14 jan 2016

Organize suas contas

por
Gabi Miranda

Destaque, Dinheiro, Maternidade

Blog_fotos-2015

As previsões para 2016 são conservadoras e o mercado parece que continuará nessa crise, mas não é por isso que não devemos deletar de vez os maus hábitos de nossas vidas, pois são eles que detonam nosso orçamento pessoal e familiar. Aproveite o mês de janeiro para planejar seu ano inteiro e mudar seus comportamentos, comece poupando uma quantia pequena e colocando as dívidas em ordem. A edição especial da revista VOCÊ S/A, Organize suas contas, publicada no mês de dezembro/15, trouxe um guia para você acabar de vez com as dívidas, organizar o orçamento, fazer seu dinheiro render e realizar seus projetos nesse novo ano. A publicação reuniu grandes especialistas em dinheiro no Brasil para recomendar o que fazer e o que evitar. Abaixo, separei algumas dicas para compartilhar com vocês.

Dívidas – Mude suas atitudes e fique no azul

  • Evite compras parceladas e financiadas, especialmente no cartão de crédito. Antes de pensar em pegar um empréstimo para cobrir buracos no orçamento u manter um estilo de vida que você não pode, calcule o impacto que isso terá em suas contas;
  • Analise suas finanças e descubra onde estão os gastos supérfluos e que podem ser cortados;
  • Monitore os pequenos gastos diários. Eles podem ser os grandes vilões do buraco no orçamento mensal;
  • Reveja seu padrão de vida e não pegue empréstimos para sustentá-lo;

Dicas por: Reinaldo Domingos, terapeuta financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, do grupo DSOP e autor dos livros Terapia Financeira e Livre-se das Dívidas.

Planejamento – Mude seu comportamento e atitudes em relação ao dinheiro

  • Salário no bolso é o salário líquido – aquele que cai na conta e não o salário informado no holerite;
  • Entenda quanto você gasta em cada categoria. Feito isso, trace limites realistas para elas, pensando se você vai conseguir cumprir;
  • Anote todas as despesas. O objetivo é saber quanto você gastou do planejado para cada categoria;
  • Reserve dinheiro para emergências. A orientação é guardar seis salários. Se você ganha R$3.000, junte R$18.000. Para isso, poupe 15% ao mês ou R$450,00.

Abre um parênteses. Eu não gosto de guardar dinheiro pensando nele para emergências. Sim, obviamente, imprevistos acontecem e precisamos estar preparados, mas eu poupo sempre pensando num plano positivo para o meu dinheiro. Fecha parênteses.

  • Monitore suas finanças. Ter finanças saudáveis passa pelo hábito de checar seus gastos constantemente, para não perder o controle.

Dicas por: Thiago Alvarez, sócio-fundador do GuiaBolso, aplicativo de controle financeiro.

Comportamento – Conheça-se mais para gastar melhor

  • Questione como você gostaria de ser lembrado daqui a 100 anos. Pergunte a si mesmo e escreva as principais características que seus bisnetos usariam para descrever você no futuro;
  • Reflita se seu trabalho enriquece sua mente e espírito, ou apenas o bolso. Uma insatisfação nessa área pode estar na origem de um comportamento de consumo desnecessário;
  • Aponte cinco valores mais importantes para você entre segurança, família, desafios, reconhecimento, status, ética, dinheiro, fama, trabalho, saúde, espiritualidade, poder, paz, autonomia, amizade, prazer, liberdade, simplicidade, educação e imagem. Agora reflita se suas decisões de consumo e seus gastos aproximam ou afastam você de suas prioridades;
  • Procure se cercar de pessoas que não o induzem a assumir gastos e despesas incoerentes com seus verdadeiros objetivos de vida. Se alguns não entenderem as mudanças no seu estilo de vida, talvez não sejam tão bons amigos.

Dicas por: Andyara de Santis, educadora e consultora financeira, autora do livro Liberdade Financeira ao alcance de todos.

Estratégia – Proteja sua renda fugindo dessas pegadinhas

  • Reduza os gastos com combustível, luz, IPTU, condomínio e água, sujeitos às oscilações da inflação e a decisões governamentais, com grande impacto nas contas mensais;
  • Só tome empréstimos em cado de emergências, jamais ara consumir. Com os juros altos, essas dívidas crescem muito rápido;
  • Não empreste cartão de crédito, pegue consignado para outra pessoa ou coloque seu nome em uma empresa alheia. Emprestar o nome é uma das principais causas de endividamento no Brasil;
  • Se planeja abrir um negócio, não destine os recursos acumulados no seu FGTS para isso. Eles são sua garantia enquanto não está trabalhando;
  • Não coloque todo o seu dinheiro em um único investimento, banco e muito menos ouvindo só o seu gerente. Diminua os riscos diversificando as aplicações;
  • Saia da poupança e de aplicações que paguem menos de 1% ao mês, já livres de IR. Aproveite os juros para multiplicar os rendimentos.

Dicas por: Mauro Calil, consultor financeiro e especialista em investimentos no Banco Ourinvest. É autos dos livros Receita do Bolo e Separe uma verba para ser feliz.

compartilhe!

0

comente!

Comente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.