02 abr 2019

Lições empreendedoras – 8 coisas que aprendi em um ano

por
Gabi Miranda

Destaque, Produtividade

Há um ano comecei a empreender. Ou seja, a Mirtilo Comunicação está completando 1 aninho de vida. É um bebê ainda, está aprendendo a andar. Mas esse período foi suficiente para tirar algumas lições empreendedoras. Durante esses 12 meses, já fui tomada por vários sentimentos contraditórios do tipo não faço ideia de por onde começar, como fazer e vontade de mudar tudo. É super difícil conseguir seguir o caminho que escolhemos e muito normal mudar tudo ou não saber o próximo passo.

lições empreendedoras

O importante é não ser perder do seu propósito. Terão momentos difíceis sim, mas a felicidade está relacionada com encontrar propósito e significado no que se faz, não importa o que seja. Agora, desperte seu poder de empreender e confira algumas das minhas lições empreendedoras nesse curto, porém intenso período.

Lições empreendedoras – 8 coisas que aprendi em um ano

1. Não procrastine

Tem uma frase de Eleonor Rosevelt que diz: todos os dias faça algo de que você tenha medo. Isso vale perfeitamente para quem tem o próprio negócio. É difícil, eu seu. A gente sente medo, mas precisa ir com medo mesmo. Portanto, teve uma ideia, coloque-a em prática no mesmo instante. Comece na mesma hora algo que vai te aproximar mais perto do que você quer realizar.

Não dá para procrastinar quando somos donos do próprio negócio. Tem que ir lá e fazer!

2. Acredite nas suas potencialidades

Ninguém nasce sabendo, mas todo mundo tem potencial para alguma coisa. Estude e pesquise muito sobre o seu negócio. Quando a gente se apropria de conhecimento, não tem como não aumentar o nosso potencial para realizar o que desejamos. Alimente sua autoestima com conhecimento! Só com confiança que conseguimos concretizar nossas metas. Na hora em que surgir uma dificuldade, acredite em você para superar o que quer que seja. Uma pessoa empreendedora precisa acima de tudo de: iniciativa, autonomia e autoconfiança. Nem sempre a gente está confiante, mas não podemos esquecer que acreditar em si mesmo contribui para superar qualquer adversidade. E principalmente, para alcançar o que desejamos.

3. Defina o perfil do seu cliente

Quando começamos a empreender queremos atender todo mundo! Não importa se oferecemos serviço ou produto, a gente quer atender todo mundo que aparece. Alguém pediu orçamento, estamos lá prontamente para enviar. Isso porque precisamos que entre dinheiro e cliente! Afinal, empresa sem cliente não parece ter muito sucesso. Mas depois de alguns meses, aprendi. Nem todo cliente é meu cliente do sonho. E como eu descobri isso?

Foi reparando em todos os clientes que eu tenho. Quais são os melhores? E isso significa aqueles que eu amo trabalhar, atender e produzir conteúdo. Aqueles que me geram troca e prazer, além do trabalho e da parte financeira. Outra coisa que eu comecei a reparar foi na conversa inicial de quando alguém entrava em contato para pedir orçamento. Juro que hoje sei quando o negócio vai para frente e merece que eu invista energia e quando não vai. E nesse um ano descobri algo muito simples nesse sentido: a) não preciso trabalhar com gente difícil. Muito menos com quem não valoriza o meu trabalho. 2) O cliente do sonho existe, precisa minha empresa e valoriza o meu trabalho.

4. Siga sua intuição

Consequência do item acima: siga sua intuição sempre!!! Se você foi em uma reunião e sentiu que o cliente vai dar pepino, siga sua intuição. E se ela estiver dizendo “não atenda esse ser humano!!!”, faça isso!!! Não atenda essa pessoa. Isso é sério. Durante esse período, pegamos poucos clientes para jobs específicos.

Abre parenteses. Confesso que nem gosto de pegar jobs pontuais porque dão um trabalho da porra, são os clientes que menos sabem o que querem da vida e os que mais choram em relação ao orçamento. Fecha parenteses.

Mas teve um cliente que pegamos e sério, virou uma salada de pepino. Mas valeu o aprendizado. Hoje sei o que não devo fazer mais (subestimar minha intuição e outro detalhe importante que é o próximo item). Se tem uma coisa que sei fazer bem, é tirar lição dos acontecimentos negativos. E agora sempre lembro: se custa a sua paz, é caro.

lições empreendedoras

5. Faça contrato, carta acordo e cronograma

Se sua empresa presta serviço, é importante fazer um contrato ou carta acordo do serviço que será oferecido e tudo o que foi combinado. Lembra do ditado: o combinado não sai caro? Então, faça valê-lo. Descreva no contrato/carta acordo todos os serviços, o passo a passo de cada etapa, o cronograma, lembrando de deixar tudo bem claro e em caso de mudança no meio do caminho o que isso acarretará.

