22 abr 2015

Medo na gravidez: como lidar com o medo de que algo dê errado

por
Gabi Miranda

Gravidez, Maternidade

medo na gravidez

Google

Já comentei que essa gestação foi planejada, mas desde que as duas linhas vermelhas surgiram diante dos meus olhos, vários medos tomaram conta da minha mente, coração e acho até que do corpo – uma vez que fiquei imprestável no início da gestação. Não foi diferente na gravidez do Benjamin. Parece automático, o bebê começa a desenvolver e junto dele vários sentimentos (contraditórios até) desenvolvem ao mesmo tempo: felicidade, insegurança, ansiedade e….o medo na gravidez!

Medo de não dar conta, de não ter dinheiro para educar, se for o segundo de não amar como amamos o primeiro, de como será a reação do primogênito com a chegada do novo membro da família, de perder o bebê, dele ter algum problema de saúde, do parto e assim por diante… Como lidar com tanto medo na gravidez? É natural sentir medo, dizem que o sentimos quando percebemos que estamos ameaçados e que esse sentimento é um grande aliado permitindo a nossa sobrevivência. Mas uma gravidez é uma ameaça? Eu diria que não. Porém, é o início de um acontecimento transformador na vida de qualquer pessoa e é normal sentir insegurança quando não temos o poder de saber, muito menos de controlar, o que acontecerá no futuro.

O medo é um dos sentimentos que parece nos dominar e fui atacada por ele no primeiro trimestre da gestação. Ok que é natural sentir medo, mas devemos tomar cuidado para ele não nos dominar, causando assim sofrimento a nós mesmos e não afetar nossas relações com outras pessoas e até com o próprio bebê dentro de nós. 

Na gestação do Benjamin, não exitei e procurei ajuda de uma psicóloga. Eu queria muito engravidar, mas foi tão rápido e, na época, meu maior medo era do parto. Nessa, eu já estava seguindo com apoio de uma psicóloga que fui atrás quando percebi não dar conta sozinha das emoções por conta da perda da minha mãe. Foi ótimo já estar em acompanhamento quando fiquei grávida. A minha terapeuta ajudou muito nesse processo de restabelecer os sentimentos em seus lugares.

Minha dica pessoal

Se tem uma dica valiosa de como lidar com o medo na gravidez, é essa: não tenha vergonha e nem pense duas vezes em procurar ajuda de um psicólogo. A minha me ajudou (e ajuda!) a organizar as emoções e ponderar o que são dúvidas, preocupações reais ou não, o que tem motivo de ser ou não. Porque muitas vezes, sentimos medo que provém de uma história que escutamos da amiga da prima da vizinha que contou para uma outra amiga. Ou porque lemos na internet. Ou porque vimos na novela ou no filme. Ou até porque aconteceu a alguém próximos a nós. Mas é importante discernir e buscar entendimento dos motivos que fizeram acontecer determinada coisa com aquela pessoa. Exemplo: não é porque uma gestante teve pré-eclâmpsia, você terá também.

Uma coisa necessária durante a gestação, é ter acompanhamento médico e, de preferência, um médico de confiança e que transmite tranquilidade. Alguém com quem você possa esclarecer suas dúvidas e conversar sobre o desenvolvimento do bebê. Conversar com outras grávidas também ajuda porque percebemos que os sentimentos, dúvidas e preocupações são comuns e parecidas com o que a outra sente. Mas tome cuidado! Não dê ouvidos para as histórias negativas, se for o caso, se afaste. Particularmente, não gosto de conversar com quem só tem história ruim para compartilhar.

Segundo trimestre

No segundo trimestre da gestação, os hormônios se assentam e com eles os sentimentos dão uma acalmada. Acho que o fato de sentir o bebê mexer, a barriga já estar bem definida, traz mais alegria e certa harmonizada também para nossa mente e coração. Agora já me sinto mais tranquila. É claro que ainda sinto alguns medos, mas não na intensidade do início da gestação. Também não fico mais alimentando-os, quando se aproximam, logo espanto para longe.

Nesse período, passei a espantar o medo na gravidez e me concentrar em estabelecer uma conexão com o bebê. Também passei a demandar minhas energias na organização da casa para abrir espaço para as coisas dele (ou dela), no chá de bebê, enxoval, decoração do quarto. Acho isso importante, canalizar as energias em coisas realmente essenciais e que contribuirão para uma gestação saudável: pensar, desejar e realizar coisas agradáveis, só poderá atrair coisas boas. 😉

compartilhe!

1

comente!

Uma resposta para “Medo na gravidez: como lidar com o medo de que algo dê errado”

  1. Jeniffer Elen disse:

    Planeje muito, mas algumas coisas na minha vida financeira saíram do eixo. Acidente de carro sem seguro, bandido que invadiu minha casa e um problema com um terreno me deixaram preocupada e até com vontade de voltar aos remédios. Mas meu esposo disse que era melhor não, que tudo daria certo e. Afinal, podia demorar. Só que hj estou no 3°dia de atraso e ainda não sei, mas só de pensar em estar senti tudo que apontou em seu texto. Eu bebi o fim de semana (bastante) e não senti nada, mas até essa neurose me pegou. Será que estou grávida? Será que meus abusos desse fim de semana ja podem prejudicar? Não estou com coragem nem de fazer o exame pra saber.
    Não sinto nada diferente, só atraso…

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.