica Bugatti disse:

    Amei sua pagina. De verdade ando tão desanimada. Senti paz lendo o que escreveu. Me senti bem, e olha que ultimamente a única coisa que me faz continuar e prosseguir são meus filhos.

    • https://bossamae.com.br/novo/wp-content/themes/bossa-mae/img/img-coment.png Gabi Miranda disse:

      Oi Jéssica, fiquei muito feliz com seu comentário e em saber que de alguma forma te dei paz.
      Fica bem, a vida é um desafio, mas é maravilhoso conseguir enfrentá-los. Lembre-se que coragem não é a ausência de medo, de desânimo, etc. É sentir tudo isso e ir com tudo. Tem uma frase do Guimarães Rosa e que eu tatuei no braço: o que a vida quer da gente é coragem!
      Fique bem.
      Um grande beijo,

      Gabi

  2. […] Leia também: aceita a impermanência das coisas […]

  3. MARLENE GALVAO disse:

    mto bom gabs… te admiro demais

  4. Letícia Bombassaro Ceratti disse:

    Estou amando seu blog ♥️

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.