6. Reveja os processos e relacionamentos

Ser dono da própria empresa não é um mar de rosas não. A gente deixa de ter chefe para ser o nosso chefe. E acho até que o estresse é maior do que quando somos um colaborador de uma empresa. Temos que lidar com a parte financeira, administrativa, marketing, recursos humanos, comercial e ainda temos que fazer a empresa acontecer! Ser a pessoa das ideias. Portanto, é importante também rever como a gente tem lidado com todas as questões da empresa. Inclusive com os clientes. Se aconteceu uma situação desagradável, não dá para culpar só o outro. O que eu posso mudar no meu comportamento para não voltar a acontecer isso? Isso é importantíssimo, afinal, o comportamento do outro não podemos mudar. Mas o nosso podemos.

Exemplo, se os clientes não pagam na data certa, porque esquecem, não tem organização nesse sentido, crie uma forma de pagamento que vai ajudá-lo a não esquecer mais. Se um outro não passou a mensagem clara no briefing, crie um questionário para ajudá-lo a responder e não deixe de fazer contrato/carta acordo com todos os itens e lembrando que haverá um custo adicional caso haja mudanças que não estão ali previstas.

7. Foco no aprendizado

Precisamos ter a capacidade de aprender quando nos aventuramos no mundo do empreendedorismo. É necessário ter foco no aprendizado. Não importa se o resultado é bom ou ruim, o importante é tirar uma lição de todos os seus projetos. Nessa ornada precisamos priorizar tr~es pilares: 1. aprendizado, 2. resultado, 3. desempenho. Os três caminham juntos. Como diz Tiago Matos, em seu livro “Vai Lá e Faz – como empreender na era digital e tirar ideias do papel”, quando você aprende a aprender, você aprende qualquer coisa. Inclusive, a aprender mais rápido. Portanto, se você tem uma ideia, tire-a do papel, coloque-a em prática sem planejar muito. Simplesmente FAÇA! Se errar ou acertar, você vai aprender sem demora. E estar pronto para dar o próximo passo.

8. Ser mãe empreendedora pode dar certo sim

Antes de parar de trabalhar fora, a gente romantiza bastante o trabalho “home office”. Eu pelo menos romantizei. Achava que teria mais tempo para meus filhos, que conseguiria equilibrar todos os pratinhos filhos, casa e trabalho com uma mão só. Porém, a verdade é uma só: não é tão simples como a gente imagina ou sonhou um dia. E na prática entendemos porque muitas mulheres desistem de empreender. Porque elas acham que não conseguirão conciliar o desafio do empreendedorismo com outro desafio tão grande quanto, a maternidade. Ambos exigem muito de nós. É verdade. No entanto, não podemos esquecer que se tem alguém que consegue dar conta de duas atividades tão importantes somos nós. MULHERES. E se você duvida disso, leia também:

A maternidade contribui para o desempenho profissional da mulher

É difícil ser mãe empreendedora e isso envolve pequenos sacrifícios e escolhas difíceis. Mas nada que trabalhar fora também não exija de nós. Ser dona de uma empresa, traz também muitas preocupações e compromissos, mas tem uma coisa que ninguém tira de nós. A FLEXIBILIDADE. E essa é pra mim uma das maiores vantagens. Quando você trabalha para uma empresa, precisa pedir autorização para levar seu filho ao médico ou se sente mal por faltar se o filho está doente. A empresa/chefe até entende. Mas emendar um feriado, às vezes pode ser uma tortura (principalmente, lidar com os colegas do time que não têm filhos e não entendem). Ou jamais você poderá pedir para levar o filho a uma festa ou um passeio em horário de trabalho. Imagina, não tem cabimento. Quando você empreende, tem essa LIBERDADE de administrar a sua agenda.

A verdade é uma só, não importa a nossa escolha, de um jeito ou de outro, vai dar tudo certo! E nossos filhos ficarão bem. O importante é realizarmos aquilo que está ligado com o nosso propósito. Eu queria estar mais perto da criação dos meus filhos. E por tudo o que estamos vivendo, acredito que não existe jeito melhor de educá-los para o futuro sem ser de outra forma. Sendo uma mãe batalhadora e que corre atrás dos seus sonhos.

compartilhe!

0

comente!

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.