23 jul 2012

Porque segunda-feira pode ser doce

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Logo pela manhã, recebi um e-mail da Dani minha amiga mãe-já-de-dois, que adoçou minha segunda-feira. Fotos do dia do nascimento do meu Benzinho – o dia mais feliz da minha vida. E a Dani estava lá. Fotos da câmera dela que eu não tinha visto até então. E vi hoje um ano e 37 dias depois…Fui envolvida por um sentimento tão gostoso….

20120723-162936.jpg

20120723-162947.jpg

20120723-162955.jpg

compartilhe!

0

comente!

20 jul 2012

Complemento x suplemento

por
Gabi Miranda

Alimentação

Algumas pessoas acham que não (ou não sabem), mas há sim diferença entre complemento e suplemento alimentar. O complemento, como o próprio nome sugere, serve para completar nutricionalmente as refeições. Já o suplemento, segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), serve para complementar com vitaminas e minerais a dieta diária quando essa é insuficiente.

É importante consultar o pediatra antes de introduzir o suplemento para a criança. Existem vários que são proibidos pela ANVISA.

Já o complemento, vale consultar o pediatra pra ver se já pode ser oferecido à criança, às vezes não há necessidade. Geralmente, são aveias, Sustagen, Nutren, Mucilon, etc.

O que eu não sabia e que descobri recentemente pesquisando sobre o assunto, é que existem receitas para usar de forma diferente o complemento. O Sustagen, por exemplo, ao invés de ficar só na vitamina Sustagen com leite, dá para incrementar. Que tal fazer no final de semana um potinho de frutas com calda Mágica?!
Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

19 jul 2012

A vida (materna) como ela é

por
Gabi Miranda

Uncategorized

O relato a seguir contém cenas reais e chocantes. Se você tem estômago fraco, não prossiga.

Só mãe mesmo para pagar tanto mico. Eis um relato verídico de uma mãe desesperada para fazer xixi, sozinha com o filho e apertada em um certo shopping center:

“Todo mundo sabe que no frio a gente sente mais vontade de ir ao banheiro fazer xixi. É uma coisa de louco, você foi há 20 minutos e sua bexiga já está cheia de novo. Como? Todos os dias antes de sair do trabalho, passo ao banheiro para dar aquela esvaziada antes de pegar o pequeno no berçário, pois sei que o caminho até nossa casa é longo – principalmente se estiver trânsito. Ontem não foi diferente, dei uma passadinha no banheiro e fui embora. Antes mesmo de chegar no berçário, que fica a 20 minutos do trabalho, já estava com vontade de fazer xixi novamente. Cheguei no berçário, tive que sair do carro (né?!) pra pegar o bebê, arrumá-lo na cadeirinha e, ao sentar novamente, a vontade apertou. Acho que o movimento estica, puxa, aperta acentuou a vontade, apertou a bexiga, sei lá. E agora? Ah, vamos fazer no banheiro do shopping – ponto de encontro com o digníssimo esposo. Chegamos e o marido demoraria um pouco. Não dá pra ficar dentro do carro parado e distrair um bebê. Adentramos ao shopping, eu e bebê no colo. E a vontade?! Apertou! Algumas sirenes apitaram na cabeça. O que fazer? Pensa rápido, pensa rápido. Vamos ao banheiro. Ok, mas o bebê tem um ano, ainda não anda. Ok, fica em pé, mas possivelmente é capaz dele não querer ficar em pé (só para te contrariar inconscientemente) e se sentar no chão do banheiro, naquele espaço ínfimo quadradinho. E pior, é capaz de ainda querer segurar na privada pública, argh!! Alertas piscando. O que fazer??? Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

18 jul 2012

Carreira x maternidade

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Muita gente acha que sou a mãe mais coruja do mundo. Eu também acho. Eu nunca pensei que fosse gostar tanto de ser mãe. Tive muito medo no começo, pois como todo território desconhecido não sabia se ia me dar bem.

Ainda prestes a sair de licença maternidade as pessoas me diziam “acho que você não volta a trabalhar”. Sei lá, acho que elas já enxergavam em mim o que eu não enxergava: a aptidão para vida adulta e maternal. Sinceramente, no quadro em que as coisas estavam no trabalho, não sentia a mínima vontade de retornar. Mas se em uma semana as coisas podem mudar, imagina em cinco meses.

As coisas mudaram por lá e nesse período eu descobri que não tinha muita aptidão para ficar em casa, para me dedicar apenas e exclusivamente às responsabilidades que acompanhavam a minha nova condição, a minha nova vida. Explico: amo ser mãe (principalmente, do Benjamin), amo meu menino, a maternidade despertou em mim um desejo absurdo de ser mãe em tempo integral, mas no sentido de trabalhar com algo relacionado a ela, ajudar outras mães, famílias, crianças, algo que me proporcione mais tempo também para passar com meu filho, horários flexíveis. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

17 jul 2012

A Galinha Pintadinha

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Popopó…
Quem é que tem um monte de pintinha?
Quem é que tem a pena azulzinha?
Quem é que tem a crista vermelhinha?
Quem é que tem a perna amarelinha?
Popopó…

Confesso: eu odiava a tal galinha pintadinha. Benjamin ganhou, ainda recém nascido, os dois DVD’s da bichinha. Coloquei uma única vez – tempo suficiente para pegar ódio da danada e não colocar nunca mais. Achei uma chatice.

Em seu aniversário Benjamin ganhou a dita cuja, se apaixonou e a mamãe aqui se rendeu. Ganhamos ingressos da revista Crescer, que sábado fechou uma sessão especial do musical A Galinha Pintadinha. Aí no sábado passado fomos todos (eu, marido, meu Ben, Dani minha amiga-mãe-já-de-dois, o marido, os dois filhos, Mislene minha amiga-mãe-de-um-que-está-esperando-a-chegada-do-segundo, o marido, o filho e o sobrinho) assistir o espetáculo.

O espetáculo com toda sua simplicidade é encantador, conquistador, apaixonante, lindo demais. As crianças (e os adultos) ficam todos vidrados. Fiquei surpresa com a reação do Benjamin. Já tinha certa expectativa, mas a reação dele superou o que eu imaginava. Ele bateu palmas do início ao fim, apontava e olhava pra mim como quem dizia “olha, mããããe!”. Clique e continue lendo!

compartilhe!

1

comente!

tags: , ,

13 jul 2012

Junho – a nostalgia passou por aqui

por
Gabi Miranda

Uncategorized

Nunca gostei dos meses junho, julho e agosto porque eles andam acompanhados do inverno, estação que nunca me agradou. Eita período que sempre achei carregado, lento, um tormento pra mim. Mas passei a achar isso já na fase adulta.

Em algum lugar ficou escondido um sentimento bom pelo mês de junho e, outro dia numa fogueira de São João na casa da minha amiga Dani mãe-já-de-dois, bateu esse sentimento…

Lembrei de como gostava de participar das festas juninas da igreja, da escola, os correios elegantes, maça do amor, paçoca… Da fogueira que o vovô Roque sempre fazia na casa da vila. Tenho lembranças doces do mês junino. Saudades. Um nozinho no peito.

Mês que nasceu meu pequeno Ben, tão esperado, tão amado. Nesse dia, abracei o Benjamin e falei pra ele “filho, você nasceu num mês bonito, num mês de festas, vai gostar muito desse período”.

Quero sinceramente proporcionar momentos que se transforme em doces lembranças para meu pequeno. Clique e continue lendo!

compartilhe!

0

comente!

tags